Renault antecipa protótipo com motor de combustão a hidrogénio

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Antevisão

Renault antecipa protótipo com motor de combustão a hidrogénio

Para já ainda pouco se sabe sobre este protótipo da Renault, mas a marca francesa avança que vai contar com um motor a hidrogénio.

Antecipado à margem da apresentação de resultados da marca francesa, este protótipo da Renault ainda não tem uma designação oficial, mas já se sabem algumas coisas sobre ele.

Desenhado sob a direção do novo diretor de design da Renault, Gilles Vidal, e com revelação marcada para maio de 2022, este protótipo “faz parte do objetivo recentemente anunciado de atingir um mix de energia 100% elétrica até 2030“.

Sobre este protótipo, o diretor executivo da Renault, Luca De Meo, começou por afirmar: “Em breve vamos lançar um protótipo. Queríamos materializar a nossa visão de sustentabilidade baseada em três pilares — segurança, inclusão e meio ambiente — num só produto”.

A NÃO PERDER: Renault quer ser 100% elétrica em 2030, mas…
Luca DE MEO
Luca de Meo, diretor executivo do Grupo Renault.

O mais interessante é que de acordo com Luca De Meo, este protótipo dará origem a um modelo de produção, ressalvando “Quando fazemos protótipos na Renault, queremos transformá-los em carros reais”.

Hidrogénio como combustível

Apesar de a Renault afirmar que este protótipo é parte integrante do seu objetivo de eletrificação, não deixa de ser intrigante que se apresente com um motor a hidrogénio.

E não, não se trata de um veículo elétrico equipado com um sistema fuel cell ou de pilha de combustível a hidrogénio como acontece, por exemplo, com o veículo comercial da Renault, a Master Van H2-TECH. Nesta, o hidrogénio armazenado num tanque de alta pressão reage com o oxigénio do ar, o que gera a energia elétrica de que o motor elétrico necessita (energia essa que fica armazenada numa bateria).

No caso do novo protótipo da Renault, este está equipado com um motor de combustão interna que ao invés de usar gasolina como combustível recorre ao hidrogénio.

Uma solução que já vimos antes, que está a ser colocada em prática por vários construtores.

Destaca-se a Toyota que já competiu com um Corolla com um motor a hidrogénio e mostrou um protótipo do GR Yaris que também queima hidrogénio e não gasolina.

A Lexus seguiu o exemplo da casa-mãe, mostrando o ROV, um protótipo de um buggy (UTV) equipado com um motor de combustão interna que funciona também a hidrogénio.

Também a Yamaha está a apostar nesta tecnologia, tendo recentemente apresentado um motor V8 (do Lexus RC F) que queima hidrogénio em vez de combustíveis fósseis. Por fim, também a Deutz AG mostrou um motor de ciclo Diesel que queima hidrogénio em vez de gasóleo.

Sabe responder a esta?
Qual era a velocidade máxima do Renault 21 Turbo?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Renault 21 Turbo. Em 1988 era o carro MAIS RÁPIDO DO MUNDO sobre o gelo

Mais artigos em Notícias