Curiosidade

Quantos cavalos de potência tem o corpo humano?

Qual o vosso palpite? Será que consegue debitar mesmo um cavalo-vapor? Descubram, afinal, quantos cavalos de potência tem o corpo humano.

Quantos cavalos de potência tem o corpo humano é aquele tipo de pergunta que poderá surgir na mente mais irrequieta. Poderá mesmo o corpo humano produzir tanta ou mais potência do que um… cavalo?

Já nos debruçámos antes sobre as razões porque usamos o termo cavalo-vapor — cavalos “para os amigos” — como unidade de potência. James Watt, no início da Revolução Industrial no séc. XVIII foi um dos pais da máquina a vapor e foi ele quem cunhou o termo horsepower — que chegaria até nós como cavalo-vapor.

Foi a forma que Watt encontrou para conseguir comunicar e comparar o desempenho da sua máquina contra a “máquina” mais usada na altura: o cavalo! Era mais fácil para os seus potenciais clientes quantificarem o desempenho das revolucionárias máquinas a vapor quando o comparavam com os do cavalo a que estavam acostumados.

RELACIONADO: Porque se mede a potência em cavalos?

Os cálculos que James Watt efetuou para determinar o quanto é a potência de um cavalo perderam-se no tempo, mas no nosso sistema métrico, podemos resumir a experiência de acordo com o que podemos ver na seguinte imagem:

Cavalo Vapor no sistema métrico
Cavalo Vapor no sistema métrico

 

Afinal, quanto é um cavalo-vapor?

Essencialmente, um cavalo de potência é o equivalente a 75 kgf·m/s (quilograma-força metro por segundo), ou seja, a capacidade de elevar 75 kg um metro contra a gravidade terrestre durante um segundo.

Imaginem que conseguem levantar uma pessoa com 75 kg de peso até um ponto algures entre a vossa cintura e peito (o equivalente a um metro, varia de acordo com a estatura), e voilá, acabaram de produzir um cavalo de potência para efetuar esse trabalho.

Mas o corpo humano pode debitar mais do que 1 cv de potência, tarefa facilitada se forem atletas. Imaginem o mesmo exercício por um halterofilista e verificamos que poderá produzir entre 2 cv e 3 cv nesse mesmo segundo, ao elevar 150 kg ou até mais de 200 kg a um metro do solo.

Também os ciclistas de sprint em circuito fechado são capazes de produzir “explosões” de 2000 W, o equivalente a 2,7 cv.

Convém sempre lembrar que estes valores de potência são resultados medidos num segundo ou pouco mais, não são sustentáveis a longo prazo — o nosso corpo não foi “desenhado” para tal —, como acontece com uma máquina.

Imaginem o sprint final numa etapa de uma prova de ciclismo, onde se discute a vitória centímetro a centímetro até ao cruzar da linha de meta. Aquela última explosão de potência por parte dos ciclistas — à volta de 2,3 cv — só é possível durante alguns segundos, não muitos. O corpo simplesmente colapsaria em mantê-la, imaginemos, durante um par de minutos.

Banco de ensaio
E agora, para o banco de ensaio… Ba Dum Tss!

 

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos