Rumores

Mercedes-Benz vai reformar modelos, motores e plataformas. Mas porquê?

O número de plataformas, motores e modelos da Mercedes-Benz vai ser reduzido. O objetivo é reduzir custos e complexidade produtiva e melhorar a rentabilidade e os lucros.

Numa altura em que a maioria das marcas está a braços com extensos planos de eletrificação, para fazer face aos elevados custos destes a Mercedes-Benz vai reduzir o número de plataformas, motores e modelos.

Esta decisão deve-se à necessidade de reduzir os custos e complexidade produtiva, e ainda de otimizar lucros. Para além disso, permitirá à marca alemã evitar a outra fórmula usada por muitas marcas para alcançar a desejada poupança: as sinergias.

Esta decisão foi confirmada pelo diretor de pesquisa e desenvolvimento da Mercedes-Benz, Markus Schafer, que em declarações à Autocar afirmou: “estamos a rever o nosso portefólio de produtos, especialmente depois de termos anunciado tantos modelos 100% elétricos”.

VÊ TAMBÉM: 95. Este é o número mais temido da indústria automóvel. Sabes porquê?

Na mesma entrevista, Schafer afirmou ainda: “a ideia é otimizar — reduzindo modelos, mas também plataformas, motorizações e componentes”.

Que modelos vão desaparecer?

Para já, Markus Schafer não referiu que modelos poderão estar na calha para serem reformados. Ainda assim, o executivo alemão “levantou o véu”, afirmando: “Neste momento temos vários modelos com plataforma única e a ideia é reduzi-los. No futuro teremos vários modelos desenvolvidos com base na mesma plataforma”.

Ora, uma rápida observação à gama da Mercedes-Benz deixa-nos ver que entre os modelos com plataforma própria contam-se o Classe G, o Classe S, o Mercedes-AMG GT e o Mercedes-Benz SL.

O Classe G é ainda recente e tem anos de comercialização pela frente, mas o que será do seu sucessor, isto se tiver um? Avolumam-se também as fotos-espia sobre a nova geração do Classe S (revelação este ano)— tudo indica que assentará sobre uma evolução da MRA, a plataforma modular usada pelo Classe E e C, por exemplo.

Em relação ao novo SL, com revelação também prevista para 2020, algumas sinergias parecem ter sido conseguidas, ao recorrer a uma derivação da mesma base do Mercedes-AMG GT.

Mercedes-Benz Classe G
O número de plataformas, motores e modelos da Mercedes-Benz vai ser reduzido e o Mercedes-Benz Classe G é um dos modelos em risco.
VÊ TAMBÉM: O melhor de dois mundos? Testámos a Mercedes-Benz Classe C Station Diesel híbrida plug-in

E os motores?

Tal como te dissemos, o número de plataformas, motores e modelos da Mercedes-Benz vai ser reduzido. No entanto, no que diz respeito aos motores que deverão desaparecer, estes continuam também a ser uma incógnita.

Acerca destes, Markus Schafer apenas referiu : “enquanto houver procura o plano não é “mandar embora” o V8 e o V12″.

No entanto, para Schafer há um elemento que fará a Mercedes-Benz repensar os seus motores: a norma Euro 7. Segundo Schafer, é com a introdução da Euro 7 — ainda por definir, assim como a data da sua introdução, com algumas vozes a referir o ano de 2025 —, esta poderá levar a uma redução das motorizações.

No entanto, o executivo da Mercedes-Benz afirmou preferir esperar pelos requisitos desta e adaptar a resposta a partir daí.

Fonte: Autocar.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi apresentado o Mercedes-Benz 190?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Notícias