Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Faz 60 anos

Volvo P1800. O coupé sueco mais especial de sempre está de parabéns

São muitos os motivos que tornam o Volvo P1800 especial e na altura em que festeja o seu 60.º aniversário, nada melhor que recuperar a história do icónico coupé sueco.

Para muitos considerado o modelo mais icónico da Volvo, o P1800, um coupé de forte inspiração italiana criado pelo designer sueco Pelle Petterson, está a comemorar este ano (2021) o 60.º aniversário.

A sua história remonta, assim, a 1961, o ano em que o elegante coupé sueco foi lançado, mas com uma “costela” definitivamente britânica. Isto porque, na altura, a Volvo não tinha capacidade para produzir este P1800 pelos seus próprios meios.

Por isso, a produção deste modelo durante os seus primeiros anos de vida foi feita no Reino Unido, com o chassis a ser produzido na Escócia e a montagem em Inglaterra.

A NÃO PERDER: Volvo P1800 Cyan. Reimaginar o coupé sueco com menos de 1000 kg e mais de 400 cv
Volvo P1800

E continuou assim até 1963, altura em que a Volvo conseguiu levar a montagem do P1800 para casa, em Gotemburgo, na Suécia. Seis anos depois, em 1969, transferiu a produção do chassis para Olofström, também naquele país do norte da Europa.

Assente na plataforma que servia de base ao Volvo 121/122S, o P1800 apresentava-se com um motor de 1.8 litros e quatro cilindros — denominado B18 — que produzia, numa fase inicial, 100 cv. Posteriormente a potência subiria  para os 108 cv, 115 cv e 120 cv.

Mas o P1800 não se ficou pelo B18, cuja capacidade em centímetros cúbicos, 1800 cm3, lhe dava o nome. Em 1968, o B18 era substituído pelo maior B20, com 2000 cm3 e 118 cv, mas o nome do coupé não foi alterado.

O Santo Volvo P1800

Produção acabou em 1973

Se o coupé encantava, em 1971, a Volvo surpreendeu tudo e todos com uma nova variante do P1800, a ES, que apresentava um desenho traseiro completamente novo.

LEIAM TAMBÉM: Esta Volvo V70 está à venda por… 20 milhões de dólares. Está tudo doido?

Por comparação com o P1800 “convencional”, as diferenças são óbvias: o tejadilho foi estendido horizontalmente e o perfil passou a assemelhar-se ao de uma shooting brake, que oferecia uma maior capacidade de carga. Foi produzida durante apenas dois anos, entre 1972 e 1973, tendo encontrado grande sucesso no outro lado do Atlântico.

Volvo 1800 ES
Volvo 1800 ES

Com o fim de ciclo desta versão P1800 ES chegaria também ao fim a produção deste automóvel histórico. Os motivos? Curiosamente, relacionados com um tema caro à Volvo, a segurança.

Novas regras, mais exigentes, no mercado norte-americano, obrigariam a extensas e onerosas modificações, como explica a própria Volvo: “As exigências de segurança mais rigorosas no mercado norte-americano tornariam o seu fabrico demasiado caro para as tentar cumprir”.

A NÃO PERDER: História. Os coupés da Volvo que antecederam o Polestar 1

Exposição mundial na série “O Santo”

O Volvo P1800 ganharia um forte reconhecimento internacional, tornando-se uma estrela no “pequeno ecrã”, graças à série televisiva “O Santo”, que causou furor na década dos anos 1960.

Roger Moore Volvo P1800

Decorado com um branco pérola, o P1800 S usado na série era o carro do personagem principal da série, Simon Templar, protagonizado pelo saudoso Roger Moore.

LEIAM TAMBÉM: Que maravilha! Jaguar E-Type renasce com V12 original “puxado” até aos 400 cv

Produzido na fábrica da Volvo de Torslanda, em Gotemburgo (Suécia), em novembro de 1966, este P1800 S vinha equipado com “rodas Minilite, faróis anti-nevoeiro Hella e um volante de madeira”.

O Santo Volvo P1800

No seu interior, também mostrava alguns detalhes exclusivos, como um termómetro no painel e um ventilador localizado no habitáculo, que servia para refrescar os atores durante as filmagens.

Fora dos ecrãs e longe das câmeras, Roger Moore acabou por tornar-se mesmo o primeiro proprietário deste modelo. A sua matrícula londrina, “NUV 648E”, foi registada a 20 de janeiro de 1967.

Roger Moore Volvo P1800

Na série “O Santo”, o automóvel detinha as placas de matrícula “ST 1” e fez a sua estreia no episódio “A Double in Diamonds“, filmado em fevereiro de 1967. Seria conduzido pela personagem principal até ao final da série em 1969.

A NÃO PERDER: Ajudas eletrónicas para quê? Volvo P1800 Cyan mostra como se faz na neve

Roger Moore acabaria por vender este modelo anos mais tarde ao ator Martin Benson, que o preservou alguns anos antes de o vender novamente. Atualmente é propriedade da Volvo Cars.

Mais de 5 milhões de quilómetros…

Se chegaram até aqui, provavelmente já perceberam porque este P1800 é tão especial. Mas deixámos a melhor história deste clássico sueco para o fim.

Irv Gordon Volvo P1800 2
Irv Gordon e o seu Volvo P1800

Irv Gordon, um professor de ciências norte-americano que faleceu há três anos, entrou para o Guinness Book of World Records com o seu Volvo P1800 vermelho ao ter conseguido o recorde mundial da maior distância percorrida por um único proprietário numa viatura não comercial.

Entre 1966 e 2018, este Volvo P1800 — que ainda mantém o motor e a caixa de velocidades originais — “percorreu mais de cinco milhões de quilómetros (…) numa distância superior a 127 voltas ao Mundo ou seis idas à Lua”.

LEIAM TAMBÉM: Morreu o dono do Volvo com cerca de 5 milhões de quilómetros

Sabe responder a esta?
Qual a potência da carrinha Volvo 850 T-5R?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

As carrinhas desportivas mais radicais de sempre: Volvo 850 T-5R

Mais artigos em Clássicos