Motor

Quando é que devo substituir as velas de ignição do motor?

As velas de ignição são um componente essencial não só para o bom rendimento do motor, como para manter a boa saúde de vários componentes.

As velas de ignição são o que permitem ignificar a mistura ar/combustível na câmara de combustão por meio de uma faísca elétrica. Não esperes pelos primeiros sinais de alarme para trocá-las. Regra geral, no manual do carro vem estipulado o prazo de manutenção das velas do motor em função de uma determinada quilometragem, valor esse que varia consoante o veículo.

Contudo, em grande parte dos manuais existe também uma recomendação para reduzir a utilização para metade caso o veículo seja submetido a uso intensivo em cidade — afinal de contas, quando o veículo está parado no trânsito, o motor continua em funcionamento. Por outras palavras, se o fabricante recomendar a troca das velas a cada 30 000 km, as mesmas devem ser substituídas a cada 15 000 km.

Porque é que é tão importante antecipar o desgaste das velas?

Para além da perda de rendimento e potencial aumento do consumo de combustível, as velas desgastadas podem comprometer o catalisador e o sensor de oxigénio, reparações dispendiosas para a carteira e que podem ser evitadas. Em caso de dúvida, recomenda-se a inspeção das velas todos os anos ou a cada 10 000 km.

RELACIONADO: As 7 razões para o teu carro estar a perder potência

O ideal é procurar um mecânico ou algum especialista da tua confiança, que saberá dizer-te se as velas podem ou não ser usadas por mais algum tempo. Caso queiras ser tu próprio a trocar as velas, é possível fazê-lo — é uma operação relativamente fácil, tudo depende dos teus dotes de mecânica (as gerações que outrora andavam de “DT 50 LC” e “Zundapp” não deverão encontrar grandes dificuldades).

A troca deve ser feita ainda com o motor frio e deves ter cuidado para não danificar as roscas da cabeça do motor.

Velas de Ignição
Se as tuas velas chegaram a este estado, não temos boas notícias para ti

E os Diesel?

Tudo o que aqui foi dito vale para os motores a gasolina, que dependem da ignição das velas para que haja combustão. Já no caso dos motores Diesel, o caso muda de figura. Apesar destes também usarem velas, estas são de pré-aquecimento.

O principio de funcionamento do motor Diesel é diferente — a combustão do gasóleo dá-se por compressão na câmara de combustão e não por faísca. Daí que os problemas nas velas sejam mais críticos e recorrentes nas motorizações a gasolina.

VÊ TAMBÉM: Tecnologia SPCCI. A derradeira evolução do motor de combustão?

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos