Apresentação

Fiat 500 Spiaggina, o derradeiro carro do verão

O 60º aniversário do original Fiat 500 Jolly Spiaggina, deu origem a uma série especial e ao exclusivo 500 Spiaggina by Garage Italia.

Para celebrar o 60º aniversário do Fiat 500 Spiaggina, de nome completo 500 Jolly Spaiggina, a marca italiana apresentou, com base no 500 atual, dois tributos ao veraneante modelo. Um deles na forma de um curioso protótipo — criação da Garage Italia e Pininfarina —, e outro sob a forma de uma série especial do Fiat 500C. 

O Fiat 500 Jolly Spiaggina — que se pode traduzir em algo semelhante a um buggy para a praia —  surgiu, originalmente, em 1958, exatamente um ano depois do primeiro 500, e seria a primeira série especial do icónico modelo. Tratava-se mais do que um Fiat 500 descapotável — além de não ter teto rígido, também não tinha portas, os bancos eram em vime, e o que poderíamos chamar de teto, não era mais do que um toldo para proteger do sol.

O 500 Spiaggina foi produzido entre 1958 e 1965 pela Carrozzeria Ghia, e ganharia uma segunda variante, baseada na Giardiniera, a carrinha do 500. Custava o dobro de um 500 normal, mas mantinha o mesmo bicilindrico de 22 cv arrefecido a ar. Acabou por ganhar preferência por algumas das personalidades mais influentes da época, fossem magnatas da indústria como Aristotle Onassis, fossem estrelas de cinema como Yul Brynner, ou até líderes de nações como o Lyndon B. Johnson, presidente dos EUA.

500 Spiaggina by Garage Italia

No duplo tributo da Fiat ao 500 Spiaggina, a proposta da Garage Italia e Pininfarina ganha o nosso voto. A reinterpretação moderna do conceito originou um Fiat 500 com apenas dois lugares, sem teto ou para-brisas digno desse nome — a Garage Italia chama-lhe de para-brisas náutico. A cargo da Pininfarina esteve a execução do roll-bar e dos reforços estruturais necessários para garantir níveis suficientes de rigidez do 500 Spiaggina.

Fiat 500 Spiagginfa by Garage Italia

O espaço onde deveriam estar os lugares traseiros passa a ser um espaço de carga, forrado a cortiça, com um padrão a recordar a teca encontrada em iates de luxo. Até o acesso à mala é distinto, com o 500 Spiaggina a assemelhar-se a uma mini pick-up. Também os dois bancos dianteiros não permaneceram incólumes, assemelhando-se a um banco corrido, evocando soluções típicas da década de 60.

O sentimento nostálgico é reforçado pela combinação cromática de azul Volare e branco Perla (pérola), que tem igual correspondência no interior, rematado com uma série de elementos a cromado.

RELACIONADO: O ano do Fiat 500. Aniversário, edições especiais, sucesso de vendas e um… selo?

Apesar de todo ele “gritar” concept, a Garage Italia refere que aceita encomendas para os interessados, transformando o 500 num Spiaggina, tal e qual o modelo que deram a conhecer.

500 Spiaggina ’58 da Fiat

O segundo tributo é a série especial Spiaggina ’58, baseada no 500C, que será produzida em 1958 unidades. Tal como a proposta da Garage Italia, a carroçaria é revestida a azul Volare, a capota é em bege e os bancos apresentam-se em dois tons. As próprias jantes de 16″ remetem para outros tempos — já vistas no 500 ’57 —, e apontamentos cromados “salpicam” a carroçaria, como as capas dos retrovisores ou até a identificação da versão na traseira, com uma elegante fonte manuscrita.

Apesar do apelo nostálgico, o 500 Spiaggina ’58 vem com as mais recentes “modernices”: sistema de info-entretenimento Uconnect com ecrã tátil de 7″, Apple Car Play e Android Auto, AC Automático ou sensores de estacionamento traseiros. Também está disponível em duas motorizações a gasolina, as já conhecidas 1.2 de 69 cv e o Twinair de 0.9 l com 85 cv.

Fiat 500 Spiaggina '58

Sabes responder a esta?
O Audi e-tron será o primeiro modelo de produção a ter…
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Não estão a ver mal. Os retrovisores do Audi e-tron estão no seu interior

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos