Manutenção

Pneus. Sabes como garantir que estão em bom estado?

Com o verão à porta e depois de um longo período de confinamento, sabes o que deves fazer para garantir o bom estado dos pneus do teu carro?

Por vezes esquecido, o bom estado dos pneus desempenha um papel crucial na segurança rodoviária.

Afinal de contas, são eles que asseguram a ligação vital entre o carro e a estrada e, como é óbvio, a sua deterioração pode ser sinónimo de problemas e até estar na causa por detrás de um acidente.

Posto isto, achas que sabes como assegurar e verificar o bom estado dos pneus do teu carro? Neste artigo damos-te algumas dicas para que não te restem dúvidas.

VÊ TAMBÉM: Sabias que o teu carro pode ter uma especificação de pneus própria?
Pneu furado
Para evitares que isto te aconteça aconselhamos-te a ler as próximas linhas.

Verifica a pressão

Parece básico, mas esta primeira dica é a mais simples de todas, mas ainda assim é esquecida por muitos condutores.

Para garantires que os pneus desempenham a sua função na perfeição, verifica a sua pressão e ajusta-la de acordo com os valores indicados pelo fabricante do teu automóvel.

Caso o teu carro tenha estado parado e por isso tenhas seguido o nosso concelho de aumentar a pressão para precaver perdas, não te esqueças de repor a pressão indicada pelo fabricante antes de te fazeres à estrada.

Para além disto, verifica ainda o estado das válvulas. É que muitas vezes uma válvula defeituosa pode levar à perda gradual de pressão.

VÊ TAMBÉM: Podes arrancar em segunda velocidade? Depende…

Objetos não identificados

Já que estás com a “mão na massa” e a verificar os pneus, aproveita e confirma se estes não têm nenhum objeto espetado ou incrustado no seu piso como pregos ou parafusos.

Para além disto, confirma ainda se não há quaisquer cortes ou bolhas na parede lateral do pneu, pois enquanto os primeiros podem levar a um furo, os segundos podem mesmo causar um rebentamento.

Slicks? Só na Fórmula 1

Como é óbvio, é impossível falar acerca de manter o bom estado dos pneus sem se abordar a questão do seu “rasto” ou relevo (as ranhuras que têm como objetivo escoar a água em condições de piso molhado).

Como provavelmente já sabes, os pneus de um automóvel têm de apresentar um relevo (legal) de, no mínimo, 1,6 mm.

Para que não tenhas de usar uma régua sempre que queres saber se os pneus do teu carro precisam de reforma, podes medir a profundidade do relevo usando uma moeda de um euro.

Assim sendo, se o relevo igualar ou ultrapassar o rebordo dourado da moeda, boas notícias, não tens de trocar de pneus. Já se não o fizer, talvez este artigo te ajude: “Pneus novos à frente ou atrás? Chega de dúvidas”.

Carro parado? Cuidados redobrados

Por fim, se tu já saíste do confinamento mas, por alguma razão o teu carro não o fez, deixa-nos dar-te um conselho para que quando tal acontecer não tenhas de comprar pneus: move-o um pouco.

É verdade, para evitar que o ponto de contacto com o solo (e por conseguinte aquele que mais peso suporta) seja sempre o mesmo, basta moveres o carro uns centímetros para a frente ou para trás.

Ao fazeres isto evitas que os pneus se degradem e fiquem deformados, ou seja, perdem a sua forma perfeitamente redonda.

 

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Autopédia