Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 24 109 euros

Testámos o FIAT Tipo Cross. A versão com melhor relação qualidade/preço?

Foi uma das maiores novidades da renovação do modelo e nós já lhe deitámos as mãos: eis o novo Fiat Tipo Cross com motor 1.0 a gasolina.

O Fiat Tipo foi alvo do habitual restyling de meia idade no início deste ano e além de receber um reforço tecnológico, uma nova motorização e retoques visuais, ainda passou a contar com uma inédita versão Cross.

Com um ar mais aventureiro e capaz de «piscar o olho» aos fãs dos SUV/Crossover, o Tipo Cross chega com vontade de repetir o êxito comercial do Tipo «normal», sobretudo junto dos clientes mais novos.

Mas será que a maior altura ao solo e o visual mais robusto chegam para esta variante se destacar? Após quatro dias com ele, dou-vos uma resposta nas próximas linhas.

A NÃO PERDER: Fiat Uno Turbo nacional foi vendido por quase 15 mil euros nos EUA
Fiat Tipo Cross
Na traseira, destacam-se os novos faróis em LED e as proteções ao nível do para-choques. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

A «culpa» é do… Panda!

A primeira coisa que pensei quando vi este Fiat Tipo foi no Panda Cross. Não é uma crítica negativa, mas um elogio — basta ver o sucesso comercial que a versão mais aventureira do Panda tem conhecido.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

Parece-me óbvio que a fórmula que suporta esta nova variante do Tipo foi exatamente essa. E tudo começa logo na maior presença em estrada, já que este Cross é 70 mm mais alto do que  o Tipo «normal» que lhe serve de base.

A altura ao solo aumentada ganha especial relevância nestas propostas mais aventureiras, e aqui o Tipo Cross cresceu 40 mm face aos restantes Tipo, além de ter recebido uma calibração de suspensão baseada na do 500X.

Interior melhorou, mas…

No interior, são notórias algumas mudanças, mas no geral continuamos a contar com o mesmo habitáculo de desenho convencional e com os mesmos materiais que não cativam.

Fiat Tipo Cross
Habitáculo melhorou, mas continua a ser algo «cinzento». © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Contudo, temos um novo volante, acrescentando-lhe até alguns apontamentos em cromado. Mas a maior novidade é mesmo ao nível da oferta tecnológica, que melhorou bastante.

Era uma das maiores críticas ao Tipo e, felizmente, a Fiat deu-lhes ouvidos. Agora, contamos de série com um ecrã central tátil de 7” (pode crescer até às 10” de forma opcional) compatível com Apple CarPlay e Android Auto, bem como com um novo painel de instrumentos digital TFT de 7” a cores.

E os motores?

Com esta atualização, o Fiat Tipo manteve a sua aposta nas motorizações Diesel e são duas as que fazem parte da gama: 1.6 Multijet com 130 cv (mais 10 cv do que antes) e 1.3 Multijet com 95 cv.

Contudo, quase todas as atenções estão centradas no motor Firefly 1.0 Turbo de três cilindros a gasolina com 100 cv e 190 Nm, que acabou por ser a grande novidade no atualizado modelo. E foi precisamente esse que agora tive oportunidade de testar.

Fiat Tipo Cross © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Este bloco, que vem ocupar o lugar do anterior 1.4 naturalmente aspirado, representa um ganho de 5 cv e, mais importante, 63 Nm, ao mesmo tempo que promete menores consumos e emissões.

E os consumos?

E é precisamente pelos consumos que vamos começar. Durante os dias que passei com o Tipo Cross, consegui uma média combinada de 6,2 l/100 km, um registo que não dista muito daquele anunciado pela Fiat: 5,8 l/100 km.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o novo Fiat 500C, exclusivamente elétrico. Mudança para melhor?

Mais do que aceitável, é um registo bem interessante, até porque consegui esta marca sem me esforçar muito para a obter, e a testar o comportamento deste modelo italiano nos mais variados cenários.

Descubra o seu próximo carro

É na cidade que mais parece «em casa»

Ao volante do Fiat Tipo Cross, a maior diferença que senti relativamente aos outros Tipo foi na posição de condução, que é mais elevada do que a maior altura ao solo faz parecer.

Fiat Tipo Cross
Na dianteira, a grelha deixou de contar com o logótipo tradicional da marca italiana e adotou o lettering “Fiat” em letras garrafais. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Estou seguro que é uma característica que vai agradar a muitos clientes deste modelo, que curiosamente até se mostra mais confortável em cidade do que a «rodar» na autoestrada e estradas secundárias.

A NÃO PERDER: Jeep e Fiat ganham pequenos crossover, mas o da Alfa Romeo aguarda aprovação

E isso deve-se, em grande parte, ao facto de este continuar a ser um modelo simples de usar e com comandos muito suaves. Atributos que saltam à vista no cenário urbano, onde os vários auxiliares de condução também se mostram úteis: desde o detetor de ângulo morto à câmara de estacionamento traseiro.

Contudo, nesta configuração, com o mil turbo a gasolina de três cilindros e 100 cv de potência, revelou ser algo ruidoso e pouco elástico.

Fiat Tipo Cross © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Os 190 Nm de binário são atingidos, oficialmente, às 1500 rpm, mas ao volante parecem chegar um pouco mais tarde, o que faz com que tenhamos que recorrer mais vezes à caixa manual de cinco velocidades.

E quando «puxamos» mais por ele nos regimes baixos, isso faz-se sentir nos consumos, que naturalmente começam a querer subir.

Amortecimento firme

Quando saímos da «esfera» urbana e queremos explorar o que este chassis tem para oferecer, começam a vir ao de cima algumas limitações, que já existiam no Tipo pré-atualização.

LEIAM TAMBÉM: Se houvesse um Fiat Panda de Grupo B, provavelmente seria assim

Em curva, quando subimos o ritmo, percebemos de imediato uma tendência natural para subvirar e neste caso, é acompanhado por um amortecimento mais firme — talvez para compensar a maior altura ao solo do Tipo Cross?

Fiat Tipo Cross
As jantes de 17” também não ajudam. Estou seguro que com as jantes de 16” do City Cross o amortecimento fica mais agradável… © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

É esse amortecimento mais duro que depois se faz sentir de forma mais vincada nos pisos em pior estado. E sendo esta uma versão Cross, com mais responsabilidades fora de estrada, confesso que esperava um acerto de suspensão ligeiramente mais brando.

A NÃO PERDER: Novo Fiat 500 em vídeo. O melhor 100% elétrico do segmento?

Contudo, nada disto chega a estragar a condução ao volante do novo Tipo Cross. A experiência é que acaba sempre por ser pouco envolvente.

É o carro certo para si?

O Fiat Tipo é bem mais competente do que o preço faz parecer. É certo que estamos perante uma proposta do segmento C que tem um preço inferior ao de algumas propostas do segmento B, mas isso não lhe rouba qualquer valor. Muito pelo contrário.

Fiat Tipo Cross
A maior altura ao solo, as barras de tejadilho e as proteções nos para choques e nas cavas das rodas reforçam o caráter mais aventureiro desta proposta. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Já tinha ficado com essa perceção quando conduzi o Tipo pela primeira vez, antes da atualização e com o motor 1.3 Multijet com 95 cv. E agora, ao volante da versão Cross, voltei a reforçá-la: o Tipo é um valor seguro e com vários argumentos a favor.

Contudo, acho que aquilo que a versão Cross acrescenta face às restantes não chega para justificar o preço extra pedido.

Até porque um dos argumentos do Tipo sempre foi a relação preço/qualidade e essa é bastante mais evidente na versão «não aventureira» do modelo.

Preço

unidade ensaiada

25.709

Versão base: €24.109

IUC: €103

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 999 cm³
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (12 válv.)
    • Potência: 100 cv às 5000 rpm
    • Binário: 190 Nm às 1500 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 5 relações
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4386 mm / 1802 mm / 1556 mm
    • Distância entre os eixos: 2638 mm
    • Bagageira: 440 litros
    • Jantes / Pneus: 215/55 R17
    • Peso: 1410 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,8 l/100 km
    • Emissões de CO2: 130 g/km
    • Vel. máxima: 183 km/h
    • Aceleração: 12,2s
  • Garantias
    • Mecânica: 4 anos sem limite de quilómetros
  • Equipamento
    • Rádio tátil 7'' Uconnect NAV
    • Painel de instrumentos avançado TFT de 7" a cores
    • Volante regulável em altura e profundidade
    • Compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay
    • Ar condicionado automático
    • Apoio de braço dianteiro e traseiro
    • Banco traseiro rebatível assimetricamente 60/40
    • Banco do condutor regulável em altura e com regulação lombar
    • Espelhos retrovisores exteriores eléctricos com desembaciamento
    • Sensores de luz e de chuva e espelho retrovisor interior eletrocromático
    • Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Jantes em liga leve de 17'' com preto mate
    • Sensor de Fadiga
    • Cruise Control Adaptativo
    • Aviso de Transposição de Faixa Plus
    • Assistente de Velocidade Inteligente e Reconhecimento de Sinais de Trânsito
    • Limitador de velocidade
    • Travagem autónoma de emergência
    • Faróis de nevoeiro dianteiros
    • Faróis em LED
    • Regulação automática de máximos
Extras
Pintura Laranja Paprika — 550 €; Pack Tech (Rádio tátil 10'' Uconnect e Carregador sem fios Smartphones) — 550 €; Pack Convenience (Câmara de estacionamento traseira e Keyless Entry e Keyless Go) — 400 €; Banco do passageiro regulável em altura — 100 €.
Avaliação
6 / 10
Nota: 6,5 — O FIAT Tipo evoluiu em termos de estilo e de tecnologia e isso fica óbvio também nesta inédita variante Cross, que chega com um visual mais robusto, com uma maior altura ao solo e com uma afinação de suspensão específica. O motor 1.0 mostrou-se económico, apesar de pouco elástico, e bom de utilizar em cidade. Mas fora dela as limitações dinâmicas existem, com a suspensão a revelar-se quase sempre firme demais. Continua a ser uma escolha segura, mas acredito que a proposta mais interessante (até por culpa do preço…) está no Tipo «normal».
  • Espaço
  • Consumos
  • Imagem
  • Suspensão firme
  • Motor (nos regimes mais baixos)
  • Habitáculo continua algo «cinzento»
Sabe responder a esta?
Qual a velocidade máxima do Fiat 500C "La Prima"
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Testámos o novo Fiat 500C, exclusivamente elétrico. Mudança para melhor?

Mais artigos em Testes, Ensaio