Apresentação

852 kg de peso e 1500 kg de downforce. Tudo sobre o GMA T.50s ‘Niki Lauda’

Exclusivo para as pistas e limitado a 25 unidades, o GMA T.50s ‘Niki Lauda’ liberta todo o potencial aerodinâmico e mecânico do T.50 de estrada.

Revelado no dia de aniversário de Niki Lauda, o GMA T.50s ‘Niki Lauda’ é não só a versão destinada às pistas do T.50 como uma homenagem ao piloto austríaco com o qual Gordon Murray trabalhou na Brabham F1.

Limitado a apenas 25 unidades, o T.50s ‘Niki Lauda’ deverá entrar em produção no final do ano, com a entrega dos primeiros exemplares agendada para 2022. Quanto ao preço, este vai custar 3,1 milhões de libras (antes de impostos) ou aproximadamente 3,6 milhões de euros.

De acordo com Gordon Murray, cada T.50s ‘Niki Lauda’ terá uma especificação única, com cada chassis a ter como designação uma vitória do piloto austríaco. O primeiro, por exemplo, será designado “Kyalami 1974”.

VÊ TAMBÉM: Gordon Murray explica como funciona a ventoinha do GMA T.50
GMA T.50s 'Niki Lauda'

“Guerra ao peso”, segundo ato

Tal como a versão de estrada, no desenvolvimento do GMA T.50s ‘Niki Lauda’ foi dada especial atenção à questão do peso. O resultado final foi um carro que pesa apenas 852 kg (menos 128 kg que a versão de estrada).

Este valor é inferior aos 890 kg estabelecidos como meta e foi conseguido graças à nova caixa de velocidades (-5 kg), ao motor mais leve (pesa 162 kg, menos 16 kg), ao uso de materiais mais finos na carroçaria e à ausência dos sistemas de de som e ar condicionado.

A impulsionar este “peso-pluma” encontramos uma versão específica do 3.9 l V12 desenvolvido pela Cosworth que já equipa o T.50. Este oferece 711 cv às 11 500 rpm e, sobe de rotação até às 12 100 rpm e, graças à indução RAM na tomada de ar chega aos 735 cv.

Toda esta potência é gerida pela nova caixa de seis velocidades Xtrac IGS que foi feita à medida e é controlada através de patilhas no volante. Com um escalonamento pensado para as pistas, esta permite ao GMA T.50s ‘Niki Lauda’ atingir uma velocidade máxima de 321 a 338 km/h.

Acerca do T.50s ‘Niki Lauda’, Gordon Murray afirmou: “Quis evitar o que fiz com o McLaren F1 (…) As versões de pista daquele carro foram adaptadas depois de termos feito o carro de estrada. Desta vez, projetámos as duas versões mais ou menos em paralelo”.

Isto permitiu não só oferecer ao T.50s ‘Niki Lauda’ uma monocoque diferente como um motor e caixa de velocidades próprios.

VÊ TAMBÉM: Mais potente, mais leve, mais rápido. Pilotámos o McLaren 765LT em Silverstone

Aerodinâmica em alta

Se o controlo do peso teve uma especial importância no desenvolvimento do GMA T.50s ‘Niki Lauda’, a aerodinâmica não lhe ficou atrás no “caderno de encargos”.

Equipado com a enorme ventoinha de 40 cm que já conhecíamos do T.50, o novo T.50s ‘Niki Lauda’ vale-se desta para abdicar da habitual “parafernália” de apêndices aerodinâmicos, ainda que não tenha prescindindo de uma generosa asa traseira (mais downforce) e de uma “barbatana” dorsal (mais estabilidade).

GMA T.50s Niki Lauda
“Espartano” talvez seja o melhor adjetivo para descrever o interior do novo T.50s ‘Niki Lauda’.
A NÃO PERDER: GMA T.50. Todos os números do verdadeiro sucessor do McLaren F1

Totalmente ajustável, o kit aerodinâmico desta versão para as pistas da mais recente criação da Gordon Murray Automotive permite-lhe gerar uns impressionantes 1500 kg de downforce a alta velocidade, 1,76 vezes mais do que o peso total do T.50s. Em teoria poderíamos conduzi-lo de “cabeça para baixo”.

Com a tradicional posição de condução central (e permite ainda transportar um passageiro adicional), o Gordon Murray T.50s ‘Niki Lauda’ vai fazer-se acompanhar pelo pack “Trackspeed” que inclui desde ferramentas até instruções sobre como tirar o melhor partido deste “unicórnio” nos mais diversos circuitos.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi revelado o Ferrari 365 GT4 BB não significa Berlinetta Box?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fomos enganados. Afinal BB em Ferrari 365 GT4 BB não significa Berlinetta Boxer

Mais artigos em Notícias