Fórmula 1

Muda o continente, muda o vencedor? O que esperar do GP do Canadá?

Depois de três provas em solo europeu o campeonato do mundo de Fórmula 1 viajou até ao Canadá. Será que é desta que outra equipa que não a Mercedes vence?

Seis provas depois do início do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 e ainda continuamos à espera que outra equipa que não a Mercedes seja capaz de subir ao lugar mais alto do pódio. Agora, com o GP do Canadá aí à porta, as expectativas são as mesmas que se têm estabelecido desde o começo da temporada: será que é desta que alguém bate a Mercedes?

Depois de no Mónaco não ter alcançado, pela primeira vez esta época, a dobradinha, com Vettel a conseguir intrometer o seu Ferrari entre os dois “flechas prateada” (ficando atrás de Hamilton) a Mercedes parece ter adotado um discurso mais calculista.

A prová-lo estão as declarações de Totto Wolf que afirmou que no circuito canadiano a Ferrari tem vantagem devido à maior velocidade em linha reta, algo que Valteri Bottas também confirmou, isto apesar de os monolugares da equipa alemã terem recebido novas unidades motrizes (algo que já estava planeado).

VÊ TAMBÉM: Respeito. Century GRMN é o carro do presidente da Toyota

Para já, numa altura em que já se realizaram as primeiras sessões de treinos, a “apreensão” da Mercedes parece mais bluff do que outra coisa. Afinal de contas, os dois Mercedes obtiveram os melhores tempos, com o Ferrari de Leclerc (que quer fazer esquecer um acidentado GP do Mónaco) a ter de se “contentar” com o terceiro melhor tempo.

O Circuito Gilles Villeneuve

Localizado em Montreal, o circuito onde se disputa o GP do Canadá deve o seu nome ao malogrado piloto canadiano Gilles Villeneuve, sendo que este ano se assinala a 40ª vez que o GP do Canadá se disputa neste circuito (de um total de 50 edições da prova canadiana).

Estendendo-se ao longo de 4,361 km, o circuito canadiano é conhecido por misturar elementos de um circuito urbano com os de um circuito fixo sendo que o seu traçado (com 13 curvas) leva as equipas a favorecerem a velocidade em linha reta em detrimento da velocidade em curva.

Em relação aos pilotos mais bem sucedidos no GP do Canadá, Schumacher lidera com sete vitórias, sendo que, se Hamilton vencer neste fim de semana irá igualar o alemão. Já a equipa mais bem sucedida no grande prémio canadiano é a McLaren com um total de 13 vitórias, seguida da Ferrari com 12.

O que esperar?

À partida, o GP do Canadá parece “desenhado” para ser uma luta entre a Mercedes e a Ferrari com a Red Bull a observar (a alguma distância). No entanto, se os resultados da primeira sessão de treinos livres se forem confirmando a verdade é que podemos estar prestes a assistir a mais uma prova dominada de “fio a pavio” pela Mercedes.

VÊ TAMBÉM: Agora sim! Toyota GR Supra testado em vídeo. É digno do nome?

Já no resto do pelotão, a Haas pode tirar partido do facto de usar um motor Ferrari para tentar “brilhar” no Canadá. Já a McLaren irá tentar manter-se como a melhor fora das “três grandes” com a Racing Point a tentar tirar partido do motor Mercedes para se aproximar da equipa britânica.

Quanto à Renault, os alarmes continuam a soar e os resultados por aparecer, sendo que a equipa francesa conta até com um piloto que sabe o que é vencer em Montreal (Daniel Ricciardo, que ali obteve a sua primeira vitória em 2014). Já a Toro Rosso, Alfa Romeo e Williams deverão lutar entre si para se afastarem dos dois últimos lugares.

O GP do Canadá tem começo marcado para as 19h05 (hora de Portugal continental) de domingo, sendo que para amanhã à tarde, a partir das 18h40 (hora de Portugal continental) está marcada a qualificação.

Sabes responder a esta?
Quanto tempo demora o McLaren Speedtail a cumprir os 0 aos 300 km/h?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Speedtail. Este é o McLaren mais rápido de sempre

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos