Salão de Genebra 2018

Nova geração do icónico Jeep Wrangler apresentada em Genebra

A nova geração do icónico Jeep Wrangler chega agora à Europa. As aptidões fora de estrada permanecem incólumes, mas promete maior conforto e economia para o dia-a-dia.

Após a sua introdução no Salão de Los Angeles, EUA, em novembro do ano passado, o novo Jeep Wrangler faz a sua estreia na Europa, no Salão de Genebra.

A Jeep foi cuidadosa na nova geração (JL e JLU) do seu modelo mais icónico e simbólico. Se noutros automóveis podemos criticar a evolução tímida do desenho de geração para geração, no caso do Wrangler, assim como outros exemplos semelhantes, como o Mercedes-Benz Classe G, a regra parece ser mudar o mínimo possível.

Um objetivo alcançado com sucesso no Jeep Wrangler, apesar de se tratar de um modelo totalmente novo. O perfil icónico mantém-se, assim como os guarda-lamas separados do compartimento do motor. Mas há diferenças: o para-brisas é agora mais inclinado em benefício da aerodinâmica, as óticas são agora em LED e os piscas, também em LED, estão integrados nos para-lamas, entre outros pormenores.

Jeep Wrangler

Versatilidade a toda a prova

A versatilidade do Wrangler, por outro lado, foi reforçada e melhorada: o para-brisas continua a ser rebatível — bastam quatro parafusos para o fazer em vez dos 28 no predecessor —, as portas podem ser retiradas, assim como o teto. Também tem três capotas distintas: rígida, de lona e uma terceira, igualmente em lona, mas de acionamento elétrico, que funciona mais como um enorme teto de abrir, não podendo ser retirada.

Naturalmente, as capacidades fora de estrada estão em evidência, com o novo Jeep Wrangler a melhorar à volta de 2 graus tanto os ângulos de ataque, saída e ventral, e um aumento da distância ao solo à volta de três centímetros.

Mais leve e espaçoso

O novo Jeep Wrangler assenta sobre uma nova plataforma, que permitiu reduzir o peso à volta de 90 kg, graças ao recurso a aços de alta resistência como também alumínio e até magnésio na porta traseira. Também cresceu marginalmente, com os ocupantes traseiros a serem os maiores beneficiados, com espaço acrescido para pernas.

Continuando no interior, é aqui que se nota realmente o salto evolutivo para o anterior. O novo tablier integra um novo sistema de infoentretenimento UConnect — ecrã tátil que pode ter entre 7″ e 8,4″ —, e uma consola central mais larga — como as portas podem ser retiradas, não admira que os comandos de abertura dos vidros se encontrem aqui.

Willys, 1941
O original de 1941.

Motores

A gasolina existe uma nova unidade semi-híbrida 48V, 2.0 litros, turbo, com 268 cv e 400 Nm. O Diesel recorrerá a um bloco V6, com 3.0 litros de capacidade. Ambos os motores estão acoplados a transmissão automática de oito velocidades.

Mas estes motores estão apenas confirmados para os EUA. Apesar da presença em Genebra, ainda não se sabe que motores farão parte da gama no Velho Continente.

Jeep Wrangler
A NÃO PERDER: Todas as novidades do Salão de Genebra 2018 de A a Z

Subscreve o nosso canal de YouTube, e acompanha os vídeos com as novidades, e o melhor do Salão de Genebra 2018.

Sabes responder a esta?
O Ford Edge, na Europa, recebeu um novo motor para a versão topo de gama. Que motor é?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ford Edge estreia novo 2.0 EcoBlue Diesel com 238 cv

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos