Antevisão

Anti-Porsche e anti-Tesla. Esta é a nova Maserati

Se no plano de 2014-1018 assistimos a uma expansão sem precedentes da Maserati, os próximos quatro anos não são menos ambiciosos. Novos modelos e uma forte aposta na eletrificação prometem colocar a marca do tridente sob as luzes da ribalta e a ter como principais alvos a Porsche e a Tesla.

Oito híbridos plug-in, mais quatro propostas 100% elétricas. Eis como a Maserati fará a transição para a mobilidade elétrica, tornando-se assim, até 2022, uma marca não apenas totalmente renovada, como também 100% eletrificada.

O anúncio foi feito, esta sexta-feira, pelo CEO da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Sergio Marchionne, durante a apresentação do novo plano estratégico para o quadriénio 2018-2022. O qual trará, sem dúvida, uma nova era, cheia de novidades, para o construtor de Modena.

Atualmente com uma gama de modelos que, segundo os números agora divulgados pela própria FCA, cobre cerca de 43% do mercado — Levante e Ghibli para o segmento E Premium, Quattroporte para o F, e os GranTurismo e GranCabrio como modelos especializados —, a Maserati pretende, durante os próximos quatro anos, alargar substancialmente essa abrangência.

Maserati-2018-2022

Alfieri, o coupé desportivo de luxo… elétrico

Segundo o plano apresentado, a ofensiva far-se-á com o lançamento de um novo SUV para o segmento D, a apresentação da nova geração do conturbado Levante e a renovação do Ghibli para o segmento E, um novo Quattroporte para o segmento F, e, finalmente, o muito desejado Alfieri, na versão Coupé e Cabrio, enquanto únicas propostas especializadas — isto porque, tanto o GranTurismo, como o GranCabrio, têm desde já morte anunciada!

Maserati Alfieri Elétrico 2018

No que concerne ao Alfieri, as informações agora divulgadas revelam que, tanto o Coupé, como o Cabrio, terão propostas 100% elétricas, a comercializar ao abrigo da futura sub-marca para os veículos elétricos, Maserati Blue. De acordo com o que foi revelado, terá uma nova plataforma modular em alumínio — capaz de receber mecânicas híbridas e totalmente elétricas — onde a marca anuncia uma penalização de apenas 175 kg de peso a mais relativamente a um Alfieri apenas equipado com motor de combustão interna.

A arquitetura elétrica garantirá tração às quatro rodas e vetorização do binário. A aerodinâmica será ativa e as prestações anunciadas estão num patamar elevado: aproximadamente dois segundos para atingir os 100 km/h e uma velocidade máxima acima dos 300 km/h.

Blue, a sub-marca elétrica

A par deste coupé desportivo de luxo e correspondente versão descapotável, existirão mais dois modelos 100% elétricos: o Quattroporte e o Levante. As variantes elétricas chegarão com as próximas gerações de ambos os modelos, que ostentarão uma nova plataforma modular “topo de gama”, marcada não apenas por uma distribuição de pesos perfeita (50:50), mas também pela inclusão, de base, de um sistema de tração integral Q4 dinâmico.

Ainda de acordo com as mesmas informações, os modelos da “divisão” Blue apresentarão uma arquitetura de três motores elétricos — muito provavelmente, na forma de um motor à frente e dois atrás, até para fazer sobressair as sensações de um tração traseira —, tração integral com vetorização do binário, e uma tecnologia de baterias de 800V — similar ao que foi anunciado para o Mission E da Porsche.

Maserati 2018-2022

A Maserati promete ainda “50% mais de potência” (relativamente ao quê, perguntamos nós), com autonomias longas, tempos curtos de carregamento, construção leve e também a prometer o mínimo de intrusão (baterias) no espaço disponibilizado no habitáculo.

A aposta na eletrificação — oito híbridos plug-in e quatro propostas 100% elétricas — significa também um abandono progressivo das motorizações Diesel.

Objetivos ambiciosos

Não faz tanto tempo assim, em 2011, a Maserati vendia tanto ou menos do que a mais exclusiva Ferrari, cerca de 6000 unidades por ano. Apesar do objetivo de 75 mil unidades por ano em 2018, estipulado no plano de 2014, não ter sido alcançado, as 50 mil unidades vendidas em 2017 e previstas para o corrente ano são um salto considerável para a marca italiana.

Quanto ao objetivo estipulado para 2022, é o de dobrar as 50 mil unidades atuais e vender 100 mil unidades por ano, garantindo, também, uma margem de 15%, valor semelhante às que são estimadas para marcas como a Porsche.

RELACIONADO: FCA. As promessas não cumpridas do plano 2014-2018. Será o plano 2018-2022 diferente?

Anti-Porsche e Anti-Tesla

Olhando para os produtos previstos, e a forte aposta na eletrificação, duas marcas surgem como os principais “alvos”: Porsche e Tesla. A Porsche pelo tipo de produtos — dois SUV rivais dos muito bem sucedidos Macan e Cayenne, uma berlina rival do Panamera, e um desportivo que deverá apontar baterias ao incontornável 911.

E a  Tesla pela forte aposta em modelos 100% elétricos — teremos berlinas, SUV e até um desportivo 100% elétrico rival do anunciado Tesla Roadster. As palavras do líder da Maserati são claras.

Do ponto de vista do portefólio, pode parecer que a Maserati está a fazer pontaria à Porsche. Pode parecer que estamos a fazer pontaria à Tesla.

Tim Kuniskis, gestor das marcas Maserati e Alfa Romeo

 

 

Sabes responder a esta?
Em que ano termina o período experimental das matrículas digitais na Califórnia?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Califórnia inaugura chapas de matrícula digitais

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos