Salão de Los Angeles 2017

Jeep Wrangler. Nova geração mais leve, mais apta e com versão híbrida

Modelo icónico na oferta da Jeep, o Wrangler foi, finalmente, apresentado na sua nova geração. Mais leve, com novos motores e até uma versão PHEV!

Depois das promessas e até de algumas imagens surgidas na Internet, eis que a nova geração Jeep Wrangler acaba de ser oficialmente apresentada, no Salão Automóvel de Los Angeles, EUA. Marcada, desde logo, por um significativo emagrecimento, melhores motores e até uma versão híbrida plug-in(PHEV).

Confrontada com a necessidade de atualizar um modelo que, de certa forma, é também muito da imagem da marca que se tornou famosa na Segunda Guerra Mundial, com o icónico Willys MB, a Jeep optou por uma evolução na continuidade. Com as maiores transformações discretamente introduzidas ou até mesmo escondidas.

Jeep Wrangler 2018

Novo Wrangler mais leve… e tipo Lego!

Fabricado com aços de maior resistência, mas também mais leves, a que se somam painéis da carroçaria em alumínio, além de capota, portas e moldura do pára-brisas noutros materiais ultra-leve, o novo Wrangler consegue anunciar, desde logo, uma redução no peso, na ordem dos 91 kg. Mantendo o design intemporal, ainda que marcado aqui e ali por pequenas alterações.

É o caso da emblemática grelha frontal, redesenhada; dos faróis, redondos, mas de interior reformulado; do para-choques dianteiro, mais fino e subido; dos pára-lamas, agora com sinais de mudança de direção e iluminação diurna integrados; ou ainda do pára-brisas, 3,8 cm mais alto, mas também com sistema de rebatimento mais fácil — o anterior, tinha 28 parafusos que era preciso desapertar, antes de se conseguir rebater. O novo só necessita de quatro.

Mantendo a possibilidade de retirar elementos como as portas ou o tejadilho, o novo Jeep Wrangler viu ainda ambos os eixos avançarem na carroçaria: o dianteiro, 3,8 cm para a frente — para acomodar a nova caixa automática de oito velocidades — ao passo que o traseiro, 2,5 cm (versão de duas portas) e 3,8 cm (quatro portas). Soluções que acabaram por permitir igualmente mais espaço para pernas, nos lugares traseiros.

Jeep Wrangler 2018

Quanto à capota, passam a existir três opções. Tanto a rígida como a de lona, agora mais fáceis de retirar ou colocar, ao passo que a terceira hipótese, também com topo em lona, adopta um sistema de rebatimento elétrico, propondo assim um teto de abrir a toda a dimensão do tejadilho. Mas que, neste caso em concreto, não pode ser removido.

Interior mais refinado e melhor equipado

Já no interior, destaque para um maior refinamento, a par de várias novas tecnologias. A começar num novo painel de instrumentos com ecrã digital a cores entre o velocímetro e o conta-rotações, além de uma consola central agora mais larga, da qual passa a fazer parte um novo ecrã tátil, cujas dimensões podem variar entre a 7 e as 8,4”, e que garante o acesso ao sistema de info-entretenimento, já com Android Auto e Apple CarPlay.

Quanto aos comandos do ar condicionado, surgem agora mais altos, isto numa consola que continua a integrar os comandos dos vidros e mantém bem perto as manetes, tanto da caixa de velocidade como das redutoras, ambas redesenhadas.

Jeep Wrangler 2018

Dois motores para começar, um PHEV para o futuro

Com a versão Rubicon a permanecer como a mais apta para o todo-o-terreno, graças a pneus específicos de 33 polegadas — os pneus mais altos que alguma vez equiparam o Jeep Wrangler, de fábrica —, bloqueio de diferencial à frente e atrás, barras estabilizadoras eletronicamente desligáveis, além de pára-lamas mais altos; o jipe norte-americano beneficia ainda de uma oferta em termos de motores da qual se destaca o já bem conhecido V6 3.6 litros com Start&Stop, que com os seus 285 cv e 353 Nm de binário, tanto pode ser acoplado a caixa manual de seis velocidades, como a solução automática de oito relações.

Estreia para um 2.0 litros turbo, com 268 cv e 400 Nm de binário, que, conjugado com transmissão apenas automática, conta ainda com gerador eléctrico e bateria de 48 V, assumindo-se como um sistema de propulsão semi-híbrido (mild-hybrid). Embora com a vertente elétrica a ajudar, basicamente, no desempenho do sistema Start&Stop, assim como nas velocidades mais baixas.

Jeep Wrangler 2018

Lá mais para a frente, surgirá ainda um turbodiesel de 3.0 litros, ao passo que, já em 2020, os responsáveis da Jeep prevêem lançar o primeiro Wrangler híbrido plug-in. Embora ainda pouco se saiba de concreto, relativamente a qualquer uma destas versões.

Melhores capacidades de tração e estabilidade

Proposto, como até aqui, com sistema eletrónico que permite optar entre a tração às duas e às quatro rodas, embora nesta nova geração selecionáveis através de um botão na consola central, o modelo anuncia ainda uma maior capacidade para progredir em terrenos mais difíceis, graças também a uma maior precisão nas manobras a baixa velocidade.

Em estrada, as alterações promovidas na suspensão, a par de uma direção agora com assistência eletro-hidráulica, prometem igualmente maior estabilidade e melhores sensações de condução. Mantendo-se, por outro lado, a mesma capacidade de reboque: 907 kg no caso do duas portas, 1587 kg no quatro portas.

O novo Jeep Wrangler tem previsto iniciar comercialização nos EUA, ainda no primeiro trimestre de 2018. Já quanto à Europa, o arranque está ainda por divulgar.

Jeep Wrangler 2018
Sabes responder a esta?
Quando é que a nova geração Mercedes-Benz CLS chega a Portugal?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Mercedes-Benz CLS. Tudo, mesmo tudo, o que faltava saber

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos