Óbito

Fernanda Pires da Silva. Morreu a “mãe” do Autódromo do Estoril

Fundadora do Autódromo do Estoril (com o qual partilha o nome) e presidente do grupo Grão-Pará, Fernanda Pires da Silva faleceu no sábado, aos 93 anos.

Para além de Paulo Gonçalves, este fim de semana também foi sinónimo do desaparecimento de outro nome importante do desporto motorizado português: Fernanda Pires da Silva, a “mãe” do Autódromo do Estoril.

A notícia foi avançada no sábado pelo jornal Expresso, dando conta que a empresária de 93 anos havia falecido nesse dia.

Presidente do grupo Grão-Pará, Fernanda Pires da Silva será sempre recordada por uma obra que muito deu ao desporto automóvel nacional: o Autódromo do Estoril.

Responsável pela construção do autódromo no início dos anos 1970, Fernanda Pires da Silva foi ainda mais longe: recorreu a capitais próprios para construir aquela que chegou a ser a casa da Fórmula 1 no nosso país.

VÊ TAMBÉM: Citroën C1 a FUNDO nas 6 horas no Estoril, em vídeo
Circuito do Estoril
O Autódromo do Estoril (de seu nome oficial Autódromo Fernanda Pires da Silva), foi inaugurado a 17 de Junho de 1972.

Hoje, o autódromo que a empresária idealizou partilha com esta o nome, e serve como a maior lembrança do trabalho de Fernanda Pires da Silva que se dedicou aos setores do turismo e do imobiliário.

A presidente do grupo Grão-Pará viu ainda a sua obra reconhecida com a Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial durante a presidência de Jorge Sampaio, tendo depois sido condecorada como Grande-Oficial da Ordem do Mérito. Por fim, a 11 de março de 2000, Fernanda Pires da Silva foi ainda elevada a Grã-Cruz da mesma Ordem.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Notícias