Ameaçados

Porsche 718 Boxster e 718 Cayman. Espécimes em vias de extinção

Se o Porsche 911 tem sempre futuro assegurado, o dos Porsche 718 Boxster e 718 Cayman, por outro lado, já não é assim tão certo.

Tradicionalmente, o surgir de uma nova geração do 911 significa também que uma nova geração dos (agora) Porsche 718 Boxster e 718 Cayman não andará longe. A próxima geração do 911 — denominada de 992 — tem chegada prevista para 2019, com a apresentação a decorrer, possivelmente, ainda no final deste ano.

Só que desta vez, as tradicionais certezas já não são assim tantas. O mercado para este tipo de desportivos, mais compactos, está a contrair, o que dificulta as contas para justificar o avultado investimento numa nova geração. O surgimento de mais rivais, como o Jaguar F-Type ou até o novo Alpine A110, num segmento que não cresce em volume, também dificulta o atingir dos objetivos.

Porsche 718 Cayman GTS

Adicione-se também o desafio de tornar estes desportivos mais eficientes, mas não menos emocionantes e sem afetar a performance — o cumprimento das normas de emissões elevará os custos de desenvolvimento e produção.

De momento, de acordo com a americana Automobile Magazine, e considerando o cenário descrito acima, a Porsche discute várias opções para o futuro dos Porsche 718, que determinarão até se vale a pena continuarem a existir.

Porsche 718 Boxster GTS

As opções em discussão

Continuar a atualizar os carros atuais — O restyling de 2016 trouxe o nome 718 e os motores de quatro cilindros boxer turbo. Não seria difícil para a marca prolongar o ciclo de vida da atual geração (982) uns anos com mais uma ou outra atualização estilística, mecânica e dinâmica.

Restyling profundo mantendo a base existente — Uma nova geração mantendo o hardware do atual, negando-lhe as atualizações da geração 992 do Porsche 911. Poderia contribuir para um maior controlo dos custos na linha de produção.

Novo modelo 100% elétrico — Talvez a opção mais radical, derivando, possivelmente, de uma versão curta da base do futuro Mission E. Mas considerando o packaging, com as baterias posicionadas no chão da plataforma, por baixo dos ocupantes, não originaria um desportivo demasiado alto?

Parceria com a Audi — Para conseguir os volumes necessários e partilhar os custos, seria a opção mais lógica. A Audi andou a tentar-nos com a hipótese de um R6/R4 durante anos, através de protótipos. Tal como o 718, eram desportivos de dois lugares com motor central traseiro. Altura de reinventar o Audi TT e garantir a continuação dos 718?

Simplesmente acabar com os 718 — Tão radical como a opção elétrica. Mas, para uma marca que se auto-intitula de ser uma de automóveis desportivos, ter mais SUV no portefólio do que verdadeiros desportivos, simplesmente não parece certo…

 

 

Sabes responder a esta?
Que motor equipava o Alfa Romeo 33 Stradale, de 1967?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Alfa Romeo 33 Stradale. Beleza necessária
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

Alfa Romeo 33 Stradale. Beleza necessária

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos