Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Transformação

Os combustíveis estão caros? Este Land Rover a vapor não quer saber

Com um pequeno motor a vapor similar ao usado pelos antigos comboios, este Land Rover a vapor é uma curiosa transformação.

Depois de termos visto um Citroën DS tornar-se 100% elétrico, agora foi a vez de um Land Rover clássico de 1967 também abdicar do seu motor de combustão. Contudo, no lugar do motor original não surge um alimentado a eletrões mas sim a… vapor!

Criado por Frank Rothwell — um aventureiro de 70 anos que no ano passado atravessou sozinho o Atlântico num barco a remos para angariar 1,5 milhões de dólares para a investigação da doença de Alzheimer — este Land Rover vem provar que no mundo da engenharia (quase) não há impossíveis.

A ideia para esta criação surgiu após Rothwell ter visitado uma exposição onde estavam alguns veículos movidos a vapor e por lá ter adquirido um pequeno kit baseado num motor da Foden (uma reputada empresa que se dedicava a produzir estes motores) de 1910.

A NÃO PERDER: Impostos sobre os combustíveis. Desde 2015 a Taxa de Carbono mais do que quadruplicou

Corte e costura

Depois de comprado o motor, foi altura de tentar perceber se este cabia no Land Rover. Após alguns cálculos Frank Rothwell concluiu que tanto as dimensões como o peso do motor a vapor eram próximos aos do motor de combustão que equipava o jipe de 1967 ao qual chamou Mildred.

Confirmada a possibilidade deste transplante, o Land Rover trocou então o motor de combustão pelo motor a vapor. Pelo caminho tornou-se mais lento — no vídeo da Drivetribe que o dá a conhecer a velocidade máxima ficou-se pelas 12 mph (19 km/h) — e abdicou do diferencial dianteiro, passando a contar apenas com tração traseira.

Já no que à sua condução diz respeito, apesar de colocá-lo a trabalhar exigir um processo algo demorado, a condução em si tornou-se mais fácil, havendo apenas um pedal, o do travão. Já para acelerar usa-se uma pequena alavanca no tabliê.

Uma vez em movimento, o pequeno motor a “água e fogo”, ou seja, que consome carvão para aquecer a água presente na caldeira e assim a transformar no vapor que alimenta o pequeno motor que soa como uma antiga… máquina de costura. Para completar a transformação não falta sequer a “buzina” a vapor, semelhante à usada pelos antigos comboios.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Opel Calibra?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Opel Calibra, esculpido pelo vento

Mais artigos em Notícias