Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Eletrificação

Fim dos motores Diesel na Jeep? Parece que sim…

No caminho para a eletrificação, já foram várias as marcas a anunciar o fim dos motores Diesel nas suas gamas; a Jeep é mais uma a fazê-lo.

Agora parte do grupo Stellantis, também a Jeep já prepara um futuro eletrificado, o que ajuda a justificar as declarações de Christian Meunier, CEO da Jeep, à imprensa australiana e asiática recentemente, sobre o fim dos motores Diesel na marca.

Ainda recentemente vimos a Stellantis anunciar o seu objetivo de eletrificar todas as 14 marcas que o integram — incluindo a Jeep — investindo mais de 30 mil milhões de euros até 2025 em mobilidade elétrica, assim como na construção de gigafábricas para a produção de baterias.

Meunier confirmou que os motores a gasóleo estão a chegar ao seu fim dentro da gama Jeep, uma notícia com relevância, sobretudo, para a Europa, o mercado onde estes eram mais relevantes.

TÊM DE VER: Falámos com Antonella Bruno, responsável da Jeep na Europa: “No final do ano o Wrangler só terá versão híbrida plug-in”
Jeep Wrangler Rubicon 392
No final do ano passado, a Jeep apresentou o Wrangler Rubicon 392, equipado com um V8 — parece que terá vida curta, atendendo às declarações do CEO

Apesar de não ter anunciado uma data em concreto, apontou que o fim dos mesmos poderão estar mais perto do que aquilo que seria previsto, mas não será “da noite para o dia”, mas que “haverá uma transição até 2030, e esta variará de mercado para mercado”, onde as versões híbridas plug-in, que na Jeep são denominadas de 4xe, ocuparão o seu lugar.

Não foi apenas sobre o fim dos Diesel na Jeep que Christian Meunier referiu. Também os motores a gasolina (sem fazerem parte de um sistema híbrido) irão pelo mesmo caminho, com o seu desaparecimento a acontecer em mercados onde estes deixem de compensar. Dito isto, Meunier rematou que em alguns mercados “continuarão a existir os motores V8, seis cilindros, ou motores Diesel”.

Jeep Grand Cherokee 4xe
Jeep Grand Cherokee 4xe

Como exemplo desta estratégia podemos olhar para o seu ícone, o Wrangler, que, com a chegada à Europa da variante híbrida plug-in 4xe, vai fazer com que desapareça do catálogo a variante Diesel (2.2 CRD). Também desapareceu o Wrangler curto, de duas portas, pois o seu comprimento muito mais curto faz com que seja impossível de oferecê-lo como 4xe.

“Eu adoro motores V8, mas adoro mais ainda a eletrificação, pois pode dar-me mais aceleração, mais potência, (e) mais força, num conjunto melhor, sem prejudicar o planeta. Como tal, penso que seja uma melhor opção a longo prazo”.

Christian Meunier, diretor executivo da Jeep

Futuro da Jeep = menos combustão, mais eletrificação

A gama híbrida plug-in 4xe iniciou-se com os Jeep Renegade e Compass, mas está a crescer rapidamente. Como mencionámos, já é possível de encontrá-la no Wrangler e a marca americana já mostrou as primeiras imagens do Grand Cherokee 4xe, prevendo-se que também chegue ao ainda maior Grand Wagoneer.

Para o futuro, a Jeep pretende que, até 2025, 70% das suas vendas sejam de veículos eletrificados, sejam eles veículos mild-hybrid, híbridos, híbridos plug-in ou elétricos.

Mais artigos em Notícias