Leilão

Este BMW M3 CSL tem… uma caixa manual. E está à venda

O BMW M3 CSL nunca teve uma caixa manual, apenas a criticada SMG II, uma transmissão semi-automática. Será que esta conversão tornou o M3 CSL no carro que todos esperavam?

O BMW M3 CSL (E46) é considerado por muitos como o melhor de todos os M3 feitos até hoje, quase o M3 perfeito — quase… A única razão de crítica? A sua transmissão semi-automática SMG II.

O BMW M3 CSL foi lançado em 2003, e apesar da SMG II ser uma das transmissões mais sofisticadas na altura, a verdade é que a sua resposta estava longe do apuramento verificado em toda a restante máquina — não deixa de impressionar o salto que as transmissões automáticas deram, sobretudo com a chegada das de dupla embraiagem.

Não admira que em muitos dos testes na altura realizados ao CSL ou Coupé Sport Leichtbau — algo como… coupé desportivo leve —, eram vários os clamores à BMW para lançar um com uma caixa manual. Algo que nunca aconteceu…

VÊ TAMBÉM: Vem aí o primeiro BMW M3 com tração integral, mas o RWD não foi esquecido
BMW M3 CSL caixa manual

Não foi impedimento para um proprietário lançar-se no arriscado desafio de converter o seu BMW M3 CSL no desportivo que todos acham que deveria ter sido logo de início. Foi o adeus à SMG II, e um dar as boas-vindas a um novo manípulo e a um terceiro pedal.

Não foi um trabalho amador; a conversão foi levada a cabo por Darragh Doyle, que não só tem uma empresa com o apropriado nome Everything M3s, mas o próprio tem um passado em engenharia e competição automóvel, pelo que o trabalho parecia estar nas mãos certas.

BMW M3 CSL caixa manual

Como a SMG II era uma semi-automática, na sua base está uma caixa manual, com embraiagem a ter uma ação automática. O trabalho efetuado por Darragh Doyle foi, essencialmente, retirar todos os componentes elétricos e hidráulicos que controlavam a embraiagem, regressando à natureza analógica e puramente mecânica da caixa de velocidades.

Há ainda mais duas alterações. A primeira é o diferencial autoblocante traseiro com uma relação mais curta — passou de 3,62:1 para 4,1:1 —, potencia a aceleração e mantém o motor, de acordo com o próprio, no seu regime ideal. A segunda foi a instalação de um kit de travagem da AP Racing, com seis êmbolos à frente e quatro atrás — uma área que os M3 até então eram também criticados.

O BMW M3 CSL “manual” ficou melhor que o original?

Esta conversão é significativa, não só por se tratar do carro especial e raro que é, mas também por permitir responder à pergunta que todos os proprietários e fãs queriam saber: o BMW M3 CSL é realmente melhor com uma caixa manual? 

Felizmente agora temos a resposta através da Carfection, com Henry Catchpole ao volante deste intrigante CSL, e onde podemos ficar a saber mais sobre esta conversão:

VÊ TAMBÉM: Mais de um milhão de euros pelos cinco BMW M3 Lightweight de Paul Walker

Está à venda

Agora, menos de um mês após a publicação deste teste em vídeo, este mesmo exemplar surje agora à venda na Collecting Cars. Trata-se de uma venda tipo leilão, com este a terminar daqui a cinco dias (à data da publicação original deste artigo).

Este BMW M3 CSL apresenta uns respeitáveis quase 230 mil quilómetros no odómetro, mas como vimos no vídeo, o fantástico seis cilindros em linha S54, com 3.2 l e naturalmente aspirados 360 cv, parece estar cheio de saúde. Na página dedicada a este exemplar encontram todo o seu historial, destacando-se o cuidado com a sua correta manutenção.

À data de publicação deste artigo, o valor por este BMW M3 CSL, com volante à direita, estava nos 31 mil euros.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Que motor equipava o BMW 767iL "Goldfisch"?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

BMW 767 iL “Goldfisch”. O derradeiro Série 7 com um colossal V16

Mais artigos em Notícias