BMW: "Estamos a trabalhar numa nova geração de motores de combustão"

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Motores de Combustão

BMW: “Estamos a trabalhar numa nova geração de motores de combustão”

Os novos motores de combustão em desenvolvimento na BMW são a gasolina e Diesel, com seis e oito cilindros.

Temos visto a maioria dos construtores automóveis marcarem no calendário as datas em que se livrarão, de uma vez por todas, dos motores de combustão para abraçar apenas o motor elétrico; mas não a BMW.

Pelo contrário, Frank Weber, diretor de desenvolvimento do construtor bávaro, disse, em entrevista à publicação alemã Auto Motor und Sport, que estão a desenvolver a próxima geração de motores de seis e oito cilindros, tanto a gasolina como gasóleo.

Isto apesar de outros, incluindo os seus rivais premium, terem já anunciado o fim do desenvolvimento de motores de combustão interna, mantendo os atuais o tempo que for preciso, adaptando-os apenas aos requisitos regulamentares das normas de emissões.

TÊM DE VER: Dos mais desejados aos mais controversos. Os novos BMW para 2022
Frank Weber, diretor de desenvolvimento BMW
Frank Weber, diretor de desenvolvimento da BMW.

A BMW, porém, ainda não considera que estamos na altura certa para parar o desenvolvimento dos motores de combustão.

Como Frank Weber refere na entrevista, “ainda precisamos de motores de combustão de última geração por mais uns anos para efetivamente reduzir as emissões de CO2 dos automóveis de passageiros globalmente”.

Os novos motores de combustão da BMW

Pelo pouco que Weber deixa a entender na entrevista sobre esta nova geração de motores, os blocos dos seus motores de seis e oito cilindros até poderão transitar para a nova geração, com a grande novidade a estar na cabeça do motor.

Motor V8 biturbo
V8 do BMW M5 CSL.

Sobre isto, Frank Weber diz que haverá “algo totalmente novo na cabeça do cilindro. E com isso vamos chegar ainda mais longe no que toca a eficiência”.

"No motor de seis cilindros apenas, estamos a reduzir as emissões de CO2 em maior quantidade do que alguma vez foi conseguido com uma nova geração."

Frank Weber, diretor de desenvolvimento BMW

Mas não se trata só de eficiência e reduzir as emissões, pois a performance não foi esquecida, com Weber a dizer que o facto de os regulamentos das emissões estarem a caminhar na direção de um padrão global tem ajudado também na reconciliação dos requisitos regulamentares (menos emissões) e dos desejos dos clientes (performance).

Mas eletrificação continua

Apesar dos esforços da BMW no desenvolvimento do motor de combustão, a eletrificação é para continuar.

BMW i7 fotos-espia
BMW i7

Este ano veremos o novo i7 (o Série 7 elétrico), o iX1 (X1 elétrico), com o inédito i5 (Série 5 elétrico) já em desenvolvimento. A aposta nos híbridos plug-in também é para continuar nesta fase de transição para uma mobilidade elétrica, com Weber a dar a entender que veremos a autonomia destes subir para valores entre os 80 km e os 100 km, como já vimos na arquirrival Mercedes-Benz.

VEJAM TAMBÉM: BMW 420d Gran Coupé (190 cv) testado. Será que é mesmo preciso mais?

O próximo grande passo na eletrificação da BMW acontecerá em 2025, com a revelação da Neue Klasse — Nova Classe, em alusão à nova família de modelos lançada em 1962 que, basicamente, estabeleceu as fundações da BMW tal como hoje a conhecemos.

fotos-espia BMW iX1
BMW iX1 © Razão Automóvel

A nova… Nova Classe assumir-se-á como uma nova base modular, essencialmente elétrica (mas que poderá continuar a receber, ao que tudo indica, motores de combustão), que tomará o lugar das atuais FAAR (arquitetura de tração dianteira) e CLAR (arquitetura de tração traseira). Será, mais que uma plataforma, uma matriz de componentes.

Fonte: Auto Motor und Sport

Mais artigos em Notícias