Indústria

Renault 5 Prototype. O regresso do Renault 5 como elétrico, mas há mais novidades

O Renault 5 Prototype marca o regresso do icónico Renault 5, mas como um 100% elétrico, e é um dos destaques nos 14 modelos a lançar pela Renault até 2025.

Tal como havíamos avançado há uns dias, o plano de restruturação do grupo gaulês — denominado Renaulution — vai trazer muitas novidades à Renault e, em destaque, assistiremos ao regresso do icónico Renault 5, antecipado aqui pelo Renault 5 Prototype e será… exclusivamente elétrico.

Mas há mais… No total serão 14 os novos modelos a lançar até 2025 só pela marca Renault, numa ofensiva que apelida de “Nouvelle Vague”.

Com ela, a Renault pretende trazer “modernidade ao panorama automóvel Europeu” e transformar-se “numa marca de tecnologia, de serviços e de energias limpas”.

VÊ TAMBÉM: Grupo Renault viu as vendas descer em 2020, mas as dos elétricos mais que duplicaram
Renault 5 Prototype

Eletrificar é a chave

Dos 14 novos modelos que a Renault vai lançar até 2025, sete serão 100% elétricos e sete pertencerão aos segmentos C e D. Por fim, todos os novos modelos vão contar com uma qualquer forma de eletrificação, apresentando-se todos eles com uma versão elétrica ou híbrida.

A ambição da Renault passa por assegurar que, até ao final de 2025, os segmentos superiores representem 45% das vendas. Ainda assim escusado será dizer que a “estrela da companhia” é, precisamente, o modelo antecipado pelo agora revelado Renault 5 Prototype.

Segundo a Renault, o objetivo do Renault 5 Prototype é simples: “mostrar que a Renault vai democratizar o automóvel elétrico na Europa, com uma abordagem moderna de um automóvel popular”.

Renault 5 Prototype

Previsivelmente ainda não há dados acerca do futuro Renault 5 elétrico, nem sequer uma data prevista para o seu lançamento, no entanto, é inegável a inspiração do protótipo desenhado pela equipa de design de Gilles Vidal no modelo original.

O mais curioso acerca do Renault 5 Prototype é que os pormenores estilísticos retirados do original escondem funções modernas. Por exemplo, a entrada de ar no capô esconde o terminal de carga, as luzes traseiras contam com defletores aerodinâmicos e os faróis de nevoeiro no para-choques são luzes de condução diurna.

VÊ TAMBÉM: Já conduzimos o Renault Twingo Electric em Portugal, o elétrico mais barato (por enquanto) do mercado

Tecnologia na ordem do dia

De acordo com o plano de restruturação agora anunciado, a Renault vai apostar em três domínios de competitividade. Em primeiro lugar, a marca francesa quer tornar-se numa marca tecnológica. Para tal vai criar um ecossistema digital denominado “Software République”.

O objetivo deste ecossistema passa por permitir à Renault e aos outros membros fundadores “desenvolverem competências, reforçar o “know-how” Europeu e defender a sua soberania em tecnologias chave, do “Big Data” à eletrónica”. Mais, permitirá ainda à Renault dotar os seus automóveis com “os melhores sistemas de inteligência artificial e de cibersegurança”.

Renault 5 Prototype
VÊ TAMBÉM: De Portugal para o mundo. Renault Cacia com produção exclusiva de nova caixa de velocidades

 

A Renault quer também tornar-se numa marca de serviços, com o objetivo a estar na oferta dos melhores serviços conetados. Por isso, em 2022 a Renault vai introduzir o novo sistema de infoentretenimento “My Link”. Baseado na tecnologia Google Built-In, vai tornar a Renault no primeiro construtor automóvel a oferecer os serviços da Google nos automóveis de produção em grande escala.

Renault 5 Prototype

 

Ao mesmo tempo, a Renault vai ainda dedicar-se ao recondicionamento de automóveis usados através da unidade fabril Re-Factory em Flins (França). Esta fábrica da Renault produz atualmente o Zoe, mas passará também a recondicionar mais de 100 mil automóveis usados por ano e ainda converterá automóveis Diesel em automóveis elétricos ou a biogás.

Renault 5 Prototype
VÊ TAMBÉM: A nova Renault Kangoo foi revelada e trouxe… uma Renault Express

Hidrogénio também é aposta

Por fim, a Renault pretende ainda tornar-se líder da transição energética, transformando-se numa “marca de Energias Limpas”.

Para o fazer não só vai manter a aposta nos modelos híbridos e híbridos plug-in com a tecnologia E-Tech como vai lançar (como te já te dissemos) uma família de produtos baseados nas suas plataformas elétricas dedicadas: a CMF-EV e CMF-B EV.

Renault 5 Prototype
VÊ TAMBÉM: Renault. “Já não estamos a desenvolver novos motores Diesel”

No entanto, a aposta nas “energias limpas” não se fica por aqui, e o hidrogénio também passará a fazer parte das apostas futuras da Renault, planeando oferecer soluções baseadas nesta tecnologia prontas a serem comercializadas para os mercados dos Comerciais Ligeiros.

Para o fazer, o Grupo Renault uniu esforços com a empresa Plug Power, criando uma joint venture (50-50) baseada em França e que tem o objetivo de alcançar uma quota de 30% no mercado dos comerciais ligeiros movidos a hidrogénio.

Sabe responder a esta?
Em que ano é que a Renault alcançou a sua primeira vitória na Fórmula 1?

Mais artigos em Notícias