Ambiente

ACP e ACAP refutam estudo: “estão a diabolizar os Diesel”

O ACP e a ACAP já reagiram ao mais recente estudo que "aponta o dedo" às emissões de partículas dos Diesel durante o processo de regeneração do filtro de partículas. Entre as críticas há até previsões de retoma das vendas dos Diesel.

Mais um estudo, mais uma polémica. Depois de ontem te termos dado a conhecer um estudo publicado pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente, onde foi referido que um motor Diesel novo, cumpridor das mais recentes normas de emissões, pode ter picos de emissões de partículas 1000 vezes acima do limite durante o processo de regeneração do seu filtro, hoje trazemos-te as reações do ACP e da ACAP a esse mesmo estudo.

Da parte do ACP, a reação surgiu pela voz do seu presidente, Carlos Barbosa, que em declarações à Rádio Renascença afirmou que o estudo “não tem qualquer interesse”.

Carlos Barbosa desvalorizou ainda as conclusões que apontam que as emissões de partículas dos motores Diesel durante a regeneração dos seus filtros de partículas são até 1000 vezes superior ao normal e referiu que existem estudos fiáveis que comprovam precisamente… o contrário.

VÊ TAMBÉM: Os filtros de partículas chegam aos… travões

Os estudos que nós temos, quer na Federação Internacional Automóvel, quer nas comissões de sustentabilidade, mostram precisamente o contrário, por isso este estudo para mim não tem qualquer tipo de interesse.

Carlos Barbosa, presidente do ACP

Outra das críticas feitas por Carlos Barbosa ao estudo prende-se com a sua origem, com o presidente do ACP a declarar: “Não diz onde foi feito o estudo, quem o fez ou como foi feito. Os estudos que nós temos, quer na Federação Internacional Automóvel, quer nas comissões de sustentabilidade, mostram precisamente o contrário”.

VÊ TAMBÉM: Navios que abastecem Portugal poluem tanto como as oito cidades com mais carros

A reação da ACAP

Tal como o ACP, também a ACAP reagiu negativamente à publicação deste estudo. Segundo a Associação de Comércio de Automóveis de Portugal (ACAP), o estudo é apenas “uma questão de diabolização dos automóveis, em particular dos Diesel”.

Em declarações à Rádio Renascença, Hélder Barata Pedro, da ACAP, afirmou ainda: “O Diesel emite menos 15% de CO2 do que a gasolina. Eles dão como descartável esta situação e estão sempre a diabolizar o Diesel, contudo, as pessoas transferem-se não para os elétricos, mas para os carros a gasolina”.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do SEAT Mii electric. O primeiro de uma nova era

Queda dos Diesel vai parar, segundo o ACP

Ainda acerca dos Diesel e quando questionado acerca da quebra nas vendas de modelos com este tipo de motorização, Carlos Barbosa, do ACP, afirmou que acredita que esse cenário está prestes a inverter-se com a chegada de híbridos plug-in a gasóleo.

Segundo o presidente do ACP, “Cada vez mais os carros híbridos plug-in são o futuro. Por enquanto só existem carros híbridos plug-in a gasolina, agora no Salão de Genebra vão aparecer carros baratos, plug-in, a gasóleo, das marcas todas, e nessa altura o gasóleo vai voltar a ser mais vendido que a gasolina”.

Sabes responder a esta?
Qual é a potência do Bentley Flying Spur?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Já sabemos quanto custa o novo Bentley Flying Spur

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos