Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Design

Sim, alguém decidiu reimaginar e reinventar um… Yugo

O Yugo GT 5000 não pretende apenas reavivar um modelo do passado, mas reinventá-lo totalmente, transformando-o em algo bem maior e poderoso.

Esta é definitivamente para os mais veteranos. A Yugo já foi a menina dos olhos da ex-Jugoslávia, mas também o motivo de tantas piadas por esse mundo fora.

A sua história seria marcada pelo fim da Segunda Guerra Mundial, com a Zastava (nome da empresa mãe) a entrar definitivamente na produção de automóveis, com marca própria — no passado já tinha produzido camiões de outros construtores e no pós-Guerra até chegou a produzir o Willys MB — sim, o jipe ou jeep original.

Tal como aconteceu com a Lada e até a SEAT, também a Yugo seria “alimentada” por modelos Fiat, a partir da década de 50. Em 1971 seria introduzido o 311, que teve vários nomes dependendo do mercado, como Skala (nada a ver com o futuro Skoda Scala), por exemplo.

VÊ TAMBÉM: Kia ProCeed. “Shooting brake” cheia de estilo em Paris

O Yugo 311 era baseado no conhecido Fiat 128, com as grandes diferenças a residirem na secção traseira, onde chegaria até a abandonar o perfil de três volumes, assumindo-se como um “liftback” ou dois volumes e meio.

Zastava Yugo 311
O original, o Yugo 311, derivado do Fiat 128
Yugo ou Zastava?
A marca Yugo nasceu como Zastava Automobili na antiga Jugoslávia em 1953, apesar das suas origens remontarem ao séc. XIX. A sua internacionalização (Europa Ocidental e EUA) seria efetuada, no entanto, com outra denominação: Yugo. Fecharia portas em 2008, mantendo sempre uma colaboração com a Fiat (o Punto II seria produzido pela Zastava). Após a bancarrota, a FCA compraria e remodelaria a fábrica, produzindo hoje em dia o 500L.

História muito resumida para contextualizarmos esta proposta que vos trazemos hoje do jovem designer Mihael Merkler, da Macedónia. Ele não quis apenas imaginar um Yugo 311 para os nossos dias, ele reinventou-o totalmente… E assim nasce o Yugo GT 5000.

Yugo… “bad ass”

O GT 5000 parece conseguir, muito levemente, herdar alguns traços do modesto modelo que lhe serviu de inspiração, mas pouco ou nada tem a ver com ele.

De “carro do povo” a uma imensa e musculada berlina de três portas, de dimensões similares a um Chrysler 300C (mais de 5,0 m de comprimento), equipada com um potente V8 de 5.0 l Turbo — daí o nome Yugo GT 5000 —, com 600 cv, tração integral e caixa automática de oito velocidades(!).

Yugo GT 5000 Yugo GT 5000

O Yugo GT 5000, graças ao poderio mecânico, conseguiria, de acordo com o seu autor, alcançar os 100 km/h em 2,8s e atingir os 322 km/h de velocidade máxima. Se é para reinventar, porque não reinventar em grande?

Como Mihael Merler refere, “digam adeus ao pequeno, barato e humilhado Yugo :)”.

Fiquem com mais imagens deste curioso projeto:

Yugo GT 5000 Yugo GT 5000 Yugo GT 5000 Yugo GT 5000 Yugo GT 5000 Yugo GT 5000

Fonte: Béhance

Mais artigos em Notícias