Curiosidades

Usados. Estudo revela as cores mais fáceis de vender e as mais difíceis

Que as cores são um aspecto fundamental na escolha do automóvel, não restam dúvidas. Mas, e se te disséssemos que estas também influenciam na revenda?

Se, no momento da compra do teu automóvel, foste daqueles que não se importou de esperar vários meses só para ter exactamente aquela cor com que sempre sonhaste, então, agora que pensas em vendê-lo, o melhor mesmo é saberes quais as cores que mais facilmente te ajudam a consegui-lo fazer com sucesso.

Embora a maior parte das pessoas compre carro em função das preferências e gostos pessoais, a verdade é que, muitas delas, deveriam, ainda antes de tomar uma decisão, ponderar bem a sua escolha.

É isso que defende um estudo levado a cabo pelo motor de busca automóvel norte-americano iSeeCars, com base em dados relativos às vendas de mais de 2,1 milhões de automóveis usados. As conclusões deste estudo demonstram que a cor dos carros têm, efectivamente, impacto no momento da revenda.

Porsche Cayman GT4
Podes não acreditar, mas o amarelo é a cor que melhor cotação tem

Amarelo é a cor automóvel que menos desvaloriza…

Segundo o mesmo estudo (que embora esteja focado no mercado americano não deixa de poder ser extrapolado, enquanto indicador, para outras latitudes) o valor dos automóveis deprecia em média cerca de 33,1%, nos primeiros três anos. Com os veículos — pasme-se — de cor amarela a serem aqueles que menos desvalorizam, ficando-se pelos 27% de depreciação. Quiçá porque, quem quer um automóvel amarelo, sabe logo à partida que não será fácil de arranjar… e está disposto a pagar um pouco mais para o conseguir.

Pelo contrário e ainda segundo o mesmo estudo, na outra ponta das preferências, ou seja, com maior desvalorização, surgem os automóveis de cor dourada. Os quais, só nos primeiros três anos de vida, desvalorizam, em média, qualquer coisa como 37,1%.

"Os carros amarelos são relativamente menos comuns, o que faz crescer a procura, mas também manter o seu valor"

Phong Ly, CEO da iSeeCars

De resto e ainda segundo a análise feita pela empresa, os carros de cor laranja ou verde são também bons a manter o seu valor, mais uma vez, por serem pouco comuns e terem um público fiel. Ainda que estas três cores não representem mais do que 1,2% do mercado.

Gumpert Apollo
Quem foi que disse que o laranja não rende?…

…mas não é a que mais rápido se vende!

Importa também referir que nem só a raridade é explicação para a maior valorização de cores como o amarelo, o laranja ou o verde. A desmistificar esta teoria, surge o facto de cores como o bege, o púrpura ou o dourado, as três piores cores neste ranking, também não ultrapassarem os 0,7% da totalidade de mais de 2,1 milhões de carros analisados.

Ao mesmo tempo, o facto de cores como o amarelo, o laranja ou o amarelo não desvalorizarem tanto, também não significa que se vendam mais depressa. A demonstrá-lo, os 41,5 dias que, em média, um carro amarelo leva a vender, os 38,1 dias que um laranja demora a encontrar comprador ou os 36,2 dias que um verde se mantém no concessionário, até surgir o novo proprietário. Em qualquer um dos casos, mais do que, por exemplo, os 34,2 dias necessários para vender um automóvel de cor cinza…

Sabes responder a esta?
Quais os construtores que fazem parte da rede europeia de carregamento de alta capacidade IONITY?

Mais artigos em Notícias