Desde 50 685 euros

Peugeot 3008 GT HYBRID4 testado. O mais potente de sempre

Até à chegada do 508 PSE, o Peugeot 3008 GT HYBRID4 é o modelo mais potente da marca francesa. Será que nesta renovação recebeu mais do que uma nova imagem?

Cerca de oito meses depois de ter colocado à prova o Peugeot 3008 GT HYBRID4, voltei a encontrar-me com aquele que é, até à chegada do 508 PSE, o modelo de estrada mais potente de sempre da Peugeot.

Este reencontro foi feito com um objetivo simples: perceber o que trouxe de novo o restyling a que a gama 3008 foi sujeita. Afinal de contas, além de uma “cara lavada”, o que mais mudou no bem sucedido SUV francês?

Será que as alterações enunciadas se fazem realmente sentir ou são apenas “para inglês ver“? Começando pela estética, a verdade é que, pelo menos na dianteira, é inegável que o 3008 mudou.

VÊ TAMBÉM: Peugeot. Novo logótipo para o início de uma nova era
Peugeot 3008 Hybrid
É na traseira que as mudanças foram mais discretas. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O visual passou a estar mais em linha com as propostas mais recentes da marca gaulesa, se bem que para tal tenha adotado uma secção dianteira que, a meu ver, perdeu parte da elegância que caracterizava a versão pré-restyling. Ainda assim, é inegável que esta é deveras impactante, algo que os muitos olhares motivados pela passagem do 3008 parecem confirmar.

Moral da história? Em equipa que vence não se mexe (muito)

E no interior, há algo de novo?

No interior, as mudanças foram ainda mais de pormenor, mas há uma boa razão para isso: o visual estava longe de poder ser considerado ultrapassado. O Peugeot 3008 continua a impressionar pelo design e pela qualidade geral. 

Apesar de não haver muitas novidades, devo admitir que tanto o novo painel de instrumentos digital como o ecrã central de 10” são preciosas mais valias. O primeiro tem um melhor grafismo, o que acaba por beneficiar a leitura. Já o segundo, mantem o grafismo e as funcionalidades, tornou-se mais fácil de usar graças ao aumento das dimensões do interface.

Outra novidade diz respeito aos materiais. Foram revistos e atualizados, apenas para incrementar a já elevada sensação de qualidade que o 3008 transmitia. Os novos materiais, agradáveis ao toque e à vista, não receiam comparações com as propostas premium alemãs.

Tudo o resto, desde o espaço habitável à ergonomia, continuou inalterado. Desta forma todos os elogios que fiz quando testei a versão pré-restyling continuam a aplicar-se a este revisto Peugeot 3008 GT HYBRID4.

A NÃO PERDER: Leon Sportstourer e-HYBRID. Testámos o primeiro híbrido plug-in da SEAT

Potente e veloz, mas não lhe peçam para ser desportivo

Se há algo que o Peugeot 3008 GT HYBRID4 vem provar é que nem todos os modelos com uma potência elevada têm pretensões desportivas ou pretendem receber esse “rótulo”.

É verdade que debaixo do pé direito o condutor do mais potente dos 3008 dispõe de 300 cv e 520 Nm resultantes da combinação do 1.6 PureTech de 200 cv com dois motores elétricos (110 cv e 113 cv) e as acelerações surpreendem, principalmente tendo em conta os mais de 1900 kg.

No entanto, apesar de ser capaz de uma agradável dupla personalidade, que tanto nos permite arrancar em primeiro nos semáforos, como alcançar médias de 5 l/100 km quando reduzimos o ritmo, o 3008 GT HYBRID4 não procura o rótulo de hot-SUV.

Peugeot 3008 Hybrid
Os tempos de carregamento mantêm-se inalterados. Desta forma, com o carregador de bordo de série com 3,7 kW (opção 7,4 kW) os tempos de uma carga completa são de sete horas (tomada standard de 8 A/1,8 kW), quatro horas (tomada reforçada, 14A/3,2 kW) ou duas horas (wallbox 32A/7,4 kW). © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Para começar, o visual discreto afasta logo quaisquer veleidades de aspirar a esse título. Ao mesmo tempo, apesar de eficaz, seguro e, acima de tudo, estável, o SUV gaulês não apresenta o mais divertido dos comportamentos dinâmicos.

Sim, a direção é rápida, direta e precisa, mas a verdade é que os 1900 kg se fazem sentir com a suspensão a revelar algumas dificuldades em lidar com irregularidades mais abruptas e os encadeados de curvas a serem “despachados” com uma eficácia e previsibilidade mais típica dos modelos alemães do que franceses.

Posto isto, o que o 3008 GT HYBRID4 faz (e bem) é acolher os seus passageiros num “casulo” confortável e envolvente, transportando-os depois com agradável celeridade e refinamento, onde nem os ruídos aerodinâmicos são demasiado incomodativos.

Peugeot 3008 Hybrid
Apesar de graficamente se manter inalterado, o novo painel de instrumentos tem uma melhor legibilidade. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A juntar a tudo isto, é ainda possível circular sem gastar uma gota e gasolina, sendo que nesse modo consegui percorrer cerca de 50 km sem grandes preocupações com os consumos e num percurso no qual a autoestrada foi um dos “pratos principais”.

No final de contas, se houve área onde o Peugeot 3008 GT HYBRID4 se manteve inalterado foi, precisamente, quando estamos ao volante e, verdade seja dita, ainda bem que assim foi. Pois poucos SUV híbridos plug-in conseguem uma tão boa gestão das baterias por forma a permitir um bom compromisso entre prestações e eficiência.

VÊ TAMBÉM: O Volkswagen Golf GTE é o futuro dos “hot hatch”. Melhor que o Golf GTI?

É o carro certo para mim?

Após ter conduzido o revisto Peugeot 3008 GT HYBRID4 a sensação com que fiquei foi de dejá vu. A verdade é que a Peugeot pouco mudou no seu SUV e há uma boa razão para tal: não havia muitas críticas que lhe pudessem ser apontadas.

A NÃO PERDER: Ansiedade com a autonomia? Nenhuma. Testámos o elétrico Kia e-Niro

Sim, o visual continua relativamente discreto tendo em conta que se trata de uma variante com 300 cv e de um dos Peugeot de estrada mais potentes de sempre, no entanto, nada disso são defeitos, mas sim “feitios” ou melhor, carácter do SUV gaulês.

Melhorado naquilo que menos se vê mas que mais se sente (na oferta de equipamento), o Peugeot 3008 GT HYBRID4 continua a ser uma das melhores propostas do segmento para quem quer um SUV veloz e potente mas capaz de alcançar bons consumos, tudo com um visual discreto e uma sensação de qualidade a bordo elevada.

Preço

unidade ensaiada

50.685

Versão base: €53.645

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1598 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Potência: Motor combustão: 200 cv às 6000 rpm; Motor elétrico dianteiro: 110 cv às 2500 rpm; Motor elétrico traseiro: 113 cv às 4760 rpm; Potência máxima combinada: 300 cv
    • Binário: Motor combustão: 300 Nm às 3000 rpm; Motor elétrico dianteiro: 320 Nm; Motor elétrico traseiro: 166 Nm; Binário máximo combinado: 520 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática de oito velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4447 mm / 1841 mm / 1624 mm
    • Distância entre os eixos: 2675 mm
    • Bagageira: 395 litros
    • Peso: 1928 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1,3 l/100 km
    • Emissões de CO2: 29 g/km
    • Vel. máxima: 235 km/h
    • Aceleração: 5,9s
  • Equipamento
    • Ar condicionado automático
    • Vidros laterais traseiros e óculo traseiro escurecido
    • Acesso e ligação mãos-livres
    • Barras de teto longitudinais em cromado
    • Tecto 'Black Diamond'
    • Tomadas 12V (Total de 3) : na zona de carregamento para smartphones, parte traseira da consola e bagageira
    • Pack Drive Assist Plus
    • Carregador de 3,7kw
    • Cabo Green Up
    • Navegação conectada 3D com ecrã capacitivo de 10"
    • Faróis 'Peugeot Full LED Technology'
    • Jantes em liga leve 18''
    • Decoração Alcântara (painel de bordo + painéis das portas)
Extras
Pack City 2 (inclui Park Assist + Visiopark: assistência ativa ao estacionamento + câmaras dianteiras e de marcha-atrás e 360°) — 250 €; Bancos dianteiros aquecidos — 200 €; Pack Eléctrico + Pack Massagem — 1900,01 €; Branco Nacré — 610 €.
Avaliação
8 / 10
O que o restyling do Peugeot 3008 GT HYBRID4 veio fazer foi, mais do que reforçar um produto já por si bastante competente — os números de vendas falam por si — e voltar a chamar as atenções para a proposta gaulesa. Confortável e bem equipado, o 3008 GT HYBRID4 prova que boas prestações e consumos baixos não têm de andar de "costas voltadas". Para tal, apenas é preciso ter a "disciplina" de carregar o 3008.
  • Consumos
  • Prestações
  • Relação conforto/comportamento
  • Gestão das baterias
  • Melhoria da qualidade dos materiais
  • Capacidade da bagageira
  • Visual discreto para um dos "Peugeot mais potentes de sempre"
Sabe responder a esta?
Qual era a potência da Peugeot 505 Dangel 4X4?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Peugeot 505 Dangel 4×4 para todo o terreno

Mais artigos em Testes, Ensaio