Apresentação

Novo GLE Coupé e GLE 53 Coupé revelados. Quais são as novidades?

A segunda geração do Mercedes-Benz GLE Coupé tem mais espaço e novos motores Diesel. E ficámos também a conhecer o novo GLE 53 Coupé "by" AMG.

Tem sido um ano animado para os chamados SUV “coupé” deste segmento. Além do novo Mercedes-Benz GLE Coupé, a BMW, a “inventora” original do nicho, revelou a terceira geração do X6, e até a Porsche não resistiu à tentação, revelando o Cayenne Coupé.

A segunda geração do GLE Coupé não podia vir, assim, em melhor altura, com novos argumentos para uma concorrência também ela totalmente nova.

Tal como o GLE apresentado há um ano, os novos argumentos do GLE Coupé refletem os do seu “irmão”: aerodinâmica otimizada, mais espaço disponível, novas motorizações e maior conteúdo tecnológico.

Mercedes-Benz GLE Coupé e Mercedes-AMG GLE 53 Coupé, 2019
Mercedes-Benz GLE Coupé e Mercedes-AMG GLE 53 Coupé, 2019
VÊ TAMBÉM: Mercedes-Benz GLE inicia carreira apenas com um motor… a gasolina

Cresceu relativamente ao antecessor 39 mm em comprimento (4,939 m), 7 mm em largura (2,01 m), e 20 mm em distância entre eixos (2,93 m). A altura, por outro lado, não sofreu alterações, ficando-se pelos 1,72 m.

Quando o comparamos com o irmão GLE, constatamos que é mais comprido (15 mm), largo (66 mm) e baixo (56 mm), com a distância entre eixos a ser, curiosamente, 60 mm mais curta — “o que beneficia o seu comportamento desportivo bem como o seu visual”, diz a Mercedes.

Mais espaço

Os benefícios práticos do aumento de dimensões revelam-se no maior espaço interior disponível em relação ao antecessor. Os passageiros traseiros são os principais beneficiados, com mais espaço para as pernas, assim como um acesso facilitado, graças a aberturas 35 mm mais largas. Também os espaços de arrumação aumentaram em capacidade, totalizando 40 l.

A bagageira é generosa, com 655 l de capacidade (mais 5 l que o antecessor), podendo crescer até aos 1790 l com o rebatimento da segunda fila de bancos (40:20:40) — consequência de um espaço de carga com 2,0 m de comprimento e uma largura mínima de 1,08 m, mais 87 mm e 72 mm, respetivamente. Também a altura do piso da bagageira ao solo foi reduzida em 60 mm, e pode ser reduzida em mais 50 mm, caso esteja equipado com a suspensão Airmatic.

Seis cilindros em linha, Diesel

O novo Mercedes-Benz GLE Coupé será lançado no mercado com duas variantes do OM 656, o mais recente bloco Diesel de seis cilindros em linha do construtor, com 2,9 l de capacidade. O GLE Coupé 350 d 4MATIC apresenta-se com 272 cv e 600 Nm, com consumos e emissões de CO2 entre 8,0-7,5 l/100 km (NEDC) e 211-197 g/km, respetivamente.

O GLE Coupé 400 d 4MATIC eleva a potência e binário até aos 330 cv e 700 Nm, sem penalização aparente nos consumos e emissões — anuncia oficialmente os mesmos consumos, com as emissões a subirem apenas uma grama relativamente ao 350 d.

Ambos estarão acoplados apenas a transmissão automática 9G-TRONIC, de nove velocidades, sempre com dois eixos motrizes — a variação pode ir dos 0 aos 100% entre os dois eixos.

VÊ TAMBÉM: Mercedes-AMG GLC 43 4MATIC renovado. Mais cavalos e tecnologia

Suspensão

No departamento dinâmico, o novo GLE Coupé pode vir com três tipos de suspensão: passiva em aço, Airmatic e E-Active Body Control. A primeira beneficia de pontos de ancoragem mais robustos e geometria otimizada, garantindo uma direção mais precisa e em menos vibrações.

Mercedes-Benz GLE Coupé, 2019

A opcional Airmatic é do tipo pneumático, com amortecedores adaptativos, podendo ser ainda equipada com uma versão de acerto mais desportivo. Além de poder ajustar-se às condições do piso alterando a sua firmeza, ajusta igualmente a distância ao solo — automaticamente ou ao pressionar de um botão, dependendo da velocidade ou contexto. É também auto-nivelante, mantendo a mesma distância ao solo independentemente da carga.

Por fim, a opcional E-Active Body Control é combinada com a Airmatic, conseguindo controlar individualmente as forças de compressão e de retorno da suspensão em cada roda. Permite, assim, contrariar o adornamento, a oscilação vertical e o afundamento da carroçaria.

Mais autónomo

Como seria de esperar, o Mercedes-Benz GLE Coupé vem munido dos últimos desenvolvimentos no que toca não só ao sistema de info-entretenimento MBUX, como também em relação aos sistemas de assistência à condução, entre eles o Active Braking Assist (travagem autónoma de emergência), o Active Distance Assist DISTRONIC (regula automaticamente a velocidade de acordo com os veículos à frente que vão a menor velocidade), Active Stop-and-Go Assist, Active Steering Assist com função de corredor de emergência, etc.

VÊ TAMBÉM: CLA 180 d. Testámos o “menino-bonito” da Mercedes-Benz
Mercedes-AMG GLE 53 Coupé, 2019
Mercedes-AMG GLE 53 Coupé, 2019

53 by AMG, também já foi revelado

Além do GLE Coupé da Mercedes-Benz, ficamos foi levantado o pano sobre o GLE Coupé da Mercedes-AMG, para já só na variante mais soft 53, com os hardcore 63 a surgirem algures para o ano.

Regressando ao Mercedes-AMG GLE 53 Coupé 4MATIC+ — ufa… —, além das visíveis diferenças estilísticas, de caráter mais agressivo, expressando a maior performance disponível, o grande destaque passa, naturalmente, pela sua motorização.

Mercedes-AMG GLE 53 Coupé, 2019

Por baixo do capot está o seis cilindros em linha com 3,0 l de capacidade, acoplado a uma caixa automática de nove velocidades AMG Speedshift TCT 9G, que já conhecemos dos E 53 e que já tivemos oportunidade de testar em vídeo:

O bloco apresenta um turbo e um compressor auxiliar elétrico, e é semi-híbrido. Denominado EQ Boost, este sistema consiste num motor-gerador, encaixado entre motor e transmissão, capaz de debitar 22 cv e 250 Nm (por curtos períodos), alimentado por um sistema elétrico paralelo de 48 V.

Tal como no E 53, o resultado são 435 cv e 520 Nm, capazes de lançar o GLE Coupé 53 até aos 100 km/h em 5,3s e aos 250 km/h de velocidade máxima (limitada).

A suspensão é do tipo pneumático (AMG Ride Control+), à qual é adicionada o sistema de controlo de estabilidade eletromecânico AMG Active Ride Control, e são sete os modos de condução disponíveis, onde se incluem dois específicos para a condução fora de estrada: Trail e Sand (areia).

Opcionalmente podemos equipar o GLE Coupé 53 com um engenheiro de corrida “virtual”, cortesia do AMG Track Pace. Este é adicionado ao sistema MBUX que permite registar e analisar até 80 dados específicos do veículo, medido também os tempos por volta em circuito fechado.

A NÃO PERDER: M 139. O quatro cilindros de produção mais potente do mundo

Quando chegam?

Os novos Mercedes-Benz GLE Coupé e Mercedes-AMG GLE 53 Coupé 4MATIC+ serão apresentados publicamente no próximo Salão de Frankfurt (12 de setembro) e terão chegada prevista ao mercado nacional na primavera de 2020.

Sabes responder a esta?
A que modelo o Mercedes SL 73 AMG "emprestou" o motor?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Mercedes-Benz SL 73 AMG (R129): o roadster que emprestou o motor à Pagani

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos