Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 66 000 euros

Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY. Porquê o motor menos potente para a primeira edição limitada?

Para a primeira edição limitada do GR Supra, a Toyota escolheu o motor menos potente da gama Supra. Terá sido a escolha acertada? Fica a saber tudo sobre o Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY.

A opção da Toyota foi, no mínimo, curiosa. Para a primeira edição limitada do novo Toyota GR Supra a marca japonesa optou pelo motor de quatro cilindros, 2.0 litros de 258 cv em detrimento do motor de seis cilindros, 3.0 litros de 340 cv.

Chama-se Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY, e o seu nome é uma homenagem ao conhecido circuito japonês, localizado nas imediações da cidade de Shizuoka.

Terá sido uma boa opção, escolher o motor de 2.0 litros para uma edição especial?

VÊ TAMBÉM: O “targa” que faltava? Toyota GR Supra Sport Top é um tributo ao Supra A80

As diferenças do Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY

Antes de saltarmos para o volante, convém frisar que face às versões normais 2.0 Signature, as diferenças para este Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY são meramente estéticas.

Por fora, esta versão é identificável pela pintura em branco metalizado, que contrastam de forma feliz com as jantes de liga leve de 19” em preto mate e com os espelhos retrovisores em vermelho. No habitáculo, mais uma vez, as diferenças são escassas. O tabliê destaca-se pelas inserções em fibra de carbono e estofos em Alcantara em vermelho e preto.

No que diz respeito às especificações de equipamento, a versão Speedway inclui todas as funcionalidades dos pacotes de equipamento Connect e Sport que estão disponíveis na gama GR Supra.

Toyota GR Supra 2.0 Fuji Speedway
Esta seleção de cores é uma clara alusão às cores oficiais da TOYOTA GAZOO Racing. © Guilherme Costa / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Subaru BRZ. Tudo sobre o novo desportivo da Subaru

Uma questão de orgulho?

Esta edição Fuji Speedway foi desenvolvida para assinalar a chegada do motor de 2.0 l à gama GR Supra — um modelo que nós já testámos neste vídeo. Tem uma produção limitada a 200 exemplares, das quais apenas duas unidades foram destinadas a Portugal. Pela altura que estão a ler estas linhas, é possível que já tenham sido todos vendidos.

Foi uma opção pouco comum por parte da Toyota. Normalmente as marcas escolhem as versões mais potentes como base das edições especiais. Aqui não foi o caso.

Talvez porque a Toyota não olhe para a versão GR Supra 2.0 Signature como um «parente pobre» da versão GR Supra 3.0 Legacy.

Após mais de 2000 km ao volante dos novos Toyota GR Supra, tenho de concordar com a Toyota. Efetivamente a versão 2.0 litros do GR Supra é tão digna como a mais potente.

Tal como já defendi anteriormente, de facto não temos a potência e o binário do motor 3.0 litros. A diferença de 80 cv e 100 Nm é notória. Mas sabem o que é que também é notório? Os menos 100 kg de peso desta versão de quatro cilindros.

Diferenças que se refletem na forma como conduzimos a versão menos potente do Supra. Travamos mais tarde, levamos mais velocidade para o interior da curva e temos uma frente mais ágil. Um modelo que ainda assim também permite soltar a traseira (como podem ver no vídeo acima).

Qual é que prefiro? Prefiro a versão de seis cilindros. As derivas de traseira saem com mais facilidade e são mais exuberantes. Mas esta versão Toyota GR Supra 2.0 FUJI SPEEDWAY também é muito gratificante de conduzir.

Toyota GR Supra 2.0 Fuji Speedway
Interior com apontamento de pele vermelha e acabamentos em carbono são os grandes destaques desta versão Fuji Speedway. © Guilherme Costa / Razão Automóvel

Os números do Toyota GR Supra menos potente

Estamos perante um desportivo que é capaz de cumprir os 0 aos 100 km/h em apenas 5,2 segundos. A velocidade máxima é 250 km/h. Tudo isto para emissões de CO2 no ciclo WLTP de 156 a 172 g/km.

Parece-vos lento? Não é lento. Recordo que num desportivo a potência não é tudo.

De facto, o motor mais pequeno e mais leve até contribuiu para uma melhoria dinâmica do GR Supra. Este motor faz com que o GR Supra 2.0 seja 100 kg mais leve do que o motor 3.0 litros — além do motor mais pequeno, também os discos de travão são de menor diâmetro à frente entre outros. Para além disso e uma vez que o motor é mais compacto, está posicionado mais perto do centro do GR Supra, o que contribui para uma distribuição de peso de 50:50.

No que diz respeito ao chassis, independentemente do motor, o Toyota GR Supra apresenta sempre a mesma “relação perfeita” (Golden Ratio), uma qualidade definida pela proporção entre a distância entre eixos e a largura das vias. Todas as versões do GR Supra têm uma relação de 1,55, que se situa na faixa ideal.

Tudo isto para dizer que se estão a ponderar comprar um Toyota GR Supra, não vão ficar decepcionados com aquilo que esta versão 2.0 litros tem para oferecer. Seja na versão Signature ou nesta edição especial Fuji Speedway.

A NÃO PERDER: Juntei o Toyota GR Supra e o BMW Z4 M40i. Farinha do mesmo saco?

Preço

unidade ensaiada

66.000

Versão base: €66.000

IUC: €239

Classificação Euro NCAP: N/D

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1998 cm3
    • Posição: Dianteira Longitudinal
    • Carregamento: Injeção direta; turbo; intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c.; 4 válv./cil. (16 válv.)
    • Potência: 258 cv entre 5000–6000 rpm
    • Binário: 400 Nm entre 1550 e 4400 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Traseira
    • Caixa de velocidades: Automática (conversor de binário) de 8 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4379 mm / 1854 mm / 1292 mm
    • Distância entre os eixos: 2470 mm
    • Bagageira: 290 l
    • Jantes / Pneus: FR: 255/35 R19; TR: 275/35 R19
    • Peso: 1470 kg (EU)
    • Relação peso/potência: 5,69 kg/cv
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 7,5 l/100 km
    • Emissões de CO2: 170 g/km
    • Vel. máxima: 250 km/h
    • Aceleração: 5,2s
  • Equipamento
    • Branco Selection (única opção)
    • Jantes matte em liga leve 19''
    • Capas dos espelhos em vermelho
    • Pinças travão Brembo em vermelho
    • Diferencial Activo
    • Suspensão Variável Adaptativa (AVS)
    • Consola central em carbono
    • A/C automático Dual Zone
    • Bancos desportivos em Alcantara Preto e Vermelho
    • Cruise Controlo Adaptativo
    • Câmara traseira
    • Espelhos retrovisores elétricos aquecidos e autoretráteis
    • Ecrâ Multimedia de 8.8’’
    • Patilhas de seleção de mudanças
    • Pedais em alumínio
    • Sensor de chuva e luminosidade
    • Travão de mão eléctrico
    • Aviso de saída de faixa de rodagem
    • Luzes de Máximos Automáticas
Avaliação
7 / 10
Na prática, esta versão Fuji Speedway só acrescenta exclusividade. Em tudo o resto é igual ao Toyota GR Supra Signature. Um desportivo muito capaz, bem nascido, que garantirá a quem se sentar no lugar mais desejado muitos quilómetros com um sorriso na cara.
  • Disponibilidade do motor;
  • Dotação de equipamento;
  • Afinação do chassis/suspensões.
  • Som do motor/escape;

Mais artigos em Testes, Ensaio