Curiosidades

O Nissan 300ZX (Z31) tinha dois indicadores do nível de combustível. Porquê?

Menos conhecido que o seu sucessor, o Nissan 300ZX (Z31) tem alguns segredos guardados. Como os seus dois indicadores do nível de combustível.

Lançado em 1983 e produzido até 1989, o Nissan 300ZX (Z31) é consideravelmente menos conhecido que o seu sucessor e homónimo lançado em 1989 mas nem por isso é menos interessante.

Prova disso é o facto de este ser um dos poucos modelos de que temos conhecimento com dois indicadores do nível de combustível mas apenas um depósito, como revelou (ou será relembrou?Andrew P. Collins, do site Car Bibles, através do Twitter.

O primeiro (e maior) tem a graduação a que estamos habituados, com uma escala que vai do “F” (cheio ou em inglês full) até ao “E” (vazio ou em inglês empty) passando pela marca do 1/2 depósito.

A NÃO PERDER: Os «hot hatch» japoneses de tração integral que chegaram primeiro que o GR Yaris
Indicador de combustível Nissan 300 ZX
Aqui está o duplo indicador do nível de combustível do Nissan 300ZX (Z31). Andrew P. Collins/Twitter

Já o segundo, mais pequeno, vê a escala variar entre 1/4, 1/8 e 0. Mas porquê adotar dois indicadores do nível de combustível e como é que funcionam? Nas próximas linhas explicamos-te.

Quanto maior a precisão, melhor

Como seria de esperar, o maior indicador do nível de combustível assume o “papel principal”, indicando na maioria das vezes a quantidade de combustível restante.

O segundo só vê o seu ponteiro mexer-se a partir do momento em que o principal chega à marca do “1/4” de depósito. A sua função era mostrar com mais precisão quanto combustível ainda restava no depósito, com cada marca a corresponder a um pouco mais de dois litros de gasolina.

VÊ TAMBÉM: O Mazda MX-5 nasceu mais tarde por causa desta «coisa»

O objetivo por trás da adoção deste sistema era oferecer não só mais informações ao condutor como uma maior segurança no “perigoso” jogo de andar perto da reserva. Também presente em alguns Nissan Fairlady 280Z do final dos anos 1970 e algumas pick-up conhecidas como Nissan Hardbody da mesma época, esta solução não durou muito.

O seu abandono deveu-se, muito provavelmente, ao custo acrescido do sistema necessário para assegurar o funcionamento deste segundo indicador do nível de combustível que, além de toda a cablagem necessária, contava ainda com um segundo medidor no depósito.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Daihatsu Charade GTti?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Daihatsu Charade GTti, o mil mais temido

Mais artigos em Clássicos