Salão de Paris 2018

Revelado em Paris: tudo (mas mesmo tudo) sobre o novo BMW Série 3

O novo BMW Série 3 já é oficial e com a nova geração de um dos best-sellers da marca alemã chegam várias novidades. Depois de ontem te termos mostrado as primeiras imagens do novo modelo hoje trazemos-te os principais pontos de uma das maiores atrações do salão de Paris deste ano.

Lançado hoje no Salão de Paris, o novo BMW Série 3 promete continuar a dificultar a vida ao Mercedes-Benz Classe C e ao Audi A4. Maior e mais leve, a sétima geração do Série 3 é mais uma evolução do que uma revolução do modelo que tem sido uma das pedras basilares da marca bávara.

Apesar de partilhar algumas características com a geração anterior (F30), como a arquitetura com motor longitudinal dianteiro, o capot longo e o habitáculo recuado, e de o visual manter o típico ar de família da BMW não te deixes enganar, a nova geração do BMW Série 3 (G20) é um carro completamente novo e a prová-lo estão uma série de novidades.

Maior no exterior, mais espaçoso no interior

Apesar de, à primeira vista, poder passar despercebido, o Série 3 cresceu em todos os sentidos. Está mais comprido (cresceu cerca de 85 mm), mais largo (aumentou 16 mm) e viu a distância entre eixos aumentar 41 mm, para chegar aos 2,85 m. No entanto, apesar de estar maior e de ter visto, de acordo com a BMW, a rigidez estrutural aumentar 50%, a sétima geração do Série 3 conseguiu até perder peso, com a dieta a chegar até aos 55 kg em algumas versões.

ESPECIAL: Todas as novidades do Salão de Paris 2018
BMW Série 3 2018

Maiores dimensões exteriores são ainda sinónimo de uma melhoria na habitabilidade e na versatilidade, com o Série 3 a oferecer mais espaço nos bancos da frente, uma bagageira com capacidade para 480 l e um banco traseiro rebatível em três (40:20:40).

Tecnologia ao serviço da segurança

O novo Série 3, como não podia deixar de ser, traz consigo várias ajudas à condução, contando com sistemas de aviso à colisão capazes de detetar peões e até travar automaticamente, proteção contra colisões laterais, sistemas que avisam o condutor quanto à perda de prioridade ou quando circula em sentido contrário, para além dos já habituais assistentes ao parqueamento, com o Série 3 a conseguir entrar e sair de um lugar praticamente de forma automática e a dispor de câmaras que permitem uma visualização de 360º à volta do carro.

RELACIONADO: UE. Estes sistemas de segurança vão passar a ser obrigatórios a partir de 2021

Mas há mais, o BMW Série 3 dispõe ainda de um sistema que faz a transmissão funcionar em conjunto com o sistema de navegação e com o cruise control adaptativo para mudar de relação de caixa no melhor momento. Um exemplo? Este sistema reduz a mudança no trânsito para permitir usar o travão motor em vez dos travões para abrandar.

Já o sistema Extended Traffic Jam Assistant (que engloba o Active Cruise Control e o Lane Keeping Assistant) praticamente permite ao novo BMW conduzir-se a ele próprio até 60 km/h em situações de pára arranca.

RELACIONADO: Nenhum automóvel conduz sozinho. É isto que acontece quando insistimos

No interior tudo novo

É no interior desta nova geração do BMW Série 3 onde encontramos as maiores mudanças. Para além do aumento da habitabilidade o novo modelo da BMW chega ao mercado com dois painéis de instrumentos disponíveis. De série traz que um painel de 5,7″ (o anterior media apenas 2,7″), tendo como opção um painel totalmente digital com um ecrã de 12,3″, designado BMW Live Cockpit Professional.

O novo tablier, (sempre) direcionado para o condutor, apresenta ainda novas saídas de ventilação centrais, novos comandos e uma nova consola central que inclui os comandos do iDrive, o botão do sistema start-stop, os comandos do Driving Experience Control e o novo travão de mão elétrico. De série oferece um ecrã que domina a parte superior do tablier que pode ir das 6,5″ até às 8,8″, sendo que está também disponível como opção um ecrã de 10,25″.

Por dentro desta sétima geração do Série 3 saltam ainda à vista o novo volante, a iluminação interior em LED de série e ainda o BMW Operating System 7.0, que pode ser controlado através do ecrã tátil, do comando iDrive, através dos comandos existentes no volante ou até através da voz ou de gestos do condutor. O novo modelo da BMW dispõe ainda do sistema BMW Digital Key que permite entrar no carro e colocar o motor a trabalhar usando apenas o telemóvel.

A princípio só a gasóleo ou a gasolina

No lançamento do Série 3 a BMW apenas vai disponibilizar motores a gasolina ou a gasóleo, estando reservada para o futuro a versão híbrida plug-in e a sempre aguardada versão M Performance. Assim, para já, o BMW Série 3 vai contar com quatro opções tetracilíndricas (duas a gasolina e duas a gasóleo) e uma opção de seis cilindros Diesel. Comum a quase todas as versões é a tração traseira, sendo a única exceção o 320d xDrive, para já o único a dispor de tração integral.

Na base da oferta a gasolina está o 320i, com 184 cv, e um consumo anunciado entre os 5,7 e os 6,0 l/100 km, e emissões de CO2 entre 129 e 137 g/km. A segunda versão a gasolina é a 330i e produz 258 cv, debitando um binário de 400 Nm e a marca alemã prevê que nesta versão os consumos fiquem entre os 5,8 e os 6,1 l/100 km, com  as emissões de CO2 a ficarem entre as 132 e as 139 g/km.

Já do lado dos Diesel a oferta arranca com a versão 318d, que oferece 150 cv e um binário de 320 Nm, já em relação aos consumos da motorização Diesel base, a marca apresenta valores provisórios entre os 4,1 e os 4,5 l/100km e emissões de CO2 de 108 a 120 g/km. Para a versão 320d a marca alemã anuncia consumos de 4,2 a 4,7 l/100 km e emissões de CO2 entre 110 e 122 g/km na versão de tração traseira e 4,5 a 4,8l l/100 km e emissões de CO2 entre as 118 g/km e as 125 g/km para a versão de tração integral, com ambas a debitarem 190 cv e 400 Nm de binário.

RELACIONADO: Os motores Diesel vão mesmo acabar? Olhe que não, olhe que não…

Já no topo da oferta Diesel está o único motor de seis cilindros para já disponível, o 330d. Nesta versão o Série 3 dispõe de 265 cv e 580 Nm de binário, com consumos que variam entre os 4,8 e os 5,2 l/100 km, e apresenta valores de emissões de CO2 entre 128 e 136 g/km.

Para o próximo ano está prevista a chegada da versão híbrida plug-in e da versão M Performance. A versão mais ecológica vai ter uma autonomia de 60 km em modo elétrico, consumo de 1,7 l/100km e apenas 39 g/km de CO2 de emissões. Já o BMW M340i xDrive, vai dispor de um motor de seis cilindros em linha, capaz de produzir 374 cv e 500 Nm de binário que vão permitir à berlina alemã acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 4,4s e de acordo com as previsões da BMW, os consumos ficarão pelos 7,5 l/100km com emissões de 199 g/km.

Subscreve o nosso canal de Youtube.

Aposta na dinâmica continua

Como não podia deixar de ser a nova geração do BMW Série 3 aposta forte, como é habitual na marca, na dinâmica, com o novo modelo bávaro a contar com nova tecnologia a nível dos amortecedores, maior rigidez estrutural, novos suportes de suspensão, maior largura de vias, um centro de gravidade mais baixo e a tradicional, mas essencial, distribuição de peso 50:50. Tudo isto deixa bem visível a aposta da BMW no desempenho dinâmico do seu novo modelo.

O Série 3 oferece ainda várias opções para melhorar o desempenho dinâmico, trabalho levado a cabo pela divisão M. Assim, o novo BMW pode dispor (como opção) de uma suspensão M Sport, que lhe reduz a altura ao solo; do sistema Adaptive M suspension; de direção desportiva variável, travões M Sport, diferencial M Sport controlado electronicamente e jantes de 19″.

O novo BMW Série 3 vai estar disponível em quatro níveis de equipamento: Advantage, Sport Line, Luxury Line e M Sport.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos