Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Vídeos

Conduzimos o Porsche 911 GTS (992). A versão que faz mais sentido?

Viajámos até Itália para conduzir em primeira mão o novo Porsche 911 GTS. Será esta a versão mais equilibrada da gama "911"?

Em Franciacorta, Itália

Apresentado há três meses, o novo Porsche 911 GTS já está disponível no nosso país e nós já lhe “deitámos as mãos”. Mas não o fizemos num sítio qualquer. Fizemo-lo no mais recente Porsche Experience Center, na região de Franciacorta, no norte de Itália.

Foi lá, num circuito muito curto e bastante técnico, que conhecemos em primeira mão a nova versão GTS do Porsche 911, que se apresenta com um visual distinto, com mais potência e com uma dinâmica ainda mais apurada.

Pelo menos é isso que a Porsche promete no “papel”, mas será que na prática este novo 911 GTS é capaz de corresponder a tudo isso? Só havia uma maneira de descobrir, “apertando” com ele em pista e depois em “estrada aberta”. O resultado está aqui:

A NÃO PERDER: PORSCHE 911 TURBO S (650cv). Supercarro para TODOS OS DIAS, há melhor?

O que mudou?

Do ponto de vista estético, o novo 911 GTS — está disponível nas carroçarias Coupé, Cabriolet e Targa — apresenta-se com uma imagem distinta, marcada por vários elementos exteriores escurecidos, como o lábio do spoiler dianteiro, o aperto central das jantes, a cobertura do motor e a designação GTS na traseira e nas portas.

Todos os modelos do GTS contam com o pacote Sport Design, com acabamentos específicos para os para-choques e saias laterais, bem como aros dos faróis e das luzes diurnas escurecidos.

Os faróis LED Porsche Dynamic Light System Plus fazem parte do equipamento de série, sendo que os farolins traseiros são exclusivos desta versão.

No interior, salta à vista o volante desportivo GT, o Pacote Sport Chrono com seletor de modos de condução, a app Porsche Track Precision, o ecrã de temperatura dos pneus e os bancos desportivos Plus, que contam com ajuste elétrico em quatro vias.

LEIAM TAMBÉM: BMW M5 CS. Tem “pulmão” para vencer o Porsche 911 Turbo?

Mas são os acabamentos em Alcantara, os pespontos decorativos e os frisos do tabliê e das portas em fibra de carbono que mais saltam à vista.

Porsche 911 GTS volante

Android Auto chamado a cena

No capítulo tecnológico, destaque para a nova geração do Porsche Communication Management, que ganhou novas funções. A utilização é muito simples e a navegação pelos menus é muito intuitiva.

A somar a isto, a integração do sistema multimédia com o smartphone passa a poder ser feita através do Apple CarPlay e do Android Auto, sendo que apenas os utilizadores de iPhone o podem fazer sem recurso a cabos.

Lightweight Package

Pela primeira vez no 911 GTS é possível optar pelo Lightweight Package, que tal como o nome sugere permite uma “dieta” de até 25 kg, graças à utilização de bacquets integrais em fibra de carbono reforçada com plástico, vidros mais ligeiros para as janelas laterais e óculo traseiro, uma bateria mais leve e à remoção dos bancos traseiros.

Neste pack opcional, são ainda acrescentados novos elementos aerodinâmicos e um novo eixo traseiro direcional.

E o motor?

Na base do novo 911 GTS está um motor boxer turbo com seis cilindros e 3.0 litros de capacidade que produz 480 cv e 570 Nm, mais 30 cv e 20 Nm em relação ao seu antecessor.

A NÃO PERDER: Recorde. Porsche 911 GT2 RS destrói tempo do AMG GT Black Series no Nürburgring

Disponível com versões de tração traseira e com variantes de tração integral, o 911 GTS destaca-se por contar com uma caixa de dupla embraiagem PDK com oito velocidades e com uma caixa manual de sete relações com um curso muito curto. E nós pudemos testá-lo nesta enorme variedade de “sabores”.

Um verdadeiro “monstro” em pista

Quer na configuração de tração traseira quer na versão Carrera 4, de tração total, o novo GTS exibiu sempre um comportamento notável no circuito de Franciacorta, que foi o mais recente Porsche Experience Center a ser inaugurado.

Porsche 911 GTS

Bastante curto e muito técnico, repleto de chicanes, este traçado revelou-se perfeito para colocar à prova a agilidade e a precisão do 911 GTS, que impressionou desde a primeira volta até à última.

Em pista só conduzimos a versão com caixa PDK, que neste cenário é claramente a opção a escolher. Mas foi a rigidez do chassis e a capacidade dos travões (ambos “roubados” ao Porsche 911 Turbo) que mais “deram nas vistas”.

LEIAM TAMBÉM: Porsche 911 GT3 Touring. O GT3 mais “elegante” está de volta

E depois há a direção. Muito rápida e precisa, torna este 911 GTS muito fácil de “ler”. Basta apontar a frente para a curva e a traseira começa logo a rodar — de acordo com a força que imprimimos no acelerador… — para nos ajudar a curvar.

Porsche 911 GTS frente

Naturalmente, a traseira do Carrera GTS Coupé é mais viva que a da versão de tração integral, mas esta última compensa com uma dose de aderência extra que nos deixa “esmagar” o acelerador logo ao meio da curva e sair “que nem uma bala” em direção à reta seguinte.

E fora de estrada?

Depois das “emoções fortes” que sentimos em pista, a aventura continuou. Desta vez em estrada aberta, nas montanhas daquela região italiana, conhecida pelos seus fantásticos vinhos, e aos “comandos” de um Carrera 4 GTS Cabriolet, a “céu aberto”.

Porsche 911 GTS Cabriolet © Miguel Dias / Razão Automóvel

Mas aqui, além do encanto da capota de lona, a cereja no topo do bolo foi mesmo a caixa manual de sete relações, que se mostrou uma escolha perfeita para o “mundo real”, para a estrada.

Porsche 911 GTS cabrio caixa manual

É certo que em circuito iria “atrapalhar” e que mesmo em estrada é mais lenta do que a caixa PDK, mas o que nos oferece em troca não pode ser ignorado: uma experiência mais pura e envolvente. Sentimos uma maior ligação com o carro.

A NÃO PERDER: GTstreet R. Techart deu “esteróides” ao Porsche 911 Turbo S

E depois há o som: cada vez que “mandamos uma abaixo” somos imediatamente brindados com um “ronco” viciante que nos deixa sempre com um sorriso de orelha a orelha.

Porsche 911 GTS Cabriolet © Miguel Dias / Razão Automóvel

E os preços?

Porsche 911 Carrera GTS — 175 927 euros
Porsche 911 Carrera GTS Cabriolet — 191 730 euros
Porsche 911 Carrera 4 GTS — 184 306 euros
Porsche 911 Carrera 4 GTS Cabriolet — 200 109 euros
Porsche 911 Targa 4 GTS — 200 370 euros

 

Primeiras impressões

9 / 10
Não tenho qualquer dúvida de que o Porsche 911 GTS representa o equilíbrio perfeito dentro da gama 911: tanto é capaz de fazer um "brilharete" em circuito como a seguir o podemos conduzir em ritmos mais calmos para casa. Sem dramas. Sem tempos de espera. Ele está sempre pronto para o que nós lhe pedirmos. Seja umas quantas voltas a conduzir de "faca nos dentes", na pista, ou a fazer uso dos quatro lugares para levar os miúdos à escola. E é esta amplitude de utilização do 911 GTS, que não sabe fazer nada mal, que faz dele um dos melhores automóveis que já conduzi.

  • Capacidade dinâmica

  • Amplitude de utilização

  • Qualidade de construção

  • Performances

  • Caixa manual

  • Menor rigidez da versão Cabrio sente-se ligeiramente quando subimos o ritmo

Preço

175.927

Sabe responder a esta?
Em que ano apareceu o primeiro Porsche 911 GT3?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Glórias do Passado. Porsche 911 GT3, o alvo a abater

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto