Dicas

Quarentena. Ligar ou não ligar o carro de vez em quando, eis a questão

Ligar o motor de vez em quando, durante este período de quarentena, mesmo sem circular com o carro, é ou não aconselhável? Eis os prós e os contras de o fazer.

Depois de há umas semanas te termos dado uma série de dicas acerca de como preparares o teu carro para a quarentena, hoje vamos tentar responder a uma dúvida que muitos têm: afinal deve-se ou não ligar o motor de vez em quando sem andar com o carro?

Como tudo na vida, este procedimento que muitos de nós, provavelmente, já adotaram desde o início do período de isolamento social tem os seus prós e contras.

É precisamente o objetivo deste artigo, dar-te a conhecer os prós e contras de ligar o motor de vez em quando.

VÊ TAMBÉM: 5 dicas para cuidares bem do teu turbo

Os prós…

Um carro parado estraga-se mais depressa do que quando em uso, é o que se costuma dizer e com razão. E é para evitar males maiores que o principal argumento a favor de que se ligue o motor de vez em quando é o facto de, ao fazê-lo, estarmos a permitir a lubrificação dos seus componentes internos.

Para além disto permitimos ainda a circulação de combustível e de líquido de refrigeração pelos respetivos circuitos, prevenindo assim possíveis obstruções. Segundo os nossos colegas da publicação Diariomotor, este procedimento deverá ser feito uma vez por semana ou de duas em duas semanas, deixando o motor do veículo trabalhar durante um período de 10 a 15 minutos.

Após ligar o veículo, não o acelerem, para que o mesmo chegue mais depressa à temperatura normal de funcionamento. Apenas vão contribuir para um desgaste prematuro de componentes internos do motor, pois fluídos como o óleo, demoram tempo a atingir a temperatura certa, não sendo tão eficaz na lubrificação como o pretendido. Deixar o motor ao ralenti, sem esforços adicionais, é suficiente.

Filtros de partículas nos motores Diesel

Todo este procedimento, apesar de recomendável na generalidade dos casos, pode ser contraproducente caso tenhas um automóvel Diesel mais recente equipado com filtro de partículas. Estes componentes têm necessidades… especiais, devido à sua função de regeneração ou de auto-limpeza.

Durante este processo as partículas retidas são incineradas graças ao aumento da temperatura dos gases de escape, que atingem entre 650 ºC e 1000 ºC. Para atingirem essa temperatura, o motor tem de trabalhar em regimes mais elevados  por um determinado período de tempo, algo que pode não ser possível durante este período de quarentena.

Filtro de partículas

Na impossibilidade de ir “passear” propositadamente o carro à autoestrada — ainda a melhor forma de regenerar o filtro de partículas quando necessário, bastando 70 km/h e uma 4ª velocidade (pode variar, interessa verificar, sobretudo, as rotações que devem andar pelas 2500 rpm ou aproximado) —, o ato de ligar o motor de vez em quando (10-15 minutos) neste período de quarentena pode inadvertidamente contribuir para o entupimento do filtro e… despesas indesejadas.

Mesmo tendo oportunidade de ir de carro até ao supermercado, viagens que costumam ser curtas em distância e tempo — o motor nem sequer chega a aquecer devidamente —, não gera as condições ideais para a regeneração do filtro de partículas.

No caso de não haver mesmo possibilidade de efetuar um “desvio” de umas dezenas de quilómetros por autoestrada, a melhor solução é mesmo evitar usar o carro ao máximo até haver oportunidade de efetuar um percurso mais longo.

Na eventualidade de o teu carro dar início ao processo de regeneração mesmo estando parado, não o desligues. Deixa-o terminar todo o processo, que pode demorar largos minutos, garantindo a boa saúde e longevidade do filtro de partículas.

VÊ TAMBÉM: Coronavírus. Como higienizar o carro sem ESTRAGAR OS PLÁSTICOS

… e os contras

Do lado dos contras, encontramos um componente que provavelmente vai dar muitas dores de cabeça no final desta quarentena: a bateria.

Como sabes, sempre que ligamos o motor do nosso carro estamos a pedir um esforço instantâneo e suplementar à bateria. Em princípio, o ato de ligar o motor de vez em quando, deixando-o a trabalhar 10-15 minutos, deverá ser o suficiente para que a bateria possa repor a sua carga. No entanto, há vários fatores que o poderão impedir.

Fatores como a idade da bateria, o estado do alternador, o consumo dos sistemas elétricos do teu carro e até o seu sistema de ignição (como no caso dos Diesel que precisam de uma maior quantidade de energia no momento do arranque), podem levar a que a bateria descarregue por completo.

Para evitar que tal aconteça, consulta novamente o nosso artigo sobre como preparar o teu carro para a quarentena, onde nos referimos a esta questão.

VÊ TAMBÉM: Bateria descarregada! E agora, o que fazer?
Bateria meme
Um famoso meme adaptado ao tema de que falamos hoje.

Atualização a 16 de abril: adicionámos informação específica para automóveis com motores Diesel com filtro de partículas, após algumas dúvidas suscitadas pelos nossos leitores.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Autopédia