Novo Porsche 911 GT3 RS (992) é quase um carro de competição com matrícula

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Novo Porsche 911 GT3 RS (992) é quase um carro de competição com matrícula

E aqui está ele, o novo 911 GT3 RS (992), a expressão mais radical do Porsche 911 e que já se pode encomendar em Portugal.

Há melhor forma de celebrar o 50.º aniversário do icónico 911 2.7 RS do que com a revelação de uma nova geração do devastador Porsche 911 GT3 RS (992)?

As primeiras imagens oficiais do mais radical dos 911 impressionam, mesmo depois de nos últimos meses ter sido uma presença algo regular na estrada enquanto decorriam os seus testes de desenvolvimento.

E se os protótipos de teste destacavam-se desde logo pela presença da «mãe de todas as asas», o impacto desse elemento não se perdeu com esta primeira revelação.

Porsche 911 GT3 RS

Olhem simplesmente para ela…

Pela primeira vez na história do 911 ou em qualquer outro Porsche de estrada a extremidade superior da asa traseira encontra-se num nível mais alto que o tejadilho.

Tal como já vimos no 911 GT3, a mega-asa traseira do 911 GT3 RS assenta num suporte tipo “pescoço de ganso”, que segura a asa pela sua parte superior e não inferior.

São, efetivamente, duas asas, uma principal fixa e uma superior de ajuste hidráulico, e a sua dimensão reflete-se nos valores de sustentação negativa (downforce).

Porsche 911 GT3 RS traseira
A enorme asa traseira é uma das principais responsáveis pelos 860 kg de downforce.

Juntamente com a ação de outros elementos aerodinâmicos — alguns deles ativos na dianteira e traseira — o novo Porsche 911 GT3 RS pode gerar até 860 kg de downforce a 285 km/h.

A 200 km/h já é capaz de gerar 409 kg de downforce, o que é mais do dobro que o seu antecessor (991.2) conseguia e é o triplo do que o atual 911 GT3 é capaz de gerar.

DRS

Tal é a quantidade de downforce gerada que a Porsche estreou pela primeira vez num modelo de produção um sistema de redução de carga aerodinâmica, identificado pelo acrónimo DRS (Drag Reduction System), para reduzir a resistência aerodinâmica a velocidades elevadas nas retas dos circuitos.

Porsche 911 GT3 RS
DRS está acessível através de um botão no volante.

Acessível através de um botão no volante, quando o DRS é ativado, ativa uma abertura na asa traseira capaz de reduzir a carga aerodinâmica e assim potenciando maiores velocidades de ponta em circuito.

Pelo contrário, esta flexibilidade permite também que estes elementos aerodinâmicos ativos façam também de travão aerodinâmico.

A função “airbrake” é ativada nas travagens de emergência a altas velocidade, regulando ao máximo os vários elementos aerodinâmicos à frente e atrás, maximizando a desaceleração aerodinâmica e apoiando a travagem.

Adeus bagageira

Os elementos aerodinâmicos dianteiros ativos só foram possíveis pelo facto do novo Porsche 911 GT3 RS (992) dispensar os três radiadores dianteiros usados nos antecessores e usar apenas um radiador central de grandes dimensões, como nos 911 de competição — estreado pelo 911 RSR (que venceu Le Mans na sua classe) e usado também pelo 911 GT3 R.

Porsche 911 GT3 RS

O novo radiador central fica a ocupar o espaço onde costuma estar a bagageira dianteira dos 911 e por isso mesmo, o GT3 RS não tem espaço para bagagens.

Boxer de seis cilindros ainda mais potente

Mantendo-se fiel à tradição, o 911 GT3 RS (992) vem com um seis cilindros boxer naturalmente aspirado com 4,0 l de capacidade, a mesma unidade já vista do GT3.

Porsche 911 GT3 RS

Aqui passa a debitar 525 cv, mais 15 cv que no GT3. O acréscimo de cavalos foi conseguido graças a novas árvores de cames com perfis modificados, enquanto o sistema de admissão e o “rigid valve drive” derivam diretamente da competição.

Para conseguir os tempos mais rápidos em circuito, o GT3 RS recorre à rápida PDK (dupla embraiagem) de sete velocidades usada no GT3, mas aqui apresenta-se com escalonamento mais curto, maximizando a aceleração — a Porsche anuncia 3,2s até aos 100 km/h e uma velocidade máxima de 296 km/h.

Porsche 911 GT3 RS escapes

Parar todo o ímpeto do 911 GT3 RS está a cargo de um sistema de travagem composto por discos enormes de 408 mm de diâmetro à frente e 380 mm atrás. À frente temos pinças monobloco em alumínio com seis êmbolos (diâmetro dos êmbolos passou de 34 mm no GT3 para 36 mm no GT3 RS) e atrás pinças fixas de quatro êmbolos.

Em opção temos o sistema de travagem Porsche Ceramic Composite Brake (PCCB), com os discos a aumentar para 410 mm de diâmetro à frente e 390 mm atrás.

Ajustar tudo, até o ressalto e compressão dos amortecedores

A suspensão dianteira passa a obedecer a um esquema de duplos triângulos, mas como os guarda-lamas são aqui sujeitos a intensos fluxos de ar (apesar de «ventilados»), os triângulos adotam um perfil em forma de lágrima para não perturbar a eficácia aerodinâmica.

Porsche 911 GT3 RS jantes
Jantes de 20″ à frente, mas os discos de 410 mm em cerâmica-carbono conseguem preencher quase todo o espaço.

O esquema dianteiro da suspensão é herdado diretamente da competição, para melhor lidar com os 40 kg adicionais de downforce à velocidade máxima que o eixo dianteiro tem de suportar. Atrás há um esquema multibraços que recebeu novas molas que obrigou a ajustar as taxas de compressão.

O eixo traseiro direcionável e os sistemas de assistência ao condutor foram reajustados para uma configuração mais dinâmica e a suspensão pode ser ajustada a partir do interior contando com três modos de condução: “Normal”, “Sport” e “Track”.

Porsche 911 GT3 RS jantes

No modo “Track” as várias configurações podem ser ajustadas individualmente — até o ressalto e compressão dos amortecedores pode ser ajustado separadamente e em várias fases.

VEJAM TAMBÉM: Até mais 50 km de autonomia no Porsche Taycan com atualização de software

O que é possível de ajustar no 911 GT3 RS não acaba aqui, pois o diferencial traseiro pode ser ajustado num comando rotativo presente no volante

O diferencial traseiro também pode ser ajustado através de um comando rotativo no volante.

Só falta referir que sendo homologado para circular também na via pública, o novo Porsche 911 GT3 RS (992) traz de série pneus 275/35 R20 à frente e 335/30 R21 atrás.

1450 kg

Graças a uma construção que inclui vários elementos em fibra de carbono (CFRP) — bacquets integrais, portas, elementos aerodinâmicos dianteiros, tejadilho e capô — o novo Porsche 911 GT3 RS fica-se pelos 1450 kg (DIN), apenas 15 kg mais que o mais civilizado 911 GT3.

Pacote Weissach, ainda mais radical

Disponível como opção o pacote Weissach carrega ainda mais numa aparência digna de um carro de competição assim como adiciona elementos que encontraríamos num.

No campo da aparência o capô, tejadilho e partes da asa traseira passam a mostrar o padrão texturado da fibra de carbono.

Porsche 911 GT3 RS frente

Por outro lado adiciona novas barras estabilizadoras, tirantes da suspensão e o painel do eixo traseiro feitos em fibra de carbono (CFRP). Também a célula de segurança passa a ser em fibra de carbono ao invés da em aço que vem com o pacote Clubsport, o que ajuda a poupar 6 kg.

Também mais leves são as jantes em magnésio forjado (opcionais) que podem equipar o novo 911 GT3 RS (992) que poupam 8 kg em massas não suspensas.

Porsche 911 GT3 RS

Por fim, o pacote Weissach dá-nos novas patilhas posicionadas atrás do volante para a transmissão PDK com tecnologia derivada da competição. A Porsche diz terem um ponto de pressão mais preciso e um clique mais perceptível.

Quanto custa?

O novo Porsche 911 GT3 RS (992) já está disponível para encomenda em Portugal com o preço a começar nos 291 833 euros.

Mais artigos em Notícias