Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Curiosidades

Renault 4F. A carrinha que ajudou a revolucionar a Fórmula 1

À primeira vista, a Renault 4F não tem nada a ver com a Fórmula 1. Contudo, a verdade é que a modesta carrinha francesa ajudou a revolucionar a categoria.

Versátil e robusta, a Renault 4F ajudou a impulsionar inúmeros negócios. Contudo, o que provavelmente não sabe é que a modesta carrinha derivada do 4L ajudou a revolucionar a Fórmula 1.

Estávamos em meados da década de 1970 (mais precisamente em 1977) e, depois de ter conquistado dois títulos consecutivos de construtores em 1972 e 1973, a Lotus começava a “perder terreno” para a concorrência.

Em busca de uma vantagem competitiva, o genial fundador da marca britânica, Colin Chapman, decidiu explorar um novo conceito (e um “buraco” nos regulamentos) que, pelo menos no papel, poderia revolucionar o desporto automóvel: o efeito de solo.

A NÃO PERDER: Será que foi neste Renault 5 Turbo que o novo 5 Prototype se inspirou?
Colin Chapman
Fundador da Lotus, Colin Chapman procurava na segunda metade da década de 1970 devolver a sua equipa de Fórmula 1 aos “dias de glória”.

Da teoria à prática

De forma resumida, o que os engenheiros descobriram foi que ao cobrir/selar totalmente as laterais do monolugar com uma “saia” podiam criar o desejado efeito de solo e “colar” o carro à pista.

Depois de bem-sucedidos testes no túnel de vento e de várias simulações, não restavam dúvidas de que aquele conceito tinha potencial para devolver a Lotus aos dias de glória. Contudo, a equipa de engenheiros continuava com uma dúvida: como assegurar que o efeito de solo funciona em pista?

Uma coisa é testar com miniaturas num túnel de vento e fazer simulações, outra é aplicar aquele conceito a um carro de Fórmula 1 e lançá-lo para a pista.

Renault 4F
Apta para vários trabalhos, a Renault 4F nem se recusou aservir como “carro de testes” para a Fórmula 1.

Para dificultar a situação, os engenheiros da equipa de Hethel não tinham monolugares para usar em testes nem tão pouco os modernos simuladores e computadores atualmente usados pelas equipas.

Posto isto, foi preciso levar à letra uma máxima que o Guilherme Costa muitas vezes nos relembra aqui na Razão Automóvel: Improvise. Adapt. Overcome. E assim entrou em cena a Renault 4F.

Lotus 79
O diagrama do Lotus 79, um dos carros mais revolucionários da Fórmula 1.
A NÃO PERDER: Renault 21 Turbo. Em 1988 era o carro MAIS RÁPIDO DO MUNDO sobre o gelo

Renault 4F: “pau para toda a obra”

Uma vez chegados à fábrica da Lotus, os engenheiros da equipa de Fórmula 1 lembraram-se: e se prendêssemos uma das “saias laterais” numa estrutura presa na traseira de uma Renault 4F para ver como é que esta se porta?

Com a porta traseira da carrinha aberta, um engenheiro deitado na plataforma de carga a observar o comportamento das soluções testadas e outro a conduzir a Renault 4F, os testes lá se foram desenrolando.

Lotus 78
O Lotus 78 foi o primeiro monolugar a contar com os “préstimos” do efeito de solo.
VEJA TAMBÉM: Renault 5 Turbo celebra 40 anos. A história (quase) completa

Curiosamente, a suave suspensão da carrinha francesa (mais pensada para caminhos de cabras do que para circuitos) acabou por se revelar uma inesperada mais-valia, exagerando os movimentos que as “saias” enfrentariam quando montadas num carro de Fórmula 1.

Tudo isto permitiu ir eliminando soluções menos adequadas até se chegar à ideal: uma aba com uma mola produzida num material que provocava pouco atrito, similar ao usado nas… tábuas de cortar que temos na cozinha.

A solução foi implementada no Lotus 78 mas seria no Lotus 79, em 1978, que o sistema mais brilharia. Graças a ele a Lotus tornou-se na “equipa a bater”, venceu cinco provas na segunda metade da temporada, conquistou o título de construtores e viu Mario Andretti ganhar o de pilotos.

Lotus 79
Patrocínio da John Player Special, pintura preta e dourada e efeito de solo, os ingredientes de um dos carros de Fórmula 1 mais icónicos de sempre (e um dos meus favoritos).

Em 1979 várias outras equipas já tinham copiado e aperfeiçoado o sistema, acabando dessa forma com a vantagem da Lotus. Contudo, nenhuma delas deverá poder “gabar-se” de ter usado uma Renault 4F como “carro de testes”.

Sabe responder a esta?
Em que ano é que a Renault obteve a sua primeira vitória na Fórmula 1?

Mais artigos em Clássicos