MÁQUINA. GR Corolla com mais de 300 cv, tração às quatro e caixa manual

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

MÁQUINA. GR Corolla com mais de 300 cv, tração às quatro e caixa manual

Aí está ele. O Toyota GR Corolla foi revelado esta madrugada e é tudo o que foi prometido… mas não vem para a Europa.

Depois do fantástico GR Yaris e a pedido de muitas «famílias»… norte-americanas, a Toyota transformou o «inofensivo» Corolla num agressivo hot hatch, o GR Corolla.

Do GR Yaris herdou toda a cadeia cinemática: o motor de três cilindros G16E-GTS, a transmissão às quatro rodas (ajustável) e a caixa manual de seis velocidades, mas traz argumentos reforçados.

O 1.6 Turbo vê a potência dar um salto dos 261 cv para uns mais encorpados 304 cv, enquanto o binário dá um salto mais discreto de 360 Nm para os 370 Nm.

TÊM DE VER: Toyota GR Corolla tem três saídas de escape para apenas três cilindros. Porquê?
Toyota GR Corolla

O aumento de potência é justificado pelo novo sistema de escape, com três saídas — a là Civic Type R — que reduz a contrapressão dos gases de escape, um novo sistema de arrefecimento a óleo, válvulas de escape de maiores dimensões e portas de admissão parcialmente maquinadas.

Reforçado, mas sem lastro desnecessário

Ainda não foram anunciados números oficiais acerca da performance do GR Corolla, mas sabemos quanto pesa este hot hatch: 1474 kg.

Um valor ligeiramente abaixo do Subaru WRX — que promete ser um dos seus mais sérios rivais nos EUA —, e também abaixo do Volkswagen Golf R, que compensa os quilos a mais com mais potência e binário.

Menos de 1500 kg não deixa de ser um valor muito bom nos dias de hoje — é «apenas» 86 kg mais pesado que o Corolla «normal» americano —, apesar da equipa de desenvolvimento ter reforçado a carroçaria do Corolla para lidar com o aumento brutal de performance.

O número de pontos de solda é substancialmente superior, assim como o uso de adesivos estruturais foi aumentado para aumentar a rigidez da carroçaria. Em contraponto, o capô e as portas dianteiras passam a ser em alumínio.

Toyota GR Corolla

«Colado» ao asfalto

As ligações ao solo fazem-se através de um esquema MacPherson à frente e duplos triângulos sobrepostos atrás, com novos conjuntos de molas e amortecedores afinados em circuito, assim como as barras estabilizadoras.

O sistema AWD do GR Corolla permite a mesma ajustabilidade que no GR Yaris. No modo “Normal” a distribuição de força é de 60:40, no modo “Sport” o eixo traseiro sai beneficiado com uma distribuição de 30:70, enquanto no modo “Track”, para a maior eficácia possível, a distribuição é de uns equitativos 50:50.

Se se optar pelo Performance Package — ou pela edição especial Circuit Edition —, o GR Corolla ganha um par de diferenciais autoblocantes (um por eixo).

O contacto com o solo é feito, finalmente, através de Michelin Pilot Sport 4 que envolvem jantes de 18″ de tom preto brilhante.

Parar este hot hatch é uma missão para o reforçado sistema de travagem que passa a ser composto por discos ventilados à frente de 356 mm com pinças em alumínio de quatro pistões, enquanto atrás têm 297 mm e pinças de alumínio de dois pistões.

GR Corolla Circuit Edition

A nova «bomba» da Toyota Gazoo Racing inicia a sua comercialização nos EUA no próximo mês de setembro e durante um ano será encimada por uma edição especial: o GR Corolla Circuit Edition.

Esta edição especial traz alguns «mimos» adicionais. Não só vem equipada com itens do Perfomance Package, como se distingue por fora pelo capô com uma bossa e duas saídas de ar, pelo teto em fibra de carbono e spoiler traseiro específico.

Toyota GR Corolla

Por dentro ganha revestimentos em suede (parecido com camurça) e pele, detalhes em tom vermelho e um manípulo da caixa assinado por Akio Toyoda, o presidente da Toyota, sob o seu pseudónimo usado em competição “Morizo”.

Não vem para a Europa

O Toyota GR Corolla será produzido ao lado do GR Yaris na mesma fábrica em Motomachi, no Japão.

As más notícias é que não está previsto vermos este «monstro» de Corolla na Europa. O GR Corolla foi feito a pensar especialmente nos norte-americanos, que não tiveram acesso GR Yaris, apesar dos muitos pedidos.

Mais artigos em Notícias