Web Summit

UberAIR apresentado em Lisboa. Depois das estradas, os céus.

Foi a Uber que abriu o segundo dia da Web Summit, cenário que escolheu para apresentar um novo serviço: UberAIR. Com este serviço a Uber apresenta também o seu veículo voador 100% elétrico. Não, não é um "carro voador".

Em Web Summit, Lisboa.

A Uber compara a utilidade destes veículos de transporte aos arranha céus, acreditando que ao transferir parte do tráfego para o ar, está a poupar tempo aos utilizadores e a libertar as cidades de um crescente congestionamento. Revolucionar o transporte de passageiros, continua a ser o mote.

O veículo voador da Uber

© Diogo Teixeira / Razão Automóvel

É 100% elétrico, possuiu um sistema fly by wire, pode atingir 150 a 200 milhas por hora, tem 60 milhas de autonomia e é capaz de transportar até 4 pessoas. Inicialmente serão pilotados, sendo que para segurança dos passageiros os lugares estão separados do piloto. Mas num futuro não muito distante serão 100% autónomos, sem lugar para um piloto.

Segundo a Uber, este veículo é 10 vezes mais eficiente do que um helicóptero, exige menos manutenção porque é mecanicamente mais simples e está equipado com um sistema de redundâncias que permite que perante uma avaria em pleno voo, aterre em segurança.

Entre os vários parceiros para o desenvolvimento deste veículo está a Embraer.

Quanto vai custar uma viagem?

Segundo Jeff Holden: “A Uber não construiria nada que não fosse para todos. O nosso objetivo é que seja mais barato utilizar o UberAIR do que um automóvel.” No lançamento do UberAIR, a Uber espera cobrar o mesmo que cobra por uma viagem de UberX.

Acordo com a NASA já foi assinado

A Uber revelou no palco principal do Web Summit que assinou um protocolo de colaboração com a NASA para o desenvolvimento da gestão do tráfego no espaço aéreo urbano.

Este acordo de colaboração visa o desenvolvimento de novos conceitos de Gestão de Tráfego Não Tripulado (UTM, Unmanned Traffic Management) e Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS, Unmanned Aerial Systems). Este protocolo possibilitará a operação segura e eficiente de UAS a baixas altitudes.

© Diogo Teixeira / Razão Automóvel

A participação da Uber no Projeto UTM da NASA ajudará a empresa a iniciar os primeiros voos de demonstração do uberAIR num conjunto de cidades norte-americanas selecionadas em 2020. É a primeira colaboração da Uber com uma agência governamental com o objetivo de operar uma rede aérea de ridesharing a nível global.

A Uber planeia explorar oportunidades adicionais de colaboração com a NASA que irão desempenhar um papel importante na abertura de um novo mercado de mobilidade aérea urbana. Esta colaboração faz parte do compromisso que a NASA tem com o Projeto UTM, que inclui várias instituições públicas, académicas e privadas.

O Ato Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (National Aeronautics and Space Act) confere à NASA a autoridade exclusiva para assinar acordos SAA com diferentes parceiros para promover a sua missão e a prossecução dos objetivos, permitindo que os parceiros possam trocar informações e trabalhar em conjunto para com objetivos específicos.

O Dr. Parimal Kopardekar, Tecnólogo Sénior de Sistemas de Transporte Aéreo no Centro de Pesquisa Ames da NASA, vai coordenar a colaboração entre a Uber e a NASA.

© Diogo Teixeira / Razão Automóvel

Jeff Holden, Chief Product Officer da Uber, destacou: “Este acordo espacial abre o caminho para que a Uber colabore com a NASA no desenvolvimento da próxima geração de tecnologia de gestão de espaço aéreo. O uberAIR operará muitos mais voos numa base diária nas cidades do que alguma vez foi feito. Fazê-lo de forma segura e eficiente exigirá uma mudança profunda nas tecnologias de gestão de espaço aéreo. A combinação da capacidade de engenharia e desenvolvimento de software da Uber com as décadas de experiência na NASA neste campo proporcionará avanço crucial para o Uber Elevate.”

UberAIR chega a Los Angeles

A Uber seleccionou Los Angeles como a segunda cidade norte-americana onde uberAIR estará disponível. O objetivo é começar em 2020 os testes deste novo serviço que consistirá numa rede de aeronaves elétricas que vão permitir voos urbanos com um máximo de quatro passageiros. Estes veículos elétricos de descolagem e desembarque verticais (VTOLs) diferem dos helicópteros por serem mais silenciosos, seguros, acessíveis e respeitadores do meio ambiente.

Utilizando os dados das rotas mais populares em viagens com a Uber, e procurando dar uma alternativa aos trajetos rodoviários mais congestionados, o uberAIR será projetado para ajudar a reduzir os congestionamentos de tráfego e os tempos de deslocação, contribuindo a longo prazo para a redução das emissões poluentes nas cidades.

 

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub