Motores

Motor de combustão interna com emissões reduzidas em 80%? Conhece a solução

Uma startup alemã tem uma solução tecnológica que poderá dar uma oportunidade ao motor de combustão interna de sobreviver num mundo eletrificado.

O cerco aperta. Desde normas anti-poluição mais rigorosas às proibições de circulação, passando pela imposição legal de haver veículos elétricos (em vários mercados), não parece haver grande futuro para o motor de combustão interna.

No entanto, ao contrário do que seria esperar, os últimos anos têm sido pródigos em avanços tecnológicos que estão a conseguir não só elevar a eficiência do motor térmico, como também assistimos à trajetória descendente das suas emissões e consumos.

Taxas de compressão super-elevadas, taxa de compressão variável, novos ciclos de combustão, e até o atingir de um dos “santo graal” do motor de combustão — combustão por compressão num motor a gasolina —, sem esquecer novos desenvolvimento em combustíveis, têm mantido a relevância do motor de combustão interna num mundo automóvel em rápida mudança.

Hoje damos a conhecer mais um avanço tecnológico com o potencial para reduzir o consumo de gasolina e gasóleo dos motores atuais até 30% e as suas emissões em 80%.

Micro-ondas… não é o que estás a pensar

MWI Micro Wave Ignition AG é uma startup alemã que diz ter a tecnologia certa para alcançar esses resultados. Quando falamos em micro-ondas, pensamos automaticamente no eletrodoméstico que nos aquece a comida — obviamente não nos estamos a referir a ele…

Combustão micro-ondas, MWI

Da mesma forma que um micro-ondas usa… micro-ondas — radiação eletromagnética — para aquecer/cozinhar os nossos alimentos, agitando as moléculas de água presentes nestes, também a MWI quer usar pulsos de micro-ondas para ignificar o combustível em vez de recorrer a velas de ignição (gasolina) ou incandescência (Diesel).

Os consumos e emissões descem devido ao facto de a combustão ser mais rápida (gasolina) e ocorrer a uma temperatura inferior, e de acordo com o que já foi verificado em banco de testes, também leva a um aumento de rendimento da motorização.

No caso dos motores a gasolina, a ignição da mistura ar/combustível passa a ocorrer em múltiplos pontos no interior da câmara de combustão e não apenas onde surge a faísca da vela de ignição. Outra das vantagens que a MWI anuncia é o facto de não ser necessário “reinventar a roda” e desenvolver novos motores, já que podemos recorrer aos motores atuais.

Investidores e parcerias de peso

Apesar da patente para esta tecnologia ter sido registada em 2005, a sua viabilidade e possível chegada ao mercado está agora mais próxima, considerando os apoiantes que recentemente ganhou.  Wendelin Wiedeking passou a ser um dos seus principais acionistas — para quem não o conhece, podemos agradecer a ele o ter salvo e recuperado a Porsche, tendo sido o seu CEO entre 1993 e 2009.

A semana passada foi também anunciada uma parceria com a Team Fach Auto Tech, da Porsche Mobil 1 Supercup — o aumento de rendimento por micro-ondas, de acordo com a MWI, é de elevado interesse para o desporto motorizado.

O potencial da tecnologia de micro-ondas é enorme. A MWI Micro Wave Ignition AG procura agora aumentar o seu poder financeiro e já iniciou conversações com construtores sul-coreanos e chineses. Poderá estar à distância de poucos anos vermos esta tecnologia “invadir” os motores de combustão interna?

Sabes responder a esta?
Qual o primeiro modelo a ser equipado com o motor SKYACTIV-X?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Novo Mazda3 é o primeiro a ter o revolucionário motor SKYACTIV-X

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos