Opel Vivaro e-Hydrogen «casa» pilha de combustível a hidrogénio com bateria de iões de lítio

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Opel Vivaro e-Hydrogen «casa» pilha de combustível a hidrogénio com bateria de iões de lítio

Equipado com uma pilha de combustível e uma bateria de iões de lítio, o Opel Vivaro e-Hydrogen junta «o melhor de dois mundos».

Anunciado há cerca de um ano, o primeiro furgão a hidrogénio da Opel é agora uma realidade com a revelação do Opel Vivaro e-Hydrogen.

Produzido em Rüsselsheim, o comercial germânico está disponível em dois comprimentos L2 e L3 (4,95 m e 5,30 m), oferece um volume de carga máximo de 6,1m3, uma carga útil de 1000 kg e uma capacidade de reboque de 1000 kg.

Apesar de já integrar a frota da Miele — um fabricante alemão de eletrodomésticos — o Opel Vivaro e-Hydrogen ainda não tem preço nem data prevista para a sua chegada ao mercado nacional.

A NÃO PERDER: Quantos veículos “fuel cell” a hidrogénio foram vendidos em 2021?
Opel Vivaro e-Hydrogen

Duas formas de ser elétrico

Baseado no Vivaro-e, a versão 100% elétrica a baterias do furgão alemão, o novo Vivaro e-Hydrogen viu a bateria do Vivaro-e ser trocada por três depósitos de hidrogénio, de 700 bar, com uma capacidade de 4,4 kg.

Graças a isto oferece uma autonomia de até 400 km e pode ser reabastecido em apenas 3 minutos, ou seja, num tempo equivalente ao necessário para atestar as versões com motor de combustão interna.

O mais curioso é que apesar de contar com a pilha de combustível de 45 kW, o novo Vivaro e-Hydrogen não abdicou por completo das baterias de iões de lítio: tem uma com 10,5 kWh de capacidade debaixo dos bancos dianteiros.

Opel Vivaro e-Hydrogen
Bastam 3 minutos para atestar o Vivaro e-Hydrogen, bem menos do que o tempo necessário para carregar as baterias de um elétrico.

Esta proporciona uma potência de pico sempre que necessário (por exemplo, nos arranques e em aceleração), permitindo que a pilha de combustível opere em condições de funcionamento ideais.

Ainda mais interessante é o facto desta bateria poder ser recarregada como acontece nos carros elétricos (ou nos híbridos plug-in), oferecendo uma autonomia de 50 km sem que seja necessário recorrer à pilha de combustível.

Equipado com travagem regenerativa, um carregador trifásico (11 kW) e um cabo de carregamento de modo 2, o Opel Vivaro e-Hydrogen acaba por ser uma espécie de híbrido plug-in sem contar com um motor de combustão interna.

Sabe responder a esta?
Qual era o consumo anunciado do Opel Corsa Eco 3?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Corsa Eco 3. O «rei dos consumos» que a Opel não produziu

Mais artigos em Notícias