Pagani Huayra Codalunga. Cinco unidades a sete milhões de euros cada e já esgotou

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Pagani Huayra Codalunga. Cinco unidades a sete milhões de euros cada e já esgotou

A Pagani acaba de apresentar o Huayra Codalunga, uma versão mais longa do hipercarro da marca italiana. Custa sete milhões de euros.

A Pagani acaba de mostrar a sua mais recente criação, denominada Huayra Codalunga. E tal como o nome sugere, trata-se da versão de “cauda longa” do hiperdesportivo da marca com sede em San Cesario sul Panaro, em Itália.

E se este Huayra tão especial existe isso deve-se ao pedido específico de dois clientes da fabricante italiana, que levaram a que a Pagani desse luz verde ao projeto, através do seu departamento Grandi Complicazioni, dedicado aos projetos one-off e às séries especiais da marca italiana.

Mas apesar de só estar a ver a luz do dia agora, estes clientes — que estiveram diretamente envolvidos em todo o projeto — começaram por falar com o próprio Horacio Pagani ainda em 2018.

A NÃO PERDER: Pagani Huayra R. O antídoto contra hipercarros elétricos
Pagani Huayra Codalunga

E o pedido foi, na verdade, bastante simples: criar uma versão long tail ou cauda longa do Huayra Coupé, inspirada nos protótipos de traseira longa que correram em Le Mans da década de 60 do século passado.

Esculpido pelo vento

“Usámos o estilo simples e linear do Huayra Coupé como ponto de partida. Fizemos o Huayra Codalunga mais comprido e mais suave, quase como se tivesse sido esculpido pelo vento, para desenhar linhas ainda mais elegantes do que no coupé”, afirmou Horacio Pagani, fundador da empresa.

Inspirado pelo desenho de aviões, tal como acontecia com as criações feitas pelas carroçadoras nos anos 60, o Huayra Codalunga conta com uma eficiência aerodinâmica superior ao Huayra que já conhecíamos.

Contudo, mantém alguns elementos aerodinâmicos ativos, que abrem e fecham de acordo com com cada situação.

Pagani Huayra Codalunga
O alongado volume traseiro é aqui mais que evidente. Só a cobertura do motor é 360 mm mais comprida.

A somar a isso, e graças ao recurso a materiais compósitos avançados, este hipercarro pesa apenas 1280 kg — menos 70 kg que o Huayra Coupé que declara 1350 kg. O sistema de escape, por exemplo, é todo feito em titânio (com cobertura cerâmica) e pesa apenas 4,4 kg.

LEIAM TAMBÉM: A história de Horacio Pagani e o gigantesco «melão» da Lamborghini

Animado por um V12, pois claro

Quanto ao motor, e como manda a tradição na «casa» italiana, trata-se de um 6.0 V12 biturbo de origem AMG que entrega 840 cv de potência e 1100 Nm de binário máximo.

A Pagani ainda não divulgou as performances que este Codalunga é capaz de alcançar, mas a avaliar por estes números podemos antecipar que será rápido. Muito rápido.

Pagani Huayra Codalunga
O «coração» do Pagani Huayra Codalunga, um poderoso (e musical) motor V12.

E o preço?

Deixámos o «pior» para o fim. É que a marca transalpina já fez saber que só vai construir cinco exemplares deste Pagani Huayra Codalunga, e como seria de prever já estão todos reservados, apesar do preço começar nos sete milhões de euros (sem impostos).

Sabe responder a esta?
Em qual destes construtores Horacio Pagani esteve antes de fundar a Pagani?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

A história de Horacio Pagani e o gigantesco «melão» da Lamborghini

Mais artigos em Notícias