Dicas

Sabes conduzir na areia? Cinco dicas para não ficares atascado

Conduzir na areia é uma experiência diferente, tão diferente que exige algumas técnicas especificas para não fazeres má figura.

Por esta altura já perdi a conta ao número de quilómetros que fiz em todo o terreno, incluindo conduzir na areia. Metros e metros de cabo de guincho que desenrolei e enrolei para desatascar meio mundo —alguns vá… — e a embraiagem que gastei na minha pick-up para o fazer.

Em todos estes anos, já atasquei e fui socorrido. Que atire a primeira pedra quem nestas lides não teve pelo menos uma experiência dessas.

Já dizia Sir Stirling Moss que há duas coisas que o homem nunca admite que faz mal, uma é conduzir a outra… bem, vejam:

stirling moss

Como eu não sou exceção, aqui ficam as minhas dicas para uma condução profissional, ou quase, na areia.

Antes de começar, convém referir para os mais distraídos que estaremos sempre a falar de automóveis 4×4, ou seja, com tração integral às quatro rodas.

1. Pneus

Não é por acaso que coloquei os pneus em primeiro. É o único ponto de contacto do automóvel com a estrada, neste caso com a areia, e por isso fundamental em dois aspetos.

O primeiro é o tipo de piso. E nesta altura deverás estar a pensar num pneu de todo-o-terreno com piso A/T . Errado! Em areia a ideia não é escavar, mas sim “flutuar”. Desta forma o melhor piso é mesmo um H/P e se tiver mais gasto tanto melhor. O perfeito é mesmo um slick ou com pás (mas esses pneus são muito específicos e ninguém usa).

tipos de pneus
A título de curiosidade, estes são os principais tipos de piso dos pneus.

É claro que não vais mudar os pneus, nem vais levar uns slicks para andar na areia, por isso mais importante que o tipo de piso do pneu, é a pressão.

Para conseguires progredir na areia é obrigatório que reduzas significativamente a pressão dos pneus. Ao fazê-lo a “pegada” dos pneus aumenta, devido ao peso da parede lateral que se encontra defletida e a causar mais pressão. Por outro lado, a largura da área de contacto também aumenta, uma vez que a curvatura do pneu também diminui.  Com pressões de ar muito baixas podemos verificar aumentos de 250% da área de contacto do pneu com o piso.

O método Harry Lewellyn

A título de curiosidade existe até um método, chamado método de Harry Lewellyn, que consiste em insuflar os pneus até 50 PSI (3,4 bar) e posteriormente baixar a pressão até à altura da parede ficar 75% da altura com os 50 PSI. Mas se não estás para contas nem levas a fita métrica contigo, esvazia o pneu e conta até vinte pausadamente (20 segundos) por cada 1 Bar de pressão. Não é a melhor prática, até porque naturalmente depende de vários fatores, mas na falta de melhor vai te ajudar a progredir na areia.

conduzir na areia

Tem atenção que a pressão que precisas de baixar também depende do tipo de areia. Em Marrocos, quando qualquer 4×4 fica atolado na areia, aparecem do nada vários Touaregs para ajudar a desatascar. A primeira coisa que fazem é retirar (ainda mais) pressão aos pneus. No limite chegam a retirar mesmo quase toda a pressão, e acredita, mais tentativa menos tentativa acabam por sair de lá.

2. Motor

Não precisas de ter nenhum V6, mas é claro que o motor também é importante. Mais do que a potência, o binário é essencial para se conseguir progredir já que é necessário não deixar a rotação do motor cair demasiado. Acredita que há motores que por mais que te esforces e pressiones o acelerador, ele vai “morrer” e aí provavelmente acabaste de deitar tudo a perder, já que a principal coisa que não podes fazer na areia é… parar. A probabilidade de só te enterrares mais se parares numa zona de areia é grande.

Se tens um carro menos potente neste aspeto, reduz tudo o que possa estar a tirar potência ao motor, como por exemplo o ar condicionado. Se o carro tiver caixa de velocidades automática, talvez seja conveniente colocares em modo manual para que mantenha a mesma relação de caixa. Se deixares o carro gerir a caixa de velocidades, provavelmente vai te colocar uma relação mais alta e a determinada altura não vais ter o binário ideal para conseguir progredir.

conduzir na areia

3. Controlo de tração: OFF!

O controlo de tração é um anjo da guarda fantástico em estrada, e pode salvar-nos a vida, mas para conduzir na areia o melhor mesmo é mantê-lo desligado. Em areia é impossível que as rodas não patinem. O controlo de tração vai ler essas faltas de aderência e vai bloquear as rodas que se encontram com falta de tração. Quais são? Isso mesmo, são todas! Resultado? Simplesmente não vais conseguir avançar.

Desligando o controlo de tração (por completo), as rodas vão “patinar” e desta forma vão conseguir “planar” na areia e fazer com que consigas avançar. Se o teu carro não permite desligar o controlo de tração por completo… boa sorte!

controlo de tração
Na maior parte dos casos o controlo de tração está associado ao controlo de estabilidade.

4. Atitude

Conduzir na areia não é como conduzir na estrada, por mais experiência que se tenha. A atitude ao volante é fundamental para interpretar as reações do carro e do motor e desta forma dosear o acelerador. Não é para andar a fundo, mas também não se pode ser muito meigo com o acelerador.

É importante sentir que o carro está sempre a progredir. Acelerar um pouco mais se o sentirmos a enterrar, e levantar o pé se o motor estiver em demasiado esforço. Qualquer reação deve ser rápida, pois é uma questão de segundos até ficares atolado.

Depois de apanhares o jeito, provavelmente não só vais adorar a experiência, como vais conseguir “planar” sobre a areia.

conduzir na areia marrocos

 

5. Leitura do terreno

É fundamental fazer uma boa leitura do terreno para evitar colocar o carro em locais onde tenhamos obrigatoriamente que reduzir muito a velocidade devido a obstáculos ou declives. É também essencial prever as curvas que vamos descrever. Lembra-te que a conduzir na areia não descreves curvas de 90º. Podes sempre inventar, mas regra geral seguir os sulcos marcados na areia também é uma boa ajuda.

Não resisto a deixar-vos outra dica básica mas que evita acidentes. Se estiverem a conduzir em dunas e o carro começar a deslizar para o interior da duna, nunca virem a direção no sentido contrário à duna. Ou seja, quando sentirem que o carro está a deslizar para a parte inferior da duna, virem a direção precisamente nesse sentido.

Sabes responder a esta?
O que significa o símbolo de uma estrela na parede dos pneus?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Sabias que o teu carro pode ter uma especificação de pneus própria?

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos

Pub