Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Vídeo

Para se fazer ouvir, o Opel Corsa-e Rally usa altifalantes de… navios

Primeiro carro elétrico de ralis, o Opel Corsa-e Rally recebeu um sistema de som inédito, para que o possamos ouvir ao longe, quando em competição.

Há uma norma da Federação Alemã de Desporto Automóvel (ADAC) que dita que os carros de ralis têm de ser audíveis e nem mesmo o facto de ser o primeiro carro do género 100% elétrico isentou o Opel Corsa-e Rally de ter de a cumprir.

Uma vez que até hoje ninguém tinha tentado resolver esse “problema”, os engenheiros da Opel puseram “mãos à obra” para criar um sistema de som para que o Corsa-e Rally pudesse ser ouvido.

Apesar de os veículos elétricos de estrada já contarem com sistemas sonoros para avisar os peões da sua presença, a criação de um sistema para ser usado num carro de ralis foi mais complexa do que se poderia pensar.

A NÃO PERDER: “É o novo normal”. Testámos o Opel Corsa-e… o Corsa 100% elétrico

Os desafios

O principal “problema” encontrado pelos engenheiros da Opel foi encontrar um hardware com a potência e robustez necessárias.

É que os altifalantes estão, normalmente, instalados no interior dos carros, não sendo por isso especialmente resistentes ou impermeáveis, algo crucial quando temos em conta que no Corsa-e Rally estes têm de ser instalados no exterior do carro e expostos aos elementos e abusos da competição.

Opel Corsa-e Rally
Para andar assim num troço de rali e assegurar a segurança de comissários e espectadores convém que os carros se façam ouvir.
VEJA TAMBÉM: Stellantis promete furgões a hidrogénio da Peugeot, Opel e Citroën ainda este ano

A solução encontrada

A solução passou por recorrer a altifalantes idênticos aos usados em… navios. Desta forma, o Corsa-e Rally conta com dois altifalantes à prova de água, cada um com 400 Watt de potência máxima de saída, instalados atrás, na parte de baixo do carro.

O som é gerado por um amplificador que recebe os sinais de uma unidade de controlo, com um software específico, que permite adaptar o som em função das rotações. Fruto de um trabalho de vários meses, o software permitiu criar um “som de ralenti” estacionário adaptável a todas as faixas de regime e de velocidade.

VEJA TAMBÉM: Crossover por fora, monovolume por dentro. Opel Crossland renovado ainda é opção a ter em conta?

Como seria de esperar o volume pode ser ajustado, contando com dois níveis: um para a utilização na via pública (o modo silencioso) e outro para ser usado em competição (quando o volume é elevado ao máximo) — no final, continua a soar como uma… nave espacial.

A estreia deste sistema inédito em competição está agendada para os dias 7 e 8 de maio, data na qual se realiza o Rally Sulingen, a primeira prova do ADAC Opel e-Rally Cup.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o Opel Tigra?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Opel Tigra, o “coupé do povo”

Mais artigos em Notícias