Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Novo Subaru BRZ não vem para a Europa. E o novo GT86?

A revelação da segunda geração do Subaru BRZ ainda não aconteceu, mas já ficámos a saber que não virá para o continente europeu. E o "irmão" Toyota GT86?

Será no próximo dia 18 de novembro o dia que ficaremos a conhecer a segunda geração do Subaru BRZ. Para os que não estão familiarizados com o modelo, o BRZ é o “irmão gémeo” do Toyota GT86 — os dois coupés de tração traseira foram desenvolvidos em conjunto pelos dois fabricantes nipónicos, e ambos foram lançados no mercado em 2012.

A parceria entre a Subaru e a Toyota continua nesta segunda geração e veremos o novo BRZ em primeiro lugar, tendo em conta os teasers e data de lançamento já anunciada.

Porém, ao contrário do que aconteceu com a primeira geração cuja carreira está prestes a terminar, a segunda geração do Subaru BRZ não virá para a Europa. Ok… Se para nós, portugueses, acaba por ser pouco relevante, pois a Subaru já não se encontra em comercialização no nosso país aos anos, levanta receios sobre o “irmão” GT86.

VÊ TAMBÉM: Fuga de informação confirma o que já sabíamos. Vem aí um novo Toyota GT86
Toyota GT86
Toyota GT86 — o primeiro carro a ser testado pela Razão Automóvel, e desde então, um favorito entre nós.

Ainda não recuperámos totalmente do “banho de água fria” que foi a notícia de o novo Nissan Z não vir para o “Velho Continente”, mas agora coloca-se o cenário de que o mesmo pode acontecer com a segunda geração do GT86, caso siga o exemplo do “irmão” BRZ.

No caso do Subaru BRZ a nova geração terá como alvo principal o mercado norte-americano. Não admira, portanto, que os rumores à volta do motor que trará estejam concentrados no quatro cilindros boxer com 2,4 l de capacidade da marca japonesa.

Mesmo que se mantenha naturalmente aspirado (como indicam alguns rumores), os 400 cm3 adicionais em relação ao 2,0 l de hoje, deverão ser suficientes para responder às críticas da geração atual de que não é potente o suficiente ou de ser “pontudo” e ter parca disponibilidade.  Fica por saber se o sucessor do GT86 — que poderá chamar-se de GR86 — seguirá o mesmo exemplo.

Se assim acontecer, a penalização fiscal que já era elevada por vir com um motor de 2,0 l de capacidade — cá em Portugal os preços começam perto dos 42 mil euros, em Espanha, por exemplo, começam nos 34 500 euros —, só poderá ser agravada com um 2,4 l.

Porém, para já, interessa mais saber se o novo GT86 chegará até nós.

VÊ TAMBÉM: Toyota GR Supra com quatro cilindros testado. É mais barato, mas vale a pena? (vídeo)

Mais artigos em Notícias