Tecnologia

Tecnologia 5G. Porque é que a Audi a quer utilizar?

A Audi, em parceria com a Ericsson, está prestes a tornar-se na primeira marca automóvel a utilizar a tecnologia 5G nas suas fábricas. Porquê?

O acordo, anunciado este ano na sede da Audi, em Ingolstadt, na Alemanha, levou o fabricante automóvel a antecipar uma série de desenvolvimentos em várias áreas de atividade, com o objetivo de explorar as potencialidades do 5G como solução de comunicação no seio da produção automóvel.

Tendo este objetivo no horizonte, especialistas da Audi e da Ericsson iniciaram em agosto uma série de testes no centro tecnológico do “Audi Production Lab” em Gaimersheim, Alemanha.

5G enquanto futuro no domínio da conectividade e produção

O 5G é visto por ambas as companhias como o próximo passo no domínio das comunicações móveis. É capaz de oferecer uma maior e mais rápida experiência de banda larga para os consumidores particulares, ao mesmo tempo que, às empresas, deverá permitir a utilização de novas aplicações e ferramentas, tanto no domínio da conectividade entre veículos, como das fábricas inteligentes.

RELACIONADO: Audi autorizada pelo governo alemão a testar táxis voadores em redor de Ingolstad

A tecnologia deverá ainda, segundo a Audi, oferecer uma panóplia de novas soluções de rede essenciais para o conceito Indústria 4.0, capazes de garantir uma maior flexibilidade e novos processos complexos de produção.

O que é a Indústria 4.0? Este artigo explica tudo o que precisas de saber.

Embora nesta fase visando apenas a unidade de produção de Ingolstadt, a Audi e Ericsson estão a explorar a possibilidade do 5G vir a ser aplicado noutras fábricas do construtor dos quatro anéis

RELACIONADO: Audi PB 18 e-tron. Superdesportivo elétrico diz não à condução autónoma

As vantagens do 5G em ambiente industrial

Entre as potenciais vantagens, está ainda uma mais rápida transferência de dados, maiores capacidades de rede, além de maiores níveis de segurança. Além de, num estado de latência ultra-baixo, permitir respostas mais rápidas entre equipamentos, no sistema produtivo.

Uma fábrica totalmente em rede terá um impacto significativo na produção do futuro. Uma forte arquitetura em rede que consiga responder em tempo real é uma importância decisiva, para nós. Assim e como parte do projeto que mantemos com o nosso parceiro Ericsson, estamos a testar as oportunidades decorrentes da tecnologia 5G em ambiente industrial, numa fábrica inteligente.

Frank Loydl, Chief Information Officer na Audi AG

Simular para evoluir

Em Gaimersheim, será criado, através da aplicação da tecnologia 5G, um ambiente de produção simulado, reproduzindo aquelas que são as condições de trabalho em Ingolstadt e noutras fábricas da marca.

Audi produção
RELACIONADO: Testámos o novo Audi A6 (geração C8) em Portugal. Primeiras impressões

O laboratório será ainda equipado com uma rede da Ericsson “Proof-of-Concept (PoC)”, uma instalação de teste com vista à validação da tecnologia 5G aplicada a este ambiente de trabalho.

A rede será desenhada de forma a poder integrar, no futuro, tecnologias complementares ou alternativas àquelas atualmente em uso, incluindo o WiFi ou o wireless LAN, ou até mesmo o conectividade em rede na produção de componentes.

Sabes responder a esta?
Qual o motor que equipa o Volkswagen Golf R420?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Um Volkswagen Golf R420 a testar no Nürburgring é a esperança que precisávamos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos