Apresentação

SUV pró-família. Os 4 pontos chave do novo Mercedes-Benz GLB

Antecipado no último Salão de Xangai por um protótipo, fica a conhecer os destaques do Mercedes-Benz GLB, o novo SUV da marca da estrela.

Mais um SUV? Claro que sim. O novo Mercedes-Benz GLB, tal como o nome deixa adivinhar, posiciona-se entre o mais compacto GLA (nova geração com apresentação prevista para Frankfurt, em setembro) e o maior GLC, recentemente revisto, e posicionado um segmento acima.

Como podemos ver, o seu design é caracterizado por formas mais cúbicas e as linhas mais horizontais e verticais predominam — denota uns certos laivos de G-Wagen —, a deixar adivinhar um interior com níveis de aproveitamento de espaço superiores, como verificaremos já a seguir.

MFA II, o oitavo

O novo Mercedes-Benz GLB é o oitavo modelo a “nascer” da MFA II, a segunda geração da plataforma para modelos compactos da marca de Estugarda. Estreada pelo Classe A, já a vimos também servir o Classe A Limousine e a sua variante longa, o CLA Coupé e CLA Shooting Brake, o Classe B e servirá também o novo GLA.

VÊ TAMBÉM: ESF 2019. O futuro da segurança automóvel segundo a Mercedes-Benz
Mercedes-Benz GLB

Apesar de ser a plataforma para carros compactos da Mercedes-Benz, o GLB não é assim tão compacto, ao apresentar 4,634 m de comprimento, 1,834 m de largura e 1,658 m de altura —o comprimento é apenas 22 mm mais curto que o GLC.

Até 7 lugares

A justificação para comprimento tão generoso e também para os 2,829 m de distância entre eixos — 10 cm mais que o Classe B —, é a possibilidade de poder transportar até sete passageiros. A terceira fila de bancos é opcional, e de acordo com a marca, permite transportar pessoas até 1,68 m de altura — mais indicado para crianças…

Mercedes-Benz GLB

Apesar do espaço algo limitado, a Mercedes-Benz não se esqueceu do conforto desses ocupantes ao providenciar porta-copos, dois espaços de arrumação, cada um com uma porta USB.

No entanto, talvez seja melhor ficar pela configuração de série, com cinco lugares, e optar, ao invés, pela segunda fila de bancos com ajuste longitudinal (costas também são ajustáveis). Os 14 cm de ajuste que possibilita, permite aumentar em até mais 179 l a capacidade da bagageira, que na sua configuração normal é de 560 l.

Quarteto de motores

O novo Mercedes-Benz GLB será lançado com quatro motorizações, todas elas já conhecidas dos restantes membros da família de modelos compactos da marca. São duas as motorizações a gasolina e duas a gasóleo, acopladas a uma caixa de dupla embraiagem de sete ou oito velocidades, e a tração pode ser dianteira ou às quatro rodas:

  • GLB 200 — 1.33 l, quatro cil., turbo, 163 cv, 250 Nm, 7G-DCT
  • GLB 250 4MATIC — 2.0 l, quatro cil., turbo, 224 cv, 350 Nm, 8G-DCT
  • GLB 200 d e GLB 200 d 4MATIC — 2.0 l, quatro cil., turbo, 150 cv, 320 Nm, 8G-DCT
  • GLB 220 d 4MATIC — 2.0 l, quatro cil., turbo, 190 cv, 400 Nm, 8G-DCT
VÊ TAMBÉM: Land Rover Discovery. Isto sim, é um verdadeiro SUV

Off-road?

O formato é claramente SUV e até tem versões com tração às quatro rodas ou 4MATIC em linguagem Mercedes. Dependendo do modo de condução escolhido, a quantidade de potência/binário enviado para o eixo traseiro também varia. O modo Eco/Comfort é baseado numa distribuição 80:20 (frente, traseira), no modo Sport passa a 70:30, enquanto no modo Off-Road, a distribuição passa a 50:50.

Mercedes-Benz GLB

As capacidades fora de estrada do GLB podem ser potenciadas caso optemos pelo Off-Road Engineering Package, que adiciona um modo de condução suplementar, selecionado através do comando Dynamic Select.

Neste modo, a resposta do motor e o ABS são ajustadas para uma condução fora de estrada, e temos um controlo de descidas (Downhill Speed Regulation), onde podemos pré-selecionar uma velocidade de descida entre os 2 km/h e os 18 km/h.

Independentemente do número de rodas motrizes, todos os GLB apresentam o mesmo esquema de suspensão — MacPherson na dianteira e multilink na traseira —, com a suspensão adaptativa a estar na lista de opcionais.

E mais?

O novo Mercedes-Benz GLB vai ser produzido no México e também na China (produção para o mercado local) e é de esperar que, tal como vimos nos outros modelos derivados da MFA II, outras variantes se juntem às já divulgadas, como um GLB 35 ou até, quem sabe, um GLB 45.

Prevista também está uma variante híbrida plug-in, e que ao que tudo indica, poderá servir de base para o futuro EQB, variante 100% elétrica prevista para 2021.

De momento, ainda não foram divulgados preços ou datas de lançamento.

Sabes responder a esta?
Qual a potência máxima do motor que vai equipar o Mercedes-AMG A 45?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

M 139. O quatro cilindros de produção mais potente do mundo

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos