Antevisão

Confirmado! Só motores de 4 cilindros para o novo Mercedes Classe C (W206). Até os AMG

O novo Mercedes-Benz Classe C W206 será revelado a 23 de fevereiro, mas o rumor já foi confirmado: só motores de quatro cilindros por baixo do capô. Até os AMG!

A pouco mais de uma semana da revelação final do novo Mercedes-Benz Classe C W206, emergem mais detalhes sobre o que esperar da nova geração com o destaque a estar nas motorizações que o equiparão.

Para os fãs dos motores de seis e oito cilindros não temos boas notícias: todos os motores no novo Classe C não terão mais do que quatro cilindros. Nada de V8 para o Mercedes-AMG C 63, nem sequer um seis cilindros para o sucessor do C 43… Será tudo “varrido” apenas e só a quatro cilindros.

O canal Mr. Benz teve oportunidade de ter um primeiro contacto com o ainda não revelado modelo e até de andar nele como passageiro — com Christian Früh ao volante, o chefe de desenvolvimento das últimas três gerações do Classe C —, o que nos deu oportunidade de ficar a conhecer várias das suas características:

VÊ TAMBÉM: O melhor de dois mundos? Testámos a Mercedes-Benz Classe C Station Diesel híbrida plug-in

O que “descobrimos”?

Ficámos a saber que o novo Classe C W206 vai ser um pouco maior por fora e por dentro e partilhará muita da tecnologia a bordo com o novo Classe S W223, nomeadamente a segunda geração do MBUX. E como é possível constatar, tal como o Classe S, terá um ecrã vertical de generosas dimensões a dominar a consola central.

A unidade que podemos ver no vídeo tratava-se de um C 300 AMG Line, que conta com elementos únicos, como o volante desportivo AMG, de fundo cortado e aro mais grosso. Também é possível observar que, tal como o novo Classe S, o novo Classe C poderá ser equipado com direção às quatro rodas.

Quatro cilindros… nem um a mais

O maior destaque, porém, tem de ser dado às suas motorizações, pois, como já dissemos, serão todas de quatro cilindros… nem um cilindro a mais!

De acordo com Christian Früh, todas elas, sejam a gasolina ou gasóleo, são novas ou como novas, pois todas elas passaram a ser, de uma forma ou outra, eletrificadas — a começar nos mild-hybrid 48 V e a acabar nos híbridos plug-in. Os mild-hybrid 48 V contam com um novo motor-gerador elétrico (ISG de Integrated Starter-Generator), de 15 kW (20 cv) e 200 Nm.

No entanto, são os híbridos plug-in  a concentrar as atenções: 100 km de autonomia elétrica é o prometido, ou seja, basicamente duas vezes mais do que acontece hoje em dia. Um valor possível graças à bateria que praticamente duplica de capacidade, de 13,5 kWh para 25,4 kWh.

Os híbridos plug-in (gasolina e gasóleo) do novo Classe C W206 chegarão mais tarde, no próximo outono. Além dos 100 km de autonomia elétrica, o “casamento” entre motor de combustão, neste a caso gasolina, e elétrico garantem cerca de 320 cv de potência e 650 Nm.

Mercedes-Benz OM 654 M
Mercedes-Benz OM 654 M, o mais potente quatro cilindros Diesel do mundo.

De resto, ainda de acordo com Früh, nas motorizações a gasolina mild-hybrid teremos potências entre os 170 cv e os 258 cv (motores de 1.5 l e 2.0 l), enquanto nos Diesel estas situar-se-ão entre os 200 cv e os 265 cv (2,0 l). Neste último caso com recurso ao OM 654 M, o mais potente motor Diesel de quatro cilindros do mundo.

Adeus, V8

Apesar de nada ser referido no vídeo sobre os futuros AMG com base no W206, confirma-se por outras fontes que a limitação aos quatro cilindros estender-se-á aos mais potentes Classe C.

Será o M 139 o motor escolhido, que equipa hoje os A 45 e A 45 S, para tomar o lugar do V6 do atual C 43 e, mais chocante, do trovejante e sonoro V8 biturbo do C 63 — um downsizing longe demais?

Mercedes-AMG M 139
Mercedes-AMG M 139

Se o sucessor do C 43 (denominação final ainda por confirmar) combinará o potente M 139 com o sistema mild-hybrid 48 V, o C 63 passará a ser um híbrido plug-in. Ou seja, o M 139 será combinado com um motor elétrico para uma potência máxima combinada que deverá atingir, no mínimo, os 510 cv do atual C 63 S (W205).

E sendo híbrido plug-in, até será possível deslocarmo-nos em modo 100% elétrico. Sinais dos tempos…

Mais artigos em Notícias