Segurança Rodoviária

A partir de 2022 carros novos vão ter de ter limitador de velocidade

A Comissão Europeia aprovou provisoriamente a instalação obrigatória de 11 novos sistemas de segurança nos automóveis a partir de 2022.

Com o objetivo de reduzir para metade o número de mortes nas estradas europeias até 2030 e a praticamente zero o número de fatalidades e feridos até 2050, a Comissão Europeia (CE) quer tornar obrigatório o uso de 11 novos sistemas de segurança nos automóveis que conduzimos.

Foi em maio de 2018 que tomámos conhecimento desta proposta da CE, proposta aprovada recentemente, ainda que provisoriamente — a aprovação definitiva deverá ocorrer ainda este ano. A única diferença reside na data de implementação que avançou um ano, de 2021 para 2022.

A Comissão Europeia espera que as medidas propostas ajudem a salvar mais de 25 mil vidas e a evitar pelo menos 140 mil feridos graves até 2038.

RELACIONADO: Como é que a Volvo vai evitar perda de vidas e feridos graves nos seus automóveis?
Peugeot Rifter crash-test

11 novos sistemas de segurança obrigatórios

Como referimos, um total de 11 novos sistemas de segurança passarão a ser obrigatórios nos automóveis, muitos deles já conhecidos e presentes nos carros que conduzimos de hoje em dia:

  • Travagem autónoma de emergência
  • Pré-instalação Alcoolímetro bloqueador de ignição
  • Detetor de Sonolência e Distração
  • Registo de dados em caso de acidentes (caixa negra)
  • Sistema de Paragem de Emergência
  • Atualização do Crash-test frontal (toda a largura do veículo) e cintos de segurança melhorados
  • Zona de impacto da cabeça alargada para peões e ciclistas, e vidro se segurança
  • Assistente inteligente de velocidade
  • Assistente de manutenção na faixa de rodagem
  • Proteção dos ocupantes — impactos contra poste
  • Câmara traseira ou sistema de deteção

Nesta lista, a Atualização do Crash-Test Frontal, não é um equipamento de segurança em si, mas uma revisão dos testes de certificação europeus — apesar de mais mediáticos, os testes e critérios do Euro NCAP não têm valor regulatório —, tornando-os mais exigentes.

O equipamento que mais discussão está a gerar é o Assistente Inteligente de Velocidade. Este recorrerá a dados do GPS e à funcionalidade de reconhecimento de sinais de trânsito para alertar os motoristas dos limites de velocidade, podendo até limitar automaticamente a velocidade do veículo para não exceder a velocidade permitida, limitando a potência disponível. Fica por saber se a possibilidade de desligar temporariamente o sistema mantém-se, como anunciámos anteriormente.

Nota de destaque também para o Detetor de Sonolência e Distração, uma medida que vimos recentemente também anunciada pela Volvo, que recorre a câmaras no interior e outros sensores capazes de detetar o estado de atenção do condutor; o Registo de Dados em caso de acidentes, ou seja, uma caixa negra similar às que encontramos nos aviões; e a Pré-instalação de Alcoolímetro, o que não implica a instalação do alcoolímetro em si, mas sim que o veículo esteja pronto para os receber.

90% dos acidentes na estrada devem-se a erro humano. As novas características de segurança obrigatórias que propomos hoje reduzirão o número de acidentes e abrirão caminho a um futuro sem condutores com condução conectada e autónoma.

Elżbieta Bieńkowska, comissária europeia para os mercados

Fonte: Comissão Europeia

Sabes responder a esta?
Que carro conseguiu atingir as 300 mph em uma milha de distância?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

E aconteceu… Ford GT quebra as 300 mph em apenas uma milha

Mais artigos em Notícias