Arranque a Frio

O Volkswagen Carocha é pequeno? Não tem problema, faz-se um maior

Partindo da base de uma pick-up Dodge, este "Volkswagen Carocha" é 40% maior que o original e trocou o motor boxer por um… V8.

Seguindo a máxima de que tudo nos EUA é maior, o norte-americano Scott Tupper e o seu pai, grandes fãs do eterno Volkswagen Carocha, decidiram criar uma versão aumentada do famoso modelo alemão, designada “Huge Bug”.

A razão por trás deste projeto foi muito simples. Segundo Tupper adianta, este queria poder andar no seu Carocha sem sentir que ia ser “esmagado” pelo trânsito. Ora, perante este “problema”, a única solução de que este se lembrou foi criar um Carocha 50% maior que o original.

Depois de se ter deparado com alguns entraves legais que não permitiam criar uma versão aumentada em 50% (seria proibida de circular), Tupper ficou-se por aumento de 40% e assim nasceu o “Huge Bug”.

VÊ TAMBÉM: Esta é a história de um Porsche 928 disfarçado de Volkswagen Golf
Volkswagen Huge Bug
As diferenças de tamanho são evidentes.

Para o criar, Tupper digitalizou um Volkswagen Carocha de 1959 e depois, através de um programa informático, aumentou os componentes em 40% e criou moldes para produzir os painéis da carroçaria.

O chassis escolhido foi o de uma pick-up da Dodge, sendo que o motor também é proveniente de um Dodge e consiste num V8 com 5.7 l de capacidade. O resultado final foi um Volkswagen Carocha exatamente igual ao original mas maior, com a cópia a ser exata até no interior, sendo as únicas exceções a adoção de vidros elétricos e bancos aquecidos e ventilados.


Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 8h30 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi apresentado o Volkswagen Eos?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te quando as capotas metálicas eram a “última bolacha do pacote”?

Mais artigos em Notícias