Volvo Cars. Resultados financeiros sólidos mesmo com vendas em baixa

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado

Volvo Cars. Resultados financeiros sólidos mesmo com vendas em baixa

A Volvo Cars anunciou hoje os resultados financeiros do segundo trimestre, que se revelaram sólidos, apesar das crises que assolam a indústria.

Numa conferência realizada hoje e à qual a Razão Automóvel pôde assistir, a Volvo Cars deu a conhecer os resultados financeiros do segundo trimestre de 2022.

Os números não enganam e os efeitos das crises que afetam a indústria automóvel — a escassez de semicondutores, os confinamentos na China devido ao Covid e as disrupções nas cadeias de abastecimento — refletem-se nos números apresentados pelo construtor escandinavo.

Entre abril e junho de 2022 a Volvo Cars vendeu 143 006 automóveis, menos 27% do que no período homólogo de 2021. Contudo, já há sinais de recuperação, como é demonstrado pelo aumento de produção verificado em junho de 8%, chegando aos 60 mil veículos, o valor de produção mensal mais alto alcançado em 2022 pela marca sueca.

VEJAM TAMBÉM: Volvo e Stellantis vão sair da Associação Europeia de Construtores Automóveis. Porquê?
Volvo Cars gama

Finanças ressentem-se menos

Apesar da quebra de 27% nas vendas no segundo trimestre de 2022, as receitas caíram apenas 2%, fixando-se nos 71,3 mil milhões de coroas suecas, cerca de 6,8 mil milhões de euros.

De acordo com a Volvo Cars, as receitas ressentiram-se menos do que as vendas devido a um ajuste nos preços e a um mix favorável de vendas — deu-se prioridade às versões e modelos de maior rentabilidade.

Assim, apesar da quebra de vendas, registaram-se lucros no segundo trimestre de 2022, que se fixaram nos 4,6 mil milhões de coroas suecas (cerca de 439 milhões de euros), o que corresponde a uma margem de lucro de 6,5%.

VEJAM TAMBÉM: Testámos o mais potente dos Volvo C40 Recharge (408 cv). Convenceu?

Se a estes valores juntarmos os números das joint ventures e associados da Volvo Cars (entre os quais se inclui a Polestar), os lucros sobem para os 10,8 mil milhões de coroas suecas (1,03 mil milhões de euros) e a margem de lucro fixa-se nos 15,1%.

Modelos eletrificados continuam a crescer

No segundo trimestre do ano a Volvo Cars viu as vendas dos modelos com o «selo» Recharge (elétricos e híbridos plug-in) representaram 31% das vendas totais. Como ponto de comparação, no mesmo período de 2021, estes tinham correspondido a 24%.

A Volvo Cars disse que este valores podiam ter sido ainda maiores se não fossem as restrições sentidas em mercados como o chinês, com os seus modelos 100% elétricos a terem correspondido a 7,3% do total das vendas entre abril e junho.

Previsões

Quanto ao resto de 2022, a Volvo Cars mostra-se confiante na estabilização das cadeias de abastecimento, razão pela qual aponta para um crescimento progressivo das vendas nos próximos meses.

Aliás, a confiança nessa recuperação é tal que a Volvo Cars projeta que em 2022 venha a produzir mais automóveis e a alcançar melhores resultados do que em 2021.

A única exceção, segundo as projeções do construtor sueco, deverá estar no número total de vendas, que deverão ser iguais ou ligeiramente inferiores às registadas em 2021. Tal discrepância deve-se ao tempo que decorre entre a produção e a entrega dos veículos aos clientes.

Sabe responder a esta?
Qual é a potência máxima combinada do Volvo XC60 T6 Recharge?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Conduzimos o Volvo XC60 T6 Recharge. Ainda em forma ou já a acusar a idade?

Mais artigos em Notícias