Fórmula 1

Terminou o pit-stop mais longo da Fórmula 1. Porca da roda do Mercedes de Bottas já saiu

Numa altura em que Bottas seguia em segundo, a Mercedes não conseguiu trocar um dos pneus e o finlandês teve que desistir do GP do Mónaco.

O “pit-stop mais longo” da história da Fórmula 1, como já ficou conhecido, chegou finalmente ao fim. Quase uma semana depois de Max Verstappen ter visto a bandeira de xadrez que lhe deu a vitória no GP do Mónaco em Fórmula 1, no domingo passado, a Mercedes-AMG Petronas conseguiu finalmente retirar a porca da roda do Mercedes W12 de Valtteri Bottas.

O piloto finlandês seguia na segunda posição da corrida monegasca quando a equipa o chamou às boxes, para receber um conjunto de pneus novos. Mas durante o pit-stop, que costuma demorar um “piscar de olhos”, uma das rodas recusou-se teimosamente a sair, levando ao abandono de Bottas.

Após o final da corrida, a equipa ainda tentava retirar a roda, que teimava em não sair. A justificação? A posição da “pistola” pneumática. Pelo menos foi essa a explicação dada por James Alisson, diretor técnico da equipa liderada por Toto Wolff.

A NÃO PERDER: Toto Wolff: “Não acho que a F1 aguente uma equipa que seja campeã 10 vezes seguidas”
Valtteri Bottas monaco roda-2

Se não colocarmos a pistola de pit-stop de forma precisa na porca, ela pode lascar a peça. É um pouco como quando pegamos numa chave de fendas Phillips e não acertamos diretamente na cruz da chave.

James Alisson, diretor técnico da Mercedes-AMG Petronas F1 Team

Para resolver o problema, a Mercedes teve de levar o carro de volta para a sua fábrica, em Brackley (Inglaterra), e só aí conseguiu retirar a porca do carro de Bottas e, consequentemente, o pneu. O momento ficou registado em vídeo:

Sabe responder a esta?
Quantos circuitos já receberam o GP de Portugal em Fórmula 1?

Mais artigos em Notícias