Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

O último Audi com motor de combustão será lançado em 2025, mas…

… deverá haver exceções, como na China. O último Audi com motor de combustão será um SUV e após isso todos os novos Audi serão elétricos.

São vários os construtores que já marcaram no calendário o dia em que vão dizer adeus ao motor de combustão interna e focar-se apenas e só nos motores elétricos; a Audi não é diferente.

Foi durante o primeiro dia dos Audi Media Days, ao abrigo do plano “Vorsprung 2030”, que ficámos a saber em mais detalhe não só como o motor de combustão interna será gradualmente eliminado, como sobre o futuro em que a Audi quer chegar a 2030 como um líder tecnológico, social e sustentável.

O veículo elétrico, e mais tarde o veículo autónomo, são pilares essenciais na marca para atingir essa meta, à volta dos quais será desenvolvido um ecossistema digital, que promete trazer valor acrescentado para o cliente e a continuação da ambição da marca em crescer de forma lucrativa.

TÊM DE VER: Audi skysphere. No futuro elétrico e autónomo da Audi ainda podemos conduzir
Silja Pieh, chefe estrategia audi
Silja Pieh, chefe de estratégia na Audi

Segundo Silja Pieh, a chefe de estratégia da Audi, algumas previsões são óbvias: “as vendas e lucros (do construtor) vão mudar gradualmente, por exemplo, inicialmente de veículos com motor de combustão interna para veículos elétricos e, mais tarde, quando a condução autónoma for capaz de oferecer mais potencial de crescimento, para software e serviços.

2025. O último Audi com motor de combustão vai ser lançado

Assim, nesta fase da sua transformação, será o motor de combustão o primeiro a sair de cena, com a Audi a anunciar o ano de 2025 para o lançamento do seu último modelo equipado com um motor de combustão interna.

Ao que consta, esse modelo terá como destino principal o mercado norte-americano e fará parte da família de modelos “Q” da marca, ou seja, é o mesmo que dizer que será um SUV.

A partir de 2026, assim, todos os novos Audi lançados serão 100% elétricos. Tendo em consideração o ciclo de vida de um modelo, será em 2033 que veremos o último Audi com motor de combustão interna sair da linha de produção.

Audi Q4 elétricos
Audi Q4 é o mais recente elétrico da marca a chegar ao mercado. Não faltam muitos anos para todos os Audi serem elétricos.

No entanto, apesar de ainda estarmos a quatro anos de distância da revelação desse novo modelo e a 12 anos de distância do fim dos Audi com motores de combustão interna, não é de esperar que sejam desenvolvidos novos motores de combustão interna.

VEJAM TAMBÉM: RS Q e-tron. A nova arma elétrica (e a combustão) da Audi para o Dakar 2022

A Audi continuará a evoluir os motores atuais para estarem em conformidade com todos os regulamentos e normas. Como Markus Duesmann, diretor executivo da Audi, referiu há tempos, não faz sentido desenvolver novos motores de combustão interna com a chegada prevista da desafiante norma Euro 7 — poderá provocar, inadvertidamente, o acelerar da morte do motor de combustão interna.

A excepção

Apesar do futuro automóvel ser decididamente elétrico, o que se constata é que a eletrificação do automóvel acontecerá em momentos distintos dependendo da região do planeta em que estamos.

Audi skysphere concept
Audi Skysphere concept

Por isso, apesar da Audi já ter marcado no calendário o dia em que o motor de combustão interna deixará de fazer parte do seu portfólio, não acontecerá em simultâneo em todos os mercados onde atua. A grande exceção, para a Audi, será o mercado chinês.

A China (maior mercado automóvel do mundo), juntamente com a Europa, têm estado na linha da frente em matéria de eletrificação do automóvel, mas a Audi prevê um prazo de vida alongado para o motor de combustão interna por lá.

VEJAM TAMBÉM: e-tron S Sportback com 3 motores e 503 cv. O que vale o primeiro Audi “S” elétrico?

A marca alemã deverá continuar a oferecer modelos com motores de combustão interna na China ao longo da década de 30 e o mesmo poderá acontecer num ou outro mercado específico.

Mais artigos em Notícias