Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Aznom Palladium, ou a tentativa de transformar uma Ram 1500 numa “hiper-limusine”

O que estavam a pensar? O Aznom Palladium nasceu como uma muito americana pick-up, mas agora é uma "hiper-limusine". Fica a conhecê-la em mais pormenor.

Será a criatura automóvel mais estranha que verás no dia de hoje, com alguma certeza. O Aznom Palladium responde a uma questão que ninguém perguntou: como é que seria um sedã de luxo feito a partir de uma enorme pick-up? Os resultados são imediatamente óbvios, e não pelos melhores motivos.

Dificilmente o podemos considerar atrativo e, mais surpreendente é, quando descobrimos que é obra de um carroçador italiano. Uma nação mais conhecida por mostrar o lado mais belo das criaturas rolantes.

Afinal o que temos aqui? Trata-se de uma Ram 1500 que recebeu um profundo makeover, transformando-a numa enorme e estranha berlina de luxo. A Aznom define o Palladium até como uma hiper-limusine.

VÊ TAMBÉM: Este é o interior do novo Mercedes-Maybach GLS

Do seu dador herda as suas muito generosas dimensões, como os 5,96 m de comprimento comprovam. Também facilmente identificamos partes da carroçaria da Ram 1500, como as portas. É nas extremidades deste vasto veículo que residem as substanciais diferenças para a pick-up que lhe dá origem.

A frente é agora tentativamente mais elegante, ainda que seja possível constatar vislumbres de outros modelos de luxo ali para os lados das terras de Sua Majestade. Os faróis e a grelha passam a estar unidos por uma máscara de tom distinto da carroçaria, e como vemos, a grelha é iluminada.

É a lateral e a traseira que mais desafiam o olhar. As proporções são… bizarras, pois a transformação da típica pick-up numa berlina de três volumes — e para mais, aqui com um volume traseiro curto tipo fastback —, coloca em evidência o quão desalinhado está o eixo traseiro em relação ao volume do habitáculo. O eixo traseiro deveria estar largos centímetros mais avançado… ou, ao contrário, o habitáculo numa posição mais recuada.

A caixa de carga desapareceu e no seu lugar temos o mencionado e inédito volume tipo fastback. Destaca-se ainda pelo expressivo ombro sobre o eixo traseiro — a lá Bentley — e pela abertura do compartimento de carga, que passa a ser tipo gaveta.

Opulência para dar e vender

No interior ainda o reconhecemos como o de uma Ram 1500, mas o Aznom Palladium elevou à enésima potência o luxo a bordo. Aceder ao interior é entrar num ambiente revestido a pele, madeira, salpicado com pormenores em alumínio. As acomodações atrás são dignas de aristocratas: os dois lugares disponíveis mais parecem luxuosos sofás, temos um frigorífico à nossa disposição e não faltam sequer compartimentos para guardar bebidas e respetivos copos. Ahh… e até têm um sistema de ar condicionado independente do que serve os ocupantes à frente.

É possível ainda ver um sistema de som da Harman Kardon, dois tablets Microsoft Surface Pro X e um relógio feito à mão (com ouro e… paládio, que dá o nome ao Palladium), que pode ser removido do veículo. Claramente um veículo idealizado para os ocupantes traseiros mais do que para o condutor — que será certamente um chauffeur.

VÊ TAMBÉM: Há luxo e depois… há luxo. Ao volante do Cullinan Black Badge, o SUV mais exclusivo do mundo

V8 POWERRRR…

Porém, não falta poder de fogo ao Aznom Palladium. Por baixo do capô encontramos o mesmo V8 de 5,7 l que equipa a Ram 1500, mas aqui vê-se auxiliado pela adição de dois turbocompressores. Resultado: a potência é elevada para uns muito mais expressivos 710 cv (522 kW), e o binário para uns muito mais generosos 950 Nm.

Com a força do V8 twin-turbo a ser enviada às quatro rodas através de uma caixa automática de oito velocidades, o Aznom Palladium é capaz de alcançar os 100 km/h em apenas 4,5s e atingir os 210 km/h de velocidade máxima — não se esqueçam, não deixa de ser uma robusta pick-up por baixo deste estranho fato, com um chassis de longarinas e travessas.

Quanto custa?

Não sabemos, mas deverá ser uma pequena fortuna, é o que podemos imaginar. Serão feitos apenas 10 e, como seria de esperar, cada um deles poderá ser costumizado até ao mais ínfimo detalhe por parte dos seus futuros donos. Os potenciais clientes do Aznom Palladium deverão vir da China, Rússia, Médio Oriente e Estados Unidos da América.

Sabe responder a esta?
Qual a potência do Suzuki Swift Sport 2020?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

O duelo mais esperado. Novo Swift Sport enfrenta o primeiro Swift Sport

Mais artigos em Notícias