Portagens

Volvo XC40 (4×2) passa a ser Classe 1 nas portagens

Após alguns meses de dúvida, o novo Volvo XC40, de duas rodas motrizes, conseguiu, finalmente, ser classificado como Classe 1 nas portagens.

É o SUV mais pequeno do construtor sueco, mas o problema mantém-se. Devido à sua volumetria, revelou-se difícil de conseguir a classificação como Classe 1 nas portagens — mais difícil do que o “irmão” maior XC60. E isto, porque, a frente do Volvo XC40 é mais alta do que a do XC60.

Ser classificado como Classe 2 afetaria, naturalmente e negativamente, a carreira comercial do XC40 por terras lusas, contrastando com o sucesso que se verifica na restante Europa — o exemplo mais gritante? O Opel Mokka, um modelo praticamente inexistente em Portugal, mas um dos SUV/Crossover compactos mais vendidos no continente europeu.

Mas após meses de indefinição, a Volvo Car Portugal, informou, através da sua página de Facebook, que os novos XC40 4×2 passam a ser Classe 1. Os XC40 com tração às quatro permanecem como Classe 2, mas a Volvo Car Portugal procura com a Brisa incluir também essas versões na Classe mais baixa do sistema de portagens.

RELACIONADO: Este é o Volvo XC40 mais barato que podes comprar

Mudança de paradigma, precisa-se

O Volvo XC40 é apenas o mais recente exemplo da inadequação do sistema de classificação de portagens que temos. Foi a razão de carros como o Renault Kadjar, o Dacia Duster ou o Mazda CX-5 terem demorado muito mais tempo a chegar ao nosso país do que noutros mercados.

Nalguns casos obrigou a alterações nos chassis dos veículos, que passou por rebaixá-los, noutros obrigou a novo processo de homologação, elevando o seu peso bruto. Mas considerando o mercado automóvel atual, composto, cada vez mais, por altos crossover e SUV, verifica-se que as exceções são cada vez mais a norma para “encaixar” automóveis ligeiros na Classe 1 nas portagens.

Não será altura de procurar outra forma de classificar os veículos? Seria mais lógico separá-los por peso, até porque o peso acaba por ser o principal fator de impacto na via onde o veículo circula. Não faz sentido que uma mota com pouco mais de 200 kg pague o mesmo que um carro familiar de 1500 kg, e este pagar o mesmo que um SUV de grandes dimensões de 2500 kg, e este pagar o mesmo que um camião de dezenas de toneladas.

 

Sabes responder a esta?
O Rover Streetwise derivava de qual modelo?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te deste? Rover Streetwise
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

Lembras-te deste? Rover Streetwise

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos